Abrantes | Saneamento básico e alegadas descargas ilegais geram acesa discussão entre vereadores do BE e PSD (c/áudio)

Reunião de Câmara de Abrantes, 1 de setembro de 2020. Foto: mediotejo.net

O vereador Rui Santos (PSD) admite enviar uma certidão da ata da reunião do executivo de Abrantes de dia 1 de setembro para o Ministério Público após as afirmações proferidas pelo vereador Armindo Silveira (BE) de que existem munícipes a realizar descargas ilegais de fossas sépticas para uma ribeira na aldeia de Brunheirinho. Rui Santos exige que Armindo Silveira entregue à Câmara o nome dos responsáveis por tais atos até à próxima reunião do executivo. O vereador do BE, por seu lado, defende que a exposição do assunto foi uma “intervenção política” e afirmou não admitir ameaças.

PUB

Durante o espaço destinado à intervenção dos vereadores na reunião do executivo da Câmara de Abrantes desta terça-feira, dia 1 de setembro, o vereador Armindo Silveira (BE) questionou a autarquia acerca da rede de saneamento básico, nomeadamente na zona de Vale Zebrinho, em São Facundo.

O vereador do Bloco de Esquerda lembrou que estava previsto no programa eleitoral do PS nas autárquicas de 2013 a instalação de uma rede de saneamento básico nessa zona, referindo que o município estava a falhar com o compromisso eleitoral ao não avançar com o investimento.

PUB

Armindo Silveira questionou também sobre a “aparente” cobrança que é feita aos munícipes dessa aldeia, cujo saneamento é feito por fossa séptica, a partir da quarta limpeza realizada pelos serviços municipais.

Em resposta, o presidente do Município de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos (PS), deu conta de que quando há necessidade de fazer mais do que três limpezas anuais das fossas sépticas, apesar de estar no regulamento definida a cobrança, a empresa responsável – a Abrantaqua – não cobra nenhum pagamento aos cidadãos.

PUB

 

Manuel Jorge Valamatos reiterou também que a autarquia não abandonou a ideia da rede de saneamento e que está a ser desenvolvido “um estudo de sustentabilidade ambiental e financeira para a valorização de rede de saneamento”, com incidência, nomeadamente, nas zonas de Água Travessa e Vale Zebrinho.

Em declarações ao mediotejo.net, o presidente do Município de Abrantes reforçou a ideia de que 96% do concelho de Abrantes tem cobertura de saneamento, um valor que “está acima da média nacional” e clarificou que existem duas maneiras possíveis de saneamento – através de redes e por fossa séptica – no sentido de desmitificar a ideia de que não há saneamento em aldeias como Vale Zebrinho.

 

“Não ter saneamento básico corresponde a dizer que aquilo que as pessoas produzem em sua casa sai a céu aberto para a rua e os senhores isso não veem em lado nenhum”, disse em reunião camarária o presidente do Município de Abrantes.

E foi neste ponto que estalou a discussão com a intervenção do vereador Armindo Silveira (BE), que disse ter “conhecimento de que, por exemplo, no Brunheirinho” existirem pessoas que “simplesmente ligaram motores” e despejaram efluentes diretamente para uma ribeira.

Perante estas declarações, o presidente do Município de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, pediu ao vereador que lhe fornecesse o nome dessas pessoas. “Se tem conhecimento que alguém anda a sugar líquidos das fossas sépticas e a despejar diretamente para as linhas de água, o senhor devia denunciar essas pessoas. Vai ter que me dizer quem é que são essas pessoas”, afirmou.

Em resposta, Armindo Silveira diz que obteve estas informações através de “uma eleita da Assembleia de Freguesia de Bemposta, foi ela que me disse. Não disse o nome das pessoas mas disse que essa situação acontece”.

 

Rui Santos admite enviar certidão da ata da reunião para o Ministério Público

Perante a discussão em cima da mesa, o vereador social-democrata interveio. Primeiramente para congratular o Município pela elaboração do estudo acerca da viabilidade do saneamento por rede em Vale Zebrinho e Água Travessa, mas logo o tom mudou.

Sublinhando a “gravidade” da situação, Rui Santos fez notar que titulares de cargos políticos e públicos não podem vir a sessões de Câmara “fazer afirmações de munícipes em vão”, referindo que Armindo Silveira “enquanto vereador, tem mais responsabilidade do que qualquer munícipe, portanto não pode vir fazer acusações seja a quem for, sem depois dizer e provar o que está a dizer”.

“Exijo que o senhor vereador do Bloco de Esquerda entregue o mais rapidamente possível no Gabinete da Presidência toda a informação que tem acerca deste assunto (…) sob pena, se até à próxima sessão de Câmara isto não tiver acontecido, eu pedir uma certidão da ata da sessão de hoje e entregar no Ministério Público”, afirmou o vereador do PSD, reforçando que tal situação é “um crime ambiental”.

 

Por sua vez, o vereador Armindo Silveira disse não admitir “nenhuma ameaça” e criticou a intenção anunciada de Rui Santos de levar para o Ministério Público “aquilo que é uma intervenção política”.

 

Presidente da Câmara Municipal critica posição do vereador do Bloco de Esquerda

Na reta final desta discussão, o presidente do Município de Abrantes criticou a postura do vereador bloquista Armindo Silveira, acusando-o de tentar “colocar as pessoas contra a Câmara Municipal” mas acabando o BE por “dar tiros nos próprios pés” com “determinadas afirmações que depois acabam por lhe cair em cima”.

Numa reação ao mediotejo.net, Manuel Jorge Valamatos refere que a ideia deixada por Armindo Silveira foi a de que “era conhecedor de pessoas que estavam a despejar fossas sépticas a céu aberto”.

O autarca disse também que gostava que Armindo Silveira “assumisse a sua responsabilidade enquanto vereador e se tem conhecimento dessas situações, devia automaticamente denunciar às diferentes autoridades, nomeadamente à Câmara ou às forças policiais, para que pudéssemos responder de imediato”.

 

A “ameaça” do vereador do PSD ficou no ar, reiterando o pedido de entrega até à próxima reunião dos nomes dos alegados prevaricadores, tendo o vereador do BE alegado que a situação “ocorreu há mais de dois anos”, não se comprometendo com prazos para entregar os mesmos.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

1 COMENTÁRIO

  1. Isto parece uma discussão de mesa de café. Um presidente que fala aos gritos denota falta de autoridade. O vereador do PSD é um valentão e quem fala assim dá a entender que faz frente ao PS, só que na prática nunca se houve falar dele ou de que qualquer proposta que faça. É ridícula a atitude do representante do PSD e é por estas e por outras que, o PSD, jamais conseguirá ser uma alternativa credível e a perda do único representante na vereação é inevitável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here