Abrantes | Repavimentação da Avenida D. João I “em vésperas” de arrancar

Obras na Av. D. João I em Abrantes

A adjudicação da empreitada da obra ‘Repavimentação e Sinalização Horizontal da Avenida D. João I”, em Abrantes, foi aprovada por unanimidade esta terça-feira, 18 de agosto, em reunião de Executivo municipal. A obra, no valor de 300 mil euros e com um prazo de execução de seis meses, será da responsabilidade da empresa Contec – Construção e Engenharia, S.A..

PUB

Em declarações aos jornalistas o presidente da Câmara Municipal começou por dizer que o concelho de Abrantes “é um território enorme” e como tal com estradas que necessitam de ser reabilitadas e que, “pelo tempo, pela utilização, começam a apresentar fragilidades”.

Para Manuel Jorge Valamatos (PS), a Av. D. João I “é estruturante ao exemplo de outras que estamos também a evidenciar ações de estudo e trabalho de projeto de reabilitação, como fizemos na estrada do Maxial, na estrada de Bicas em Tramagal, na estrada da Barca do Pego. Estradas que há muitos anos precisavam de intervenção e agora temos a D. João I que estava à espera do momento certo” para ser reabilitada, apesar de “criar alguns condicionalismos de trânsito”, afirmou.

PUB

Após “procedimentos que demoram algum tempo” desde o projeto até à adjudicação da obra, “estamos em vésperas de iniciar a intervenção, repavimentação e toda a sinalização horizontal”, sendo que esta última decorrerá numa segunda fase, segundo explicou o vice-presidente João Gomes durante a reunião de Câmara.

O procedimento, no qual propõe a adjudicação à empresa Contec – Construção e Engenharia, S.A., foi hoje aprovado por unanimidade, com um montante de 293.962,16 euros (acrescidos de IVA à taxa legal em vigor) e um prazo de execução de seis meses, embora o Executivo acredite estar pronta em quatro meses.

PUB

Em carteira, o executivo tem ainda um conjunto de outras intervenções na cidade e no concelho, disse Manuel Jorge Valamatos. A outra entrada na cidade, a Avenida do Paiol, “também está na lista” tal como “outro processo de requalificação: toda a zona do Rossio ao Sul do Tejo até à Arrifana”, avançou.

O presidente defende que os contratos interadministrativos com as Juntas de Freguesias “têm facilitado a celeridade dos processos. Têm permitido fazer alguma reabilitação da rede viária de forma muito significativa. Por exemplo nas Mouriscas foram feitas várias repavimentações, em Alvega, em Tramagal… Temos feito muitas centenas quilómetros de reabilitação das nossas estradas. Algumas pelo seu volume financeiro e técnico não permitem os contratos interadministrativos e obrigam a procedimentos de gestão direta do Município”, deu conta o autarca.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here