Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Agosto 2, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Souto em festa inaugura nova valência para os mais idosos

Com uma população envelhecida e longe das respostas sociais para os idosos com necessidades continuadas, as gentes do Souto, freguesia do norte do concelho de Abrantes, arregaçaram as mangas e, dez anos volvidos após o início da tomada de decisão, inauguraram no sábado, dia 14 de novembro, a sua nova Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI), com um investimento de cerca de 190 mil euros.

- Publicidade -

20151114_160346
Cerimónia de inauguração do lar de idoso do Souto

O investimento no novo lar, com capacidade, numa 1ª fase, para 11 utentes, contou com apoio de 75% de fundos comunitários (através da Tagus e do ProDer) e vai implicar a contratação de 4 funcionários (que se vão juntar ao 7 que já ali laboravam), tendo a ideia partido da direção do Centro de Solidariedade Social da Freguesia do Souto que adaptou um edifício já existente e que presta atualmente serviços de ação social a cerca de 30 pessoas da localidade, ao nível de centro de dia (19) e assistência domiciliária (10).

- Publicidade -

O novo lar não conta ainda com acordos assinados com a Segurança Social pelo que, segundo a diretora técnica, Inês Vicente, cada utente vai ter um pagamento mensal de 850 euros. “Valores incomportáveis para esta comunidade rural e para as suas reformas”, observou aquela responsável.

20151114_160302
Inês Vicente, a diretora técnica do Centro Social do Souto

“O valor de 850 euros por mês é muito alto porque a população cresceu em meio rural, as reformas são muito baixas e a maior parte das pessoas, as que mais necessitam deste serviço, não conseguem pagar este valor”, destacou, por sua vez, a presidente da direção do Centro Social, Antónia Pedro Nunes, tendo observado que o pedido à Segurança Social de Santarém para apoio ao nível da assinatura de protocolos “já foi feito. Ainda não sabemos de nada, em termos de resposta”, afirmou, como quem diz, que quem quiser beneficiar do serviço terá de pagar, pelo menos para já, aquela verba.

20151114_155353
Entidades convidadas para a cerimónia de inauguração da ERPI do Souto

À cerimónia de inauguração da nova resposta social para Idosos, a população residente respondeu com a sua presença, num dia revelador do espírito de união e partilha de sentimentos da comunidade pelo trabalho desenvolvido pela equipa do Centro de Solidariedade Social da Freguesia do Souto.

20151114_155436Na cerimónia, que contou com a presença do diretor da Segurança Social de Santarém, Tiago Leite, e da presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, entre deputados à Assembleia da República (Duarte Marques), alguns vereadores e deputados municipais, os discursos de aplauso e reconhecimento pelo meritório objetivo agora alcançado foram entre-cortados com pedidos e observações a Tiago Leite para a premência da assinatura de alguns acordos financeiros, a bem de uma redução da prestação mensal a pagar por quem menos posses tem.

ERPI1
Antónia Nunes, presidente da direção

ERPIO responsável pela Segurança Social do distrito de Santarém disse à população ter “procurado mas não encontrado” disponibilidades financeiras de momento, tendo deixado a promessa de que, “perante tanta envolvência e reconhecimento da população pela necessidade da criação deste lar de idosos, o Centro de Solidariedade Social da Freguesia do Souto está na linha da frente para receber apoios ao nível de acordos a celebrar com a Segurança Social. Assim que houver disponibilidades financeiras para tal”, notou.

ERPI2

Um dia que foi de festa e que contou com a presença de ilustres convidados nesta freguesia cravada no Abrantes profundo, rodeada de verde pinhal e banhada pelas águas da albufeira de Castelo do Bode.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome