Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Abrantes | Terreno da RPP Solar comprado em hasta pública por empresa na área da canábis

O terreno e instalações da RPP Solar, entidade que tinha como objetivo criar um complexo industrial para construção de painéis fotovoltaicos, na freguesia de Concavada (EN 118), foi comprado em hasta pública por um promotor que pretende ali desenvolver um projeto “relevante para a região”. O anúncio foi dado pelo presidente da Câmara Municipal de Abrantes que, apesar de se mostrar otimista, não quis anunciar detalhes antes da efetiva implantação do mesmo. No entanto, junto aos terrenos em causa está uma placa a anunciar o investimento na área da canábis medicinal. Na mesma zona, também o antigo hotel junto à Central do Pego foi adquirido por um investidor.

- Publicidade -

A questão foi levantada na última reunião de Câmara do executivo camarário do mandato 2017-2021, esta sexta-feira, 8 de outubro, pelo vereador Armindo Silveira (BE) que questionou o presidente da Câmara sobre uma placa que observou no terreno e instalações da RPP Solar, na Concavada. Perguntando sobre se vai avançar algum projeto nesta área, o vereador pediu também um ponto de situação quanto ao processo que a Câmara interpôs em tribunal, nomeadamente sobre se vai ser ressarcida financeiramente.

O presidente da autarquia abrantina, Manuel Jorge Valamatos, confirmou a compra da RPP Solar em leilão, bem como a existência de conversações com o promotor, escusando-se no entanto a avançar mais pormenores nesta fase.

- Publicidade -

Aos jornalistas, o autarca adiantou apenas que as instalações foram adquiridas por uma empresa que “seguramente terá também capitais estrangeiros” e que o promotor é alguém “com experiência, com aceitação no mercado, no qual nós confiamos e depositamos muita esperança”.

Confirmando a existência de reuniões com os envolvidos no projeto, Manuel Jorge Valamatos não esconde o otimismo e o agrado para “a retoma daquele lugar, a compra daquele imóvel para um investimento relevante para o nosso alcance, para a nossa região”, mas admite não anunciar projetos “sem eles estarem verdadeiramente implantados porque é preciso dar este sinal de credibilidade da nossa ação”.

“Estamos a trabalhar para tentar criar as melhores condições para a instalação deste projeto. (…) Estamos muito atentos, faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que os promotores se possam instalar e desenvolver aqui os seus projetos e logo que tenhamos as questões mais consolidadas informaremos”, reiterou.

ÁUDIO | MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES: 

No entanto, o mediotejo.net deslocou-se até ao local onde é possível constatar a presença de uma placa nos antigos terrenos da RPP Solar a anunciar um investimento na área da canábis medicinal. Na placa pode ler-se “Grow Medical Cannabis” com o slogan “Inspired by nature, perfected by science” (em português, inspirado pela natureza, aperfeiçoado pela ciência) e aludindo à “maior fábrica com boas práticas de fabricação da União Europeia no mundo”.

Quanto à possibilidade de recuperar o investimento feito pela Câmara nos terrenos na altura da então RPP Solar, o presidente do Município de Abrantes respondeu em reunião de Câmara que tal informação será disponibilizada quando o assunto estiver concluído, tendo há duas semanas acontecido uma sessão em tribunal a esse respeito na qual estiveram presentes técnicos e advogados da autarquia.

Recorde-se que em 2008, Alexandre Alves e Irene de Brito adquiriram um terreno à Câmara de Abrantes por 10% do seu valor patrimonial (um milhão de euros) com o objetivo de criar um complexo industrial para construção de painéis fotovoltaicos, através de seis fábricas para produzir painéis fotovoltaicos, painéis térmicos, células, waffers, lingotes de silício.

Na altura foi anunciado um investimento de mil milhões de euros e a criação de 1.900 postos de trabalho, mas o projeto não se concretizou.

A Câmara de Abrantes avançou na altura com uma providência cautelar para o arresto dos bens da empresa RPP Solar.

Investidor adquire antigo Hotel Abrantur para projeto de requalificação na área da saúde

Também à margem da reunião de Câmara, o presidente do Município deu conta aos jornalistas de que o antigo Hotel Abrantur, próximo dos terrenos da RPP Solar e da Central do Pego, foi adquirido por um investidor que pretende requalificar as instalações.

“Neste momento estamos em conversações com os promotores, existe um projeto de requalificação e nova dinâmica na área da saúde. As coisas avançaram com esse propósito e existem alguns constrangimentos – estamos a falar de um imóvel que foi adquirido antes da pandemia, a pandemia de facto trouxe muitos condicionalismos ao investimento”, disse Manuel Jorge Valamatos, que destacou o acompanhamento do processo.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome