- Publicidade -

Abrantes | Sónia Tavares e Paulo de Carvalho conquistaram o Castelo (c/ vídeo)

A cidade de Abrantes comemorou o seu 102º aniversário esta quinta-feira, dia 14 de junho, com diversas iniciativas e o ponto alto foi o concerto Bravo Abrantes que, este ano, juntou as vozes de Sónia Tavares e Paulo de Carvalho no Castelo / Fortaleza. A acompanhar os temas que o público sabia de cor e nos quais fez coro esteve a Orquestra Ibérica dirigida pelo maestro Nuno Feist. Nós estivemos lá e, sim, também cantámos no espetáculo que fez esquecer o vento frio por momentos.

O Dia da Cidade já é sinónimo de concerto Bravo Abrantes no Castelo / Fortaleza, que junta artistas de renome em concertos com interpretações a solo e duetos inéditos. Os convidados deste ano foram Sónia Tavares, vocalista dos The Gift, e Paulo de Carvalho, figura incontornável da cultura portuguesa com mais de meio século de histórias no mundo da música.

Muitos dos visitantes que foram chegando à cidade ao longo do dia começaram a noite no Jardim da República ao som dos ritmos cubanos da banda “Union Salsera” e com o sabor dos petiscos portugueses nas tasquinhas. Já no topo da colina, o ambiente era menos “caliente” em todos os sentidos, mas o vento fresco acabou por ser esquecido no momento mais aguardado do feriado municipal.

Os músicos cantaram acompanhados pela Orquestra Ibérica dirigida pelo maestro Nuno Feist. Foto: mediotejo. net

O público foi chegando em massa, este ano sem cadeiras a separá-lo dos artistas, e o Bravo Abrantes começou em força com a interpretação da Orquestra Ibérica, dirigida pelo maestro Nuno Feist, e os primeiros efeitos pirotécnicos que foram pontuando o espetáculo. O ponto alto foram os três encontros das vozes de Sónia Tavares e Paulo de Carvalho.

Os duetos foram iniciados com “Gaivota”, interpretado por Sónia Tavares no projeto Amália Hoje, e marcaram o final com o tema “E Depois do Adeus”, com que Paulo de Carvalho venceu a 12ª edição do Festival da Canção e se viria a tornar inseparável da revolução do 25 de Abril. O público sabia estas e as restantes letras de cor e foi fazendo coro até aos aplausos finais.

Paulo de Carvalho. Foto: mediotejo.net

Depois do adeus, parte do público não deixou a colina abrantina e ficou pela Praça Dom Francisco de Almeida com a música eletrónica da ex-manequim Merche Romero, na pele de Djane Merche. A maioria rumou a casa uma vez que a meia-noite já tinha feito a ponte para um novo dia de trabalho e o ritmo da cidade só abranda na manhã de segunda-feira, dia 18.

Até domingo estão previstas inúmeras iniciativas culturais. Algumas são pontuais e outras diárias, como a animação de rua da Academia Músicos de Abrantes (AMA), o espaço dedicado à doçaria local, a Feira de Sabores e Tradições, o Smart Loung e as diferentes propostas do Edifício Milho que vão do design urbano aos bordados, passando pelas cidades inteligentes, artesanato e instituições do concelho.

Sónia Tavares. Foto: mediotejo.net

Também até dia 17, a Praça Raimundo Soares tem instalado o espaço “Serralves em Abrantes”, onde as famílias podem usufruir de diversos espetáculos com artes circenses e sensoriais entre as 18h00 e as 22h00 nos dias úteis, juntando-se o horário das 11h00 às 13h00 durante o fim-de-semana. No Jardim da República, o palco está preparado para receber Belito Santos na sexta-feira, a Banda 6 Latinos no sábado e o grupo Semáforo no domingo, sempre às 20h00.

Pela Praça Barão da Batalha passam Diogo Piçarra, às 22h00 no dia 15, assim como o projeto “Vozes da Nossa Terra” do Agrupamento de Escolas n.º 1 de Abrantes e a Festa m80, às 11h00 e 21h30 de dia 16, respetivamente. É Capicua quem aqui encerra o programa com o concerto marcado para as 22h00 do último dia. Na Praça Dom Francisco de Almeida, as noites são mais longas na sexta-feira com o Dj Nuno Calado e no sábado com o Dj Barral, ambos a partir da meia-noite.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -