Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes/Sardoal | Dia mais curto do ano é também de curtas-metragens

O formato curto do cinema volta a ter destaque na nova edição do “Dia Mais Curto”, organizada pela Agência da Curta Metragem, que regressa ao Médio Tejo com propostas para cinéfilos de todas as idades em Abrantes, no dia 14, e Sardoal, no dia 20. As datas das sessões são próximas de 21 de dezembro, o dia mais curto do ano, que dá o mote para a iniciativa promovida em parceria com o Espalhafitas Cineclube.

- Publicidade -

Os concelhos integram a lista dos 34 locais do país que recebem filmes portugueses e estrangeiros divididos em quatro programas distintos. Pela região passam três com as “Curtinhas para Todos” e as “Novas Curtas Portuguesas” a serem exibidas no Cineteatro S. Pedro (Abrantes), às 10h00 e às 15h30 de dia 14, respetivamente, e as “Curtas do Mundo” a surgirem na tela do Centro Cultural Gil Vicente (Sardoal), às 21h30 de dia 20. O quarto programa, “Amiguinhos”, não é exibido.

Fique a conhecer os programas e respetivas curtas-metragens*:

- Publicidade -

Curtinhas para Todos. Fotos: DR

CURTINHAS PARA TODOS
(Duração 51’ · M/6)

Há filmes que nos fazem sorrir pelas razões mais diversas, seja pelas situações inusitadas que nos despertam o riso, seja pelos temas mais sérios e oníricos que evocam e que tão bem a animação trata. Plasticamente tudo é passível de animar, e animar é dar vida a pequenos recortes, a desenhos no papel, personagens e cenários engendrados e modelados através de técnicas digitais mais sofisticadas. Importa perceber o quanto nos pode dizer um filme, desde a simples contemplação de um dia, às pequenas grandes lições de vida. 5 pequenos filmes que nos fazem jubilar e pensar no sentido da vida e das relações com o outro.

Caminho dos Gigantes
Alois di Leo, Brasil, 2016, ANI, 11’52″‘
Numa floresta de árvores gigantes, Oquirá, uma menina indígena de 6 anos, vai desafiar o seu destino e entender o ciclo da vida.

Passeio de Domingo
José Miguel Ribeiro, Portugal·Bélgica·França·Holanda, 2009, ANI, 20′
São capazes de guardar um segredo?… Este domingo vai ser diferente. Nem pomos os pés dentro do carro. A mãe e o pai não vão discutir e nós vamos brincar num jardim de couves gigantes.

O Homem de Bolso (Le Petit Bonhomme de Poche)
Ana Chubinidze, França 2017, ANI, 7′
Em “O Homem de Bolso”, um homem muito pequeno junta-se a um velhinho cego e, juntos, são imparáveis.

Foi o Fio
Patrícia Figueiredo, Portugal, 2014, ANI, 5′
Uma mulher novelo, uma velha mulher que passa os dias a olhar pela janela e uma vendedora de roupa caída dos estendais. Todas estão unidas por um fio. As três conduzem as ações de outras personagens e o inevitável destino de uma mulher com o marido às costas.

Jubileu (Jubilé)
Coralie Soudet, Charlotte Piogé, Marion Duvert, Marion El Kadiri, Agathe Marmion, França, 2016, ANI, 7′
A vida não é assim tão calma para o cão real nem para um guarda real.

Novas Curtas Portuguesas. Fotos: DR

NOVAS CURTAS PORTUGUESAS
(Duração 73’ · M/12)

A curta-metragem portuguesa tem vindo a ser reconhecida pela sua qualidade em festivais de cinema de todo o mundo, revelando todos os anos novos e talentosos cineas- tas. Como acontece todos os anos, a programação do Dia Mais Curto é mais uma oportunidade de conhecer alguns desses novos autores e as histórias que têm para nos contar. O programa inclui o favorito do público da última edição do Curtas Vila do Conde, “Surpresa”, e os sucessos inter- nacionais “Água Mole”, presente este ano na selecção de Cannes, e o Urso de Ouro do festival de Berlim, “Cidade Pequena”.

Thursday Night
Gonçalo Almeida, Portugal, 2017, FIC, 7’36”
Durante a noite, um estranho presta uma visita a Bimbo, para lhe entregar uma mensagem importante.

Última Chamada
Sara Barbas, Portugal·Reino Unido, 2016, ANI, 11’30”
Catarina (uma gata) cruza-se com uma velha paixão, Diogo (um cão) na fila para a inspeção das bagagens no aeroporto. Têm uma conversa de circunstância que se adivinha muito constrangedora. São sucessivamente interrompidos por pequenos incidentes resultantes das medidas de segurança do embarque, enquanto se apercebem de um enorme erro do passado.

Água Mole
Alexandra Ramires (Xá), Laura Gonçalves, Portugal, 2017, ANI·DOC, 9’15”
Os últimos habitantes de uma aldeia não se deixam submergir no esquecimento. Num mundo onde a ideia de progresso parece estar acima de tudo, esta casa flutua.

O Homem Eterno
Luís Costa, Portugal, 2017, DOC·FIC, 15′
Bernardino Fernandes emigrou para o Canadá em 63. Ao longo de duas décadas filmou centenas de bobines Super 8, organizando-as de forma metódica e obsessiva. O Homem eterno termina um processo antigo, transformando a vontade de cinema de Bernardino num filme sobre as imagens da sua memória.

Surpresa
Paulo Patrício, Portugal, 2017, ANI·DOC, 8’40”
Curta-metragem de animação documental que tem como base uma conversa gravada entre mãe, Joana, e filha, Alice, com 3 anos de idade e a recuperar de um cancro do rim. Ao longo da conversa falam, de uma forma muito aberta e franca, sobre a doença, o presente, as lutas e conquistas de ambas.

Cidade Pequena
Diogo Costa Amarante, Portugal, 2016, DOC·EXP·FIC, 19′
Um dia, Frederico aprende na escola que as pessoas têm cabeça, tronco e membros, e que se o coração pára as pessoas morrem. Nessa noite, ele não dormiu. Acordou a mãe várias vezes de madrugada e disse-lhe que lhe doía o peito.

Curtas do Mundo. Fotos: DR

CURTAS DO MUNDO
(Duração 74’ · M/12)

Esta é uma sessão de curtas internacionais que apresenta várias visões do mundo nos dias de hoje, desde a guerra na Síria ao quotidiano na capital do Irão, passando pelos habitantes de um parque de campismo em Portugal, sem esquecer o espírito da época natalícia dado em tom de comédia social pela curta franco-belga “Kapitalistis”.

Saudações Desde Aleppo (Greetings From Aleppo)
Thomas Vroege, Issa Touma, Floor Van Der Meulen, Holanda-Síria, 2017, DOC, 16′
“Greetings from Aleppo” apresenta-nos uma visão da guerra na Síria que, para além de soar extremamente verdadeira, é muito distinta daquela a que estamos habituados.

Retocar (Retouch)
Kaveh Mazaheri, Irão, 2017, FIC, 20’
O marido de Maryam tem um acidente doméstico, mas esta fica impávida a vê-lo morrer em vez de tentar ajudar. Este filme venceu o Prémio do Público no 25º Curtas Vila do Conde.

A Comunidade
Salomé Lamas, Portugal, 2012, DOC, 23′
O filme “A Comunidade” propõe um olhar sobre o mais antigo parque de campismo de Portugal.

Kapitalistis
Pablo Muños Gomez, Bélgica-França, 2017, FIC, 15’
“O Pai Natal é um capitalista. Traz brinquedos para os filhos dos ricos e roupa para os filhos dos pobres.” Nikos, 5 anos.

* informação da Agência da Curta Metragem

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome