Abrantes | Vereador do PSD diz que Tectania “foi uma mera campanha política” da anterior presidente da Câmara

Reunião de Câmara de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Em maio deste ano o presidente da Câmara Municipal de Abrantes (CMA) anunciou que o processo da empresa Tectania seria encerrado. Naquela data, em reunião de executivo, Manuel Jorge Valamatos (PS) deu conta que “do ponto de vista formal” o atual processo de instalação da empresa na zona industrial de Abrantes termina porque os empresários admitem não haver condições para o cumprimento dos prazos estabelecidos. Na terça-feira, em reunião de executivo, o vereador do PSD quis saber qual o ponto de situação daquele investimento anunciado para o concelho no valor de 44 milhões de euros que afinal não aconteceu, falando em “mera campanha política” da anterior presidente, Maria do Céu Antunes, hoje ministra da Agricultura. O presidente lembrou que a empresa mantém-se sedeada no Tecnopolo e mantém “a esperança” que o investimento da empresa Tectania possa ainda ser uma realidade no concelho de Abrantes. 

PUB

A empresa Tectania, que se dedica à investigação, conceção e fabrico de veículos automóveis e motociclos para o segmento Off-Road, continua instalada no Parque Tecnológico Vale do Tejo, em Abrantes, garante o presidente da Câmara. “Há um determinado momento relacionado com a situação da covid-19 que condicionou, parou um conjunto de processos onde a Tectania também está envolvida nesse ambiente”, justificou Manuel Jorge Valamatos, em resposta a um pedido de informação do vereador do PSD.

Durante a reunião de Câmara Municipal que decorreu na terça-feira, 13 de outubro, o vereador eleito pelo Partido Social Democrata, Rui Santos, questionou o executivo sobre a atual situação daquela empresa que deveria ter criado até final de 2018 oito postos de trabalho, segundo o anunciado pela Câmara Municipal. Acrescentava esse anúncio que a empresa de investidores brasileiros esperava quintuplicar o número em 2019, atingindo os 296 trabalhadores em 2025, num investimento global na ordem dos 44 milhões de euros a efetuar pela empresa. O município de Abrantes apoiaria com mais de meio milhão de euros tal investimento, com isenções de natureza fiscal e tributária.

PUB

Nessa ocasião foi anunciado que a empresa Tectania produziria a nova versão do Modelo Stark 4×4 da brasileira Tac Motors SA. e todos (cinco) os modelos de motociclos desenvolvidos pela empresa portuguesa AJP Motos, sediada em Penafiel. A previsão anual de vendas para 2021 era de 3000 carros e 3100 motociclos.

No dia 5 de maio de 2017 ocorreu a comunicação informal que Abrantes havia sido a cidade escolhida e em julho de 2018 foi apresentada a candidatura formal à aquisição do lote de terreno na Zona Sul do Parque Industrial. Em abril desse ano era apresentada a candidatura formal a projeto de interesse municipal.

PUB

No entanto, Manuel Jorge Valamatos mantém “a esperança” que o investimento da empresa Tectania possa ainda ser uma realidade no concelho de Abrantes. “Continua a haver contactos” entre a Câmara Municipal e a empresa “sendo que a situação é muito difícil”, admite o presidente.

“Já era difícil mas a pandemia agudizou a situação, mas não somos nós quem controla os investidores”, notou.

Há mais de dois anos, a Câmara aprovou uma candidatura da empresa Tectania para aquisição a preço simbólico de terreno no Parque Industrial de Abrantes e a concessão de apoios de natureza fiscal e para instalação de uma empresa exportadora da indústria automóvel, motorizadas e motociclos, no âmbito do quadro de incentivos fiscais da CMA a projetos empresariais que contribuam para o desenvolvimento económico e para a criação de emprego no concelho, o Abrantes INVEST.

O terreno para instalação da empresa pertence ao Município e a Câmara Municipal aprovou, por unanimidade, em maio de 2018, a alienação da parcela de terreno no Parque Industrial de Abrantes, com a área de 89.270 m2, pelo valor de 133.905,00 euros.

O edil considera “importante” o trabalho do Município. “Fizemos e vamos continuar a fazer tudo para criar as melhores condições para que o projeto da Tectania possa avançar”, contudo, no caso de se apresentarem novos interessados no lote de terreno, Manuel Jorge Valamatos não descarta a possibilidade de alienação.

“Se aparecesse um projeto com a mesma dimensão, com as mesmas características e que se adaptasse ao lote, com ambas as partes procuraríamos as soluções”, referiu.

Do lado do PSD, Rui Santos afirmou estar “na disposição de retirar tudo aquilo que disse no dia em que vir esta empresa criar postos de trabalho em Abrantes” voltando a afirmar: “não acredito que venha a acontecer. Na altura foi uma mera campanha política da sua antecessora”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here