Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Regeneração urbana em curso de 12 milhões muda face da cidade (C/VIDEO e FOTOS)

Um investimento na ordem dos 12 milhões de euros está a decorrer em Abrantes, com seis milhões de euros dedicados a espaços culturais, como sejam o novo Museu Ibérico de Arte MIAA), O Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida, e a requalificação da Galeria Municipal de Arte – QuARTel.  A cidade está como que transformada em estaleiro a céu aberto, com mais seis milhões de euros em obras em curso nos planos educativo, de mobilidade, fruição e acessibilidade ao centro histórico, também vários pontos do concelho.

- Publicidade -

“Estes projetos de regeneração urbana representam um investimento global na ordem dos 12 milhões de euros (ME), dos quais 7,5 ME a fundo perdido, sendo que grande fatia do investimento está alocado a investimentos estruturantes ao nível cultural na cidade, com a criação de equipamentos em imóveis que estavam degradados” no centro histórico, disse aos jornalistas a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, no final de uma visita que decorreu durante o dia de sexta-feira aos trabalhos em curso, e em diferentes estados de implementação.

Convento de São Domingos vai converter-se em Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

Maria do Céu Albuquerque deu ainda conta que os investimentos em curso, nos diferentes setores, resultam do apoio financeiro e de diretivas de fundos comunitários para regeneração urbana, em política que “assenta na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos” e no “aumento de competitividade dos territórios”.

Estas obras estão integradas nas intervenções de regeneração urbana – recuperação de património municipal – mas também integram a “estratégia de oferta de produtos turísticos que atraiam mais pessoas para o território do concelho” de Abrantes, “diferenciando-se pela aposta na vertente cultural, lúdica e educativa”, tendo exemplificado com os três projetos em curso na área cultural e cujo investimento ultrapassa os seis milhões de euros.

O antigo Convento de São Domingos está a ser recuperado, requalificado e ampliado e vai transformar-se em Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes (MIAA), um investimento de 3,1 ME, e que deverá estar concluído no primeiro semestre de 2019.

São cerca de cinco mil as peças que integram as coleções da Fundação Estrada de ourivesaria ibérica, armaria e arte sacra dos séculos XVI a XVIII, além de coleções de numismática, arquitetura romana, medieval e moderna, relógios de várias épocas e uma exposição de arqueologia e história local. O MIAA vai ainda acolher o acervo da pintora Maria Lucília Moita.

Por outro lado, com um investimento associado de 2,1 ME, o município de Abrantes vai proceder ao restauro, reabilitação e ampliação do Edifício Carneiro tendo em vista a instalação do Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida.

Vale da Fontinha vai ter bolsa de estacionamento de 312 lugares e acolher mercados e feiras. Foto: mediotejo.net

As obras representativas das várias fases do percurso de mais de meio século da atividade artística do escultor Charters de Almeida ficarão expostas no interior e no exterior do edifício que já foi escola e hoje é espaço cultural, e onde, para além dos espaços expositivos interiores, para acolhimento de exposições de caráter permanente e temporário, será instalado um auditório polivalente.

Ainda no plano cultural, além de diversos apoios e investimentos diretos de cerca de três centenas de milhar de euros em património religioso, destaque para a reabilitação e requalificação da atual Galeria Municipal de Arte, um investimento de 1,2 milhões de euros que vai permitir a instalação de um Museu de Arte Contemporânea – pólo 2.

A estratégia definida para a regeneração urbana de Abrantes, que assenta nos pilares da habitação, do comércio e serviços, e na fruição cultural, está associada a um investimento que, segundo a presidente da Câmara Municipal, “permitirá uma afirmação cultural muito forte