Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Viatura de Mouriscas com kit de 1ª intervenção já mostra serviço e apaga incêndio rural (C/VIDEO)

Seis juntas de freguesia do concelho de Abrantes integram desde sábado, dia 1 de junho, o dispositivo municipal de combate a incêndios rurais pré posicionando no terreno viaturas equipadas com kits de primeira intervenção e rádios de comunicação. A viatura das Mouriscas foi a primeira a entrar em ação, com dois fogos nos dias 31 de maio e 1 de junho, tendo os dois tripulantes resolvido o foco de incêndio que deflagrou no lugar de Casal Soares.

- Publicidade -

No sábado, dia 1, também em Mouriscas, a viatura da junta de freguesia foi a primeira a chegar ao local de Lomba Cimeira e a começar a combater as chamas, até à chamada dos bombeiros de Abrantes, que resolveram depois o problema.

Abrantes está a apostar na vigilância e prevenção de modo a poder iniciar um combate imediato e o mais célere possível a um início de incêndio, com o apoio de carrinhas das juntas de freguesia que estão pré-posicionadas em locais estratégicos e equipadas com kits de primeira intervenção.

- Publicidade -

Se na sexta-feira, às 13:30, a viatura da junta de Mouriscas foi a primeira a chegar ao local de Casal Soares e a conseguir apagar o foco de incêndio, com os bombeiros a fazerem posteriormente o rescaldo, no sábado, dia 1 de junho, repetiu-se a situação, com dois focos de incêndios noturnos a decorrerem nas Mouriscas e em Tramagal, duas ignições que decorreram no espaço de meia hora, e com um falso alarme de permeio em Rio de Moinhos.

Viatura de Mouriscas com kit de 1ª intervenção já mostra serviço e apagou na sexta-feira um incêndio rural. Foto: mediotejo.net

Em Mouriscas, no sábado, foi novamente a viatura da junta de freguesia a chegar primeiro ao local, tendo iniciado o combate às chamas sendo depois apoiados com a chegada dos bombeiros de Abrantes. Em Tramagal ainda não há carrinhas com kits de primeira intervenção e o incêndio na Quinta da Beata foi combatido por 34 operacionais apoiados por oito viaturas.

“Mais próximos, mais rápidos e mais eficazes” no combate a uma primeira ignição, para além do efeito dissuasor conferido pela presença das viaturas na floresta e nos caminhos rurais, são as mais valias desta iniciativa municipal que entrou formalmente em vigor a 1 de junho e que se vai prolongar até ao dia 30 de outubro.

Paulo Ferreira, 2ª Comandante Operacional Distrital (CODIS) e António Manuel, comandante dos bombeiros voluntários de Abrantes. Foto: mediotejo.net

“As juntas de freguesia já faziam este trabalho há cerca de seis, sete anos, mas cada um fazia por si. Hoje integramos o Dispositivo Municipal de Combate a Incêndios num claro sinal de confiança no trabalho e no papel que as juntas de freguesia podem desempenhar em termos de proximidade, prevenção e de segurança aos seus cidadãos”, notou Bruno Tomás, presidente da União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede.

Bruno Tomás, presidente da União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede. Foto: mediotejo.net

“É uma mais valia podermos contar com estas carrinhas das juntas de freguesia equipadas com kits de primeira intervenção, numa iniciativa que é pioneira em Abrantes e que é de louvar, porque vão desempenhar um papel muito importante com o seu pré-posicionamento e vigilância, e consequente reforço  das estrutura de bombeiros e brigadas de sapadores”, disse por sua vez Paulo Ferreira, 2º CODIS da Proteção Civil de Santarém.

Maria Inês Mariano, Coordenadora Operacional Municipal (COM). Foto: mediotejo.net

A proximidade, o pré-posicionamento das carrinhas e a rapidez no ataque a um fogo nascente para que um incêndio não adquira grande proporções, são tidos como vitais pelo comandante dos bombeiros de Abrantes, António Manuel Jesus e por Inês Mariano, Coordenadora Operacional Municipal.

“As carrinhas ligeiras das juntas de freguesia estão equipadas com kits de primeira intervenção e vão ter rádios SIRESP integrando pela primeira vez o Dispositivo Especial Contra Incêndios Rurais (DECIR), no âmbito municipal, para responder de forma mais rápida e eficaz no ataque aos incêndios, na sua fase inicial, sendo uma mais valia pela sua proximidade e rapidez”, fez notar, por sua vez, o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Valamatos (PS), após a cerimónia de assinatura do protocolo que define os objetivos e vincula as juntas de freguesia ao dispositivo municipal.

