Abrantes | Tagus organiza caça do tesouro nas águas de Castelo do Bode

Percorrer a Albufeira de Castelo de Bode em canoa sob orientação de um mapa é o desafio que a TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior, propõe para este sábado, dia 29 de junho. O AQUApaper de Abrantes está de volta e promete ‘Divertir sem Poluir’ com muitas pistas e jogos numa autêntica caça ao tesouro em torno da praia fluvial de Aldeia do Mato.

PUB

A atleta olímpica do Sporting Clube de Portugal, a abrantina Francisca Laia será pelo segundo ano consecutivo a madrinha do AQUApaper de Abrantes, um evento lúdico de canoagem que articula a metodologia da orientação e dos rallys paper, e em que dará a partida e entregará os prémios.

Sob o mote “Divertir sem Poluir”, os participantes do AQUApaper são desafiados a percorrer a Albufeira de Castelo do Bode em canoa sob a orientação de um mapa, seguindo pistas, respondendo a perguntas e realizando jogos de habilidade.

PUB

Em equipas de dois elementos, os participantes percorrem o pequeno paraíso, de águas límpidas do Zêzere, de canoa e sob a orientação de um mapa. Pelo caminho respondem a questões sobre a região e de cultura geral, deparam-se com diferentes desafios e jogos de habilidade, com produtos e gastronomia regionais a complementar a viagem a Abrantes.

Sob o lema “divertir sem poluir”, a inscrição no evento, organizado pelo município de Abrantes e pela TAGUS – Associação para ao Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior, tem o custo de 20 euros por elemento, que inclui seguro, equipamento, almoço e um lanche ajantarado, que termina com a entrega de cabazes de produtos locais para os primeiros classificados.

As inscrições foram abertas a 29 de maio e cerca de uma semana depois já estavam esgotadas. Os participantes, como já vem sendo hábito, são maioritariamente provenientes da zona metropolitana de Lisboa. Também os residentes no concelho aderiram em peso, mas o número secundariza em relação aos vindos da capital. Nas equipas contabilizam-se elementos vindos de Mação, dos concelhos da Figueira da Foz e de Leiria e ainda do Porto e do Algarve.

A atleta abrantina Francisca Laia

Sobre a madrinha Francisca Laia:

A abrantina Francisca Laia começou desde muito cedo na canoagem, tendo sido treinada, desde 2003, por João Laia, no Clube Desportivo “Os Patos”. Em 2011, conquistou a sua primeira medalha internacional, a de bronze, em K1 200m júnior, no Canoe Sprint European Championships, repetindo o feito neste campeonato europeu em 2012, em 2014 em K2 500m, e em 2015 em K1 200m nos sub-23.

Em 2015, alcançou a primeira medalha de ouro, em K4 200m, na I Taça do Mundo. Nesse ano foi, também, vice-campeã mundial, em K1 200m, nos sub-23. E em 2016, já no Sporting Clube de Portugal, apurou-se para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro (Brasil), na categoria K1 200m, onde ficou em 8º lugar na final B. E tonou-se ainda, campeã mundial universitária, em K1 200m e K2 500m.

No ano 2017 a atleta sagrou-se campeã mundial, na Sérvia, no Canoe Sprint World Cup III em K2 com Joana Vasconcelos. Com esta última canoísta, Francisca trouxe da Bulgária duas medalhas de prata em K2 200m e 500m, no Campeonato da Europa de Velocidade.

AQUApaper em Aldeia do Mato

PUB
PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).