Abrantes | Rotary homenageou Silvino Alcaravela, “um homem lutador e dedicado às causas que abraçou”

Homenagem do Rotary Club de Abrantes a Silvino Maia Alcaravela. Créditos: mediotejo.net

Silvino Alcaravela, natural da Barrada, no concelho de Abrantes, tem 74 anos e dedicou a vida à gestão hospitalar. Primeiro no Hospital de Abrantes e depois no Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT). Na terça-feira foi homenageado pelo Rotary Club de Abrantes, numa sala cheia de amigos, colegas de profissão e familiares. Visivelmente agradecido pelo reconhecimento do seu valor enquanto profissional, mas também enquanto homem, marido e até pai, Silvino Maia Alcaravela salientou que o seu sucesso, na qualidade de gestor no Hospital de Abrantes, deveu-se a um trabalho de equipa.

Entre as variadas histórias, testemunhos, elogios e até missivas que se ouviram na terça-feira na cerimónia de homenagem promovida pelo Rotary Club de Abrantes ao Profissional do Ano rotário 2019/2020, prendemos a atenção na mensagem de Fernando Pessoa: “Cumpri contra o destino o meu dever. Inutilmente? Não, porque o cumpri”. As palavras, que pretendiam ilustrar “a dedicação e a excelência” do homenageado, citou-as Joaquim Candeias da Silva, amigo há 50 anos de Silvino Maia Alcaravela, administrador hospitalar.

Muitos outros amigos, como o seu professor Joaquim Nogueira da Rocha, Alexandre Lourenço, presidente da Associação de Administradores Hospitalares, o seu outro professor de Educação Física no colégio de Alvega, Carlos Alberto, o filósofo Mário Pissarra, o médico Luís Fernandes ou os seus dois filhos recordaram passagens da vida de Silvino Alcaravela.

PUB

Salientaram o seu percurso profissional que mereceu o reconhecimento dos seus pares na gestão hospitalar nacional, falaram da grandeza do homem, do pai, do marido e do avô que nunca colocou o beneficio financeiro e os interesses pessoais no comando das suas ações, sendo por isso um exemplo a seguir e apelaram a que Silvino Alcaravela continue a ser criativo e a dar-se às causas em que acredita.

Homenagem do Rotary Club de Abrantes a Silvino Maia Alcaravela. Créditos: mediotejo.net

A vivência hospitalar e da saúde marcaram a vida de Silvino Alcaravela, nascido na aldeia de Barrada, na freguesia de São Facundo, no concelho de Abrantes, a 24 de março de 1945, curiosamente dia da Operação Varsity, a maior operação militar paraquedista lançada pelas forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial, iniciando o fim do regime nazi de Adolfo Hitler.

Naquela que é uma atividade normal na vida rotária, o homenageado classificou de grande generosidade “a aplicação dos vossos critérios” disse dirigindo-se aos companheiros do Rotary Club de Abrantes, sendo ele próprio um homem ligado às ações em prol da comunidade, como membro do Lions Clube de Abrantes.

Fez questão de explicar que o Hospital de Abrantes “o grande líder é o Dr. Luís Moura Neves Fernandes. Não há conselho de administração que funcione se não tiver integração” e esta consegue-se “na superação do chamado paralelismo de poder; do poder médico e do poder gestionário. O Dr. Luís Fernandes foi um homem que sempre conseguiu estar na liderança diplomática, porque era um grande cirurgião à acompanhar a gestão do hospital e a liderar o processo de gestão, integrando esse processo de gestão. Muitos dos hospitais portugueses não tiveram uma integração da gestão”, sublinhou Silvino Alcaravela.

O homenageado recusou assumir créditos sozinho, antes fez notar que o seu sucesso está ligado a uma equipa da qual faz parte também a enfermeira Zélia Silva e o engenheiro Nelson Baltazar. “Aquilo que fizemos, fiz com eles, um trabalho de equipa e estou muito reconhecido por ter esta companhia neste processo”, vincou.

Recordou ainda Manuel Lourenço Vitória como a pessoa que esteve na origem da sua vida profissional. “Um dia chegou à Barrada e disse ao meu pai: o rapaz tem de ir estudar (…) outra pessoa a quem também muito devo, no final do quinto ano, o Dr. Fernando Mascarenhas Loureiro disse-me: Não podes ficar aqui, tens de continuar”.

E Silvino Alcaravela continuou os estudos no liceu de Portalegre onde conviveu com uma figura que ainda hoje recorda. “O Dr. Chichorro Marcão, reitor do liceu, foi espantoso, um homem formidável. Terminei aí o meu sétimo ano com uma bolsa de estudo da Gulbenkian e lembro-me também do Dr. Renato, professor de Organização Política e Administrativa”.

Certo dia “estávamos no café e atrás José Régio. Chamou-me e disse: mostre-me lá a sua canela, mostre-me o seu pulso. Você está condenado a subir a corda a pulso. Quando subir vai levar umas pedradas e depois quando escolher os lugares, os melhores serão para outros”, conta, fazendo um especial agradecimento à sua mulher como “companheira extraordinária, de alma grande, solidária e amiga”.

Homenagem do Rotary Club de Abrantes a Silvino Maia Alcaravela. Créditos: mediotejo.net

Numa cerimónia realizada durante um jantar, na noite de 28 de janeiro, o clube rotário homenageou mais um profissional do concelho de Abrantes que se tem distinguido na sua profissão, tanto a nível local como nacional, desta vez na área da gestão hospitalar.

O presidente do Rotary Club de Abrantes, José Guilherme Moura Neves, explicou que o clube tal como “milhares de clubes do mundo inteiro homenageiam homens e mulheres que serviram a sua comunidade e que a serviram de uma forma destacada no bem servir”.

O Ano Rotário inicia a 1 de julho e termina no dia 30 de junho e todos os meses do ano têm uma área de enfoque. A do mês de janeiro é dedicada aos serviços profissionais no Rotary. Cabe a cada clube rotário homenagear um profissional da sua comunidade, uma instituição ou uma pessoa que os rotários entendam ser merecedor do conceito da Prova Quádrupla.

Ou seja, sendo o clube um grupo de profissionais trata-se de uma ação que nenhum clube rotário do mundo deixa de praticar durante o mês de janeiro, homenageando alguém que seja reconhecido na sua comunidade como um líder, independentemente do seu grau académico.

Quanto a Silvino Alcaravela “foi um homem lutador, dedicado às causas que abraçou, dedicado ao seu concelho, ao seu hospital, dedicado à área da saúde, dedicação essa que levou a que todos nós, dentro da nossa comunidade e fora da mesma, fossemos contemplados com um serviço de qualidade, diferenciado, tantas vezes considerado de excelência. Levou o nome de Abrantes aos quatro cantos do País pelas melhores razões. Como membro do Lions Clube de Abrantes, clube de serviço, tal como o Rotary serviu também a sua comunidade de uma forma desprendida e com o sentido de servir os outros”, disse José Moura Neves.

Homenagem do Rotary Club de Abrantes a Silvino Maia Alcaravela. Créditos: mediotejo.net

Durante a cerimónia, Silvino Alcaravela recebeu das mãos do presidente do Rotary uma placa com o símbolo do clube rotário e ainda um quadro onde é explicada a Prova Quádrupla.

O Rotary propõem-se ser “uma organização internacional dedicada à prestação de serviços humanitários e educacionais, constituída por pessoas que se preocupam, de forma voluntária, em melhorar a qualidade de vida dos seus semelhantes nas respetivas comunidades e em todo o mundo.

Uma entidade humanitária a política e sem vínculo religioso, aberta a todas as culturas, raças ou credos”.

Propõem-se ainda “desenvolver projetos comunitários de prestação de serviços, apoia jovens no desenvolvimento da sua educação escolar e profissional e fomenta o companheirismo como elemento capaz de criar novas amizades e proporcionar oportunidades de servir de acordo com o lema Rotary: Dar de si antes de pensar em si”.

Na cerimónia estiveram presentes muitas outras individualidades nomeadamente o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, o cónego José da Graça ou a presidente do Lions Clube de Abrantes, Maria da Luz Sécio.

Em 2019, o Rotary Club de Abrantes homenageou o chef Fernando Correia e no ano anterior havia homenageado o Agrupamento de Escuteiros 172 de Abrantes.

Nota Curricular de Silvino Alcaravela:

Silvino Maia Alcaravela nasce em Barrada, da freguesia de São Facundo em 24 de março de 1945, filho de Manuel Lourenço Alcaravela e de Guilhermina Maria, ligados à indústria de panificação e à agricultura;
Frequenta a escola primária na Barrada e faz o 2º ciclo do Colégio de Santo António em Alvega, que termina com elevada classificação, que lhe permite conquistar a bolsa de estudo da Gulbenkian, com que realizaria o 3º ciclo no Liceu de Portalegre e os 5 anos da licenciatura no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa (1965/1970);
Em 6 de Setembro de 1970 casa com Otília Maria Rodrigues Maia Alcaravela, professora do ensino básico; tiveram dois filhos, o João Nuno, em 1971 e o Jorge Manuel em 1974, que lhes deram seis maravilhosos netos, que alegram a sua vida (o Tomás, a Joana, o Diogo, a Sofia, o João e a Alice);
Um mês após o casamento é incorporado no 4º turno de cadetes em Mafra, tendo sido selecionado para a especialidade de Ação Psicológica na Escola Prática de Administração Militar;
Após a Especialidade é convocado para a Guiné como Alferes miliciano em comissão civil, em Maio de 1971, onde iria substituir o então capitão Otelo Saraiva de Carvalho no Centro de Informação e Turismo .
Terminado o serviço militar em Maio de 1973 , ingressa no COCASE, empresa de consultoria na área da Gestão de pessoal, ligado a 32 das maiores empresas portuguesas, na elaboração de trabalhos de organização empresarial e gestão de recursos humanos, organismo de onde iria transitar para o gabinete de gestão de pessoal da CUF, o que se não concretizou, por entretanto , após 25 de Abril, ter sido efetuada a nacionalização das empresas;
É no contexto das mudanças ocorridas no pós 25 de Abril, que, em Novembro de 1975, deixa Lisboa e regressa a Abrantes para lecionar e assumir funções dirigentes nas escolas do ensino secundário de Abrantes e Tramagal;
Em 1978, a silhueta do novo hospital emergia na encosta sobranceira ao Tejo despertando o interesse pela sua candidatura à frequência do IX Curso de Administração Hospitalar, na Escola Nacional de Saúde Pública, entre 1978 e 1980, após cuja conclusão ingressa por concurso no quadro do ainda velho hospital da cidade;
É, a partir daqui, que vai desenvolver toda a sua atividade e todo o seu processo formativo num âmbito alargado além da gestão do Hospital de Abrantes.

Atividades nos domínios da investigação, docência e gestão em saúde:
Foi membro da Comissão instaladora do novo Hospital de Abrantes de 1983 a 1986 , em equipa presidida pelo Doutor Luís Moura Neves Fernandes e integrando a Enfermeira Maria Zélia Silva e o Engenheiro Nelson Baltazar;
Foi Administrador e Administrador – delegado no Conselho de Administração do Hospital de Abrantes de 1986 a 2000;
Teve uma participação intensa no processo de estruturação do Grupo Hospitalar e subsequente transformação em Centro Hospitalar do Médio Tejo ( 1995 a 2000);
Integrou o primeiro Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo EPE de 2000 a 2003;
Foi Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo EPE de 2005 a 2007 (até à aposentação);

Para além do âmbito estrito da gestão dos Hospitais onde exerceu funções, merecem referencia curricular as seguintes atividades:
Encarregado da docência da cadeira de Sistemas de Informação para Gestão do Curso de Administração Hospitalar na Escola Nacional de Saúde Pública em diversos anos entre 1985 a 2002;
Colaborador docente na cadeira de Sistemas de Informação para Gestão, do Mestrado de Gestão de Serviços de Saúde do ISCTE (2000/2004);
Colaboração com a E.N.S.P na orientação de cerca uma dezena de estágios finais de Administração Hospitalar, visitas de estudo e mais de uma dezena de arguências a convite da Escola Nacional de Saúde Pública de 1982 a 2007;
Nomeações ministeriais para diversos grupos de trabalho (Centros de Responsabilidade Integrada (CRIS) , Planeamento de Altas e Continuidade de Cuidados, etc)
Participante desde a primeira hora no Projeto de Inovação da Gestão “Sistema de Informação para a Gestão Hospitalar, desenvolvido em colaboração com a Agência Americana para o Desenvolvimento, tendo integrado o grupo de administradores, que recebeu formação nos Estados Unidos (décadas de 80 e 90).
No âmbito desta iniciativa do Ministério da Saúde, a equipe de gestão do HDA desenvolveu um conjunto de Projetos inovadores da gestão hospitalar em Portugal, projetando o nome do Hospital no panorama da saúde com resultados alcançados: o 4º lugar no ranking de eficiência dos hospitais portugueses em 1999 ( Estudo do Economista da Saúde Professor Pedro Pitta Barros Universidade Nova de Lisboa);
Estágio de Gestão em Manchester a convite do Ministério da Saúde (1996);
Formador em gestão em saúde em diversos organismos públicos e privados (Hospitais, empresas de consultoria e formação);

O seu percurso profissional mereceu o Reconhecimento dos seus Pares:
Em Abril de 2018, a Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares aprovou, por unanimidade e aclamação, a atribuição da qualidade de sócio de mérito da APAH;
Em 8 e 9 de Junho de 2018 preside à 5ª Edição das Conferências de Valor, organizadas pela APAH no Hotel dos Templários em Tomar, sobre o tema da inovação da gestão em saúde;
Na ocasião, o Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, acompanhado da então Secretária de Estado da Saúde (Rosa Matos), fizeram entrega de uma placa em” homenagem pelos serviços prestados à Gestão Hospitalar e ao Serviço Nacional de Saúde ao longo da sua carreira profissional”(sic)

Atividades Desenvolvidas fora do campo da gestão em saúde:
Assistente no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (1973/1975);
Professor Convidado da Universidade Internacional em Abrantes (1990/1993);
Professor Convidado do Instituto Politécnico de Tomar (2005/2008);
Sócio do Lions Clube de Abrantes desde 1986;
Presidente da Comissão de Pais da Escola Doutor Manuel Fernandes(1990…)
Vice-Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Abrantes (2010/2016);
Presidente da Assembleia Geral da Liga de Amigos do Hospital de Abrantes do CHMT(atual).
Presidente da Assembleia Geral da Associação Ecocinegética Barrada-Esteveira (atual)
Hoje reparte o tempo no apoio à família e combate o stress em atividades campestres.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here