O protocolo assinado na quinta-feira, dia 30 de maio, engloba sete carrinhas de seis das 13 freguesias do município de Abrantes e resulta num apoio financeiro de 15 mil euros por kit de 1ª Intervenção. Foto: mediotejo.net

O protocolo assinado na quinta-feira, dia 30 de maio, engloba sete carrinhas de seis das 13 freguesias do município de Abrantes e resulta num apoio financeiro de 15 mil euros por kit de 1ª Intervenção, composto por maquinaria, mangueira e tanque com capacidade de 600 litros de água, formação específica a dois operacionais por carrinha e fatos de proteção individual, num total de investimento de 105 mil euros, verba que visa “criar condições humanas e materiais para que possam exercer esta responsabilidade que, aliás, de forma voluntária já o vinham fazendo”, notou o autarca.

O vínculo agora formalizado vai vigorar entre 1 de junho e 30 de outubro, sendo que as carrinhas das freguesias, nos períodos de alerta laranja e vermelho, comprometem-se a estar pré posicionados em Locais Estratégicos de Estacionamento (LEE), dentro do limite da freguesia e definidos previamente pelo Comandante dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, e no período compreendido entre as 11:00 e as 19:00.

O vínculo agora formalizado vai vigorar entre 1 de junho e 30 de outubro, sendo que as carrinhas das freguesias, nos períodos de alerta laranja e vermelho, comprometem-se a estar pré posicionados em Locais Estratégicos de Estacionamento. Foto: mediotejo.net

As juntas de freguesia devem garantir a manutenção e operacionalização do Kit, no mínimo, com duas pessoas, assegurar que frequentem cursos de formação dados pelos bombeiros, nomeadamente “Segurança Individual e Primeira Intervenção” e “Comunicação por rádio”, adquirir Equipamento de Proteção Individual”, e assegurar que estes operacionais estejam devidamente segurados para a sua função.

O município de Abrantes ficou ainda responsável por equipar as viaturas com rádios de comunicação, um investimento na ordem dos 12 mil euros.

As viaturas equipadas com os kits de primeira intervenção, geridas por seis Juntas de Freguesia do concelho, vão passar a integrar o Dispositivo Especial Contra Incêndios Rurais (DECIR), no âmbito municipal. Foto: mediotejo.net

Com uma área de 714 quilómetros quadrados e uma vasta área florestal, este contrato interadministrativo “permite criar condições para que as juntas de freguesia possam melhorar o desempenho” em matéria de Proteção Civil e “o ataque imediato a um fogo nascente”, notou o autarca, tendo o mesmo sido assinado com a União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede (com duas viaturas), Rio de Moinhos, Aldeia do Mato e Souto, São Facundo e Vale das Mós, Bemposta e Mouriscas.

“A primeira intervenção de ataque ao incêndio é decisiva tal como a ação nos primeiros cinco minutos”, afirmou Manuel Valamatos, tendo defendido a necessidade de ter “dispositivos em vários pontos do concelho para que, num processo de ignição de um incêndio, se possa ter condições de ataque rápido para o debelar ou evitar que tome grandes proporções”, até que cheguem os reforços ao local do sinistro.

“As carrinhas das juntas de freguesia estão mais próximas, são mais rápidas e mais eficazes num combate a um fogo inicial”, frisou, tendo referido que o objetivo da autarquia é que o protocolo agora em vigor seja alargado a todas as freguesias do concelho nos próximos anos.

O objetivo da autarquia de Abrantes é que o protocolo agora em vigor seja alargado a todas as freguesias do concelho nos próximos anos. Foto: mediotejo.net

Kits de primeira intervenção integram Plano Operacional Municipal de Abrantes

O Plano Operacional Municipal (POM) 2019 foi aprovada na reunião de Câmara realizada no dia 28 de maio, após aprovação pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta (CMDFCI), em 22 de abril de 2019 e integra pela primeira vez as viaturas das juntas de freguesia equipadas com os kits de primeira intervenção .

O POM é um importante e indispensável instrumento que define a estratégia de prevenção e combate dos incêndios florestais.

António Manuel Jesus, Comandante dos bombeiros voluntários de Abrantes. Foto: mediotejo.net

O documento enumera, descreve e compatibiliza os meios e recursos existentes no concelho de Abrantes envolvidos no combate aos incêndios florestais. Nele se estabelecem, também, os procedimentos de atuação dos vários agentes envolvidos nos domínios de prevenção, vigilância, combate, rescaldo e vigilância pós-rescaldo das ocorrências verificadas no domínio dos fogos florestais, definindo as funções particulares dos diversos intervenientes.

Este documento é atualizado todos anos, antes do período crítico de fogos florestais.

Como novidade, refira-se que este ano, as viaturas equipadas com os kits de primeira intervenção, geridas por seis Juntas de Freguesia do concelho, vão passar a integrar o Dispositivo Especial Contra Incêndios Rurais (DECIR), no âmbito municipal, para responder de forma mais rápida e eficaz no ataque aos incêndios, na sua fase inicial.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome