Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | UCC em semana de sensibilização e avaliação do risco da diabetes

No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Diabetes, que se assinala a 14 de novembro, a Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) de Abrantes organiza durante esta semana, de 12 a 16 de novembro, diversas atividades que visam a sensibilização sobre a prevenção da doença, nomeadamente a avaliação do risco de Diabetes tipo 2.

- Publicidade -

- Publicidade -

Esta avaliação decorrerá no Mercado de Abrantes, dias 12, 13, 15 e 16 de novembro, entre as 09:00 e as 12:00, e no dia 14 de novembro, quarta-feira, na praça Barão da Batalha, no mesmo horário.

Como complemento à avaliação do risco de diabetes tipo 2, a UCC de Abrantes irá dinamizar sessões de sensibilização sobre esta problemática.

- Publicidade -

Esta quarta-feira, dia 14 de novembro – Dia Mundial da Diabetes -, a temática a abordar será “O cuidado aos pés na pessoa com diabetes”, em ação a desenvolver no Centro Social e Paroquial Nossa Senhora da Oliveira, em Tramagal, das 14:00 às 16:00. Destina-se a ajudantes de ação direta.

No dia 15 de novembro a temática a abordar será “Envelhecimento ativo e estilos de vida saudável, numa sessão a desenvolver na Universidade da Terceira Idade de Abrantes, das 14:00 às 16:00. Destina-se aos alunos e frrequentadores da UTIA.

Esta terça-feira foi abordada a temática “Alterar rotinas por uma vida mais saudável” na Associação de Reformados de Tramagal/Universidade da Terceira Idade de Tramagal.

A grande finalidade desta iniciativa de cariz comunitário é consciencializar a população para problemática da diabetes e para a importância da prevenção e do seu controlo.

As iniciativas desta semana são desenvolvidas em colaboração com a autarquia de Abrantes e com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome