Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Maio 13, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Tradição, gastronomia e saber resulta em brunch com iguarias locais no D’gustar

O confinamento português também levou à criatividade. Carlos e Cláudia tiveram de inovar para dar dinâmica ao seu negócio no restaurante abrantino D’gustar, no centro histórico da cidade. A aposta passou pela promoção dos produtos locais apresentando um brunch à portuguesa que na verdade é mais à abrantina, onde não faltam iguarias como a palha de Abrantes ou as migas carvoeiras à moda do Pego.

- Publicidade -

A aventura da restauração começou por criar um projeto no centro histórico da cidade de Abrantes, num espaço novo com novidades como brunch in Abrantes do D’gustar, aos domingos, e que segundo Cláudia Forte “tem muito sucesso”.

Esta ideia fez a aponte para a apresentação, este sábado 24 de abril, de uma novidade preparada essencialmente a pensar no turista: o brunch à portuguesa com pratos e delicias gastronómica do concelho: queijos Brejo da Gaia, sopa de couves com feijão, mistura de peixe do rio (hoje provámos sável), migas carvoeiras (do Pego) com entrecosto frito, tigelada e palha de Abrantes e um copo de vinho tinto do Casal da Coelheira.

- Publicidade -

O brunch à portuguesa Koisas de Ká é servido ao sábado por 11,50 euros no D’gustar. Créditos: mediotejo.net

Durante o último confinamento os proprietários do D’gustar, Carlos Catarino e Cláudia Forte, pensaram “ter uma ideia recreativa, diferente do habitual. Fizemos esta conjugação e adaptamos para aquilo que fazia falta”, conta Carlos. A pandemia poderia ser um motivo para não arriscar propostas novas mas funcionou precisamente ao contrário e obrigou a inovar o menu, no caso com produtos tradicionais.

Na verdade a “obrigação” de encerrar os restaurantes às 13h00, integrada nas várias medidas preventivas contra a covid-19, levou à criatividade e naquele restaurante decidiram desenvolver “o brunch in Abrantes, mais à americana, com ovos mexidos e bacon. Foi um sucesso”, explica Cláudia. Entre encerramentos e reaberturas surgiu então a ideia de promoção da boa comida e bebida que se faz por Abrantes.

“Até porque vem aí o verão”, nota esperando que a cidade se encha de visitantes curiosos por experimentar a gastronomia local. Cláudia reconhece ser “um prato um bocadinho pesado – couves com feijão, migas e peixe frito – mas ao meio dia sabe bem!”, afirma.

Além disso, os produtos chegam pelas mãos dos produtores locais. Já as migas carvoeiras “foram confecionadas pelas pessoas que mais sabem”, diz. Falava de Ilda Marques e de Maria Florinda Salgueiro, esta manhã presentes no restaurante para ensinar a confecionar aquela iguaria tão típica do Pego e nada complicada de executar, confecionada à base de pão e batatas, apresentando-se como única dificuldade o saber voltar as migas na frigideira: literalmente mandam-se ao ar!

Ilda Marques, durante a confeção das migas carvoeiras, um prato típico do Pego. Créditos: mediotejo.net

Carlos Catarino e Cláudia Forte reuniram assim “numa peça só” um conjunto de iguarias locais. “Que contemple todo o gosto e que principalmente desperte a curiosidade para virem cá, para perceber o que estamos a criar neste momento”.

O conceito passa a palavra e recebe o nome de Koisas de Ká para dar a conhecer a quem visita Abrantes. “Damos a provar as nossas iguarias, estão feitas e os produtores estão cá” passando “para fora aquilo que Abrantes tem com qualidade e demonstrar que conseguimos fazer algo mais do que aquilo que está feito neste momento”, acrescenta o empresário.

Carlos Catarino considera ser uma aposta que faltava. “Faz todo o sentido” também para “outros que podem desenvolver este conceito. Acho muito positivo e vai-se tornar uma ideia ainda maior com outras que vamos conjugar futuramente”. Essas novidades Carlos não quis para já revelar. “Acima de tudo estamos abertos a sugestões de produtores locais”, adiantam.

Agora que os restaurantes voltaram a estar de portas abertas para receber clientes, os empresários deixam o apelo aos cidadãos no sentido de se preocuparem com o próximo. “É fundamental para a economia girar e estarmos todos em segurança. Não podemos criar aglomeração de pessoas. Isso dificulta e para nós, na restauração, é muito complicado, não conseguimos gerir. Muitas vezes as pessoas não são afáveis connosco. Do lado de lá espero que nos respeitem”, refere Carlos Catarino.

Apresentação do brunch Koisas de Ká, no restaurante D’gustar, em Abrantes. Créditos. mediotejo.net

O brunch Koisas de Ká é servido das 10h30 às 12h00, aos sábados, por 11,50 euros.

Presentes na apresentação deste brunch à portuguesa estiveram os vereadores Luís Dias e Ana Paula Grijó da Câmara Municipal de Abrantes, sendo o imóvel, situado no Largo 1º de Maio, propriedade do Município.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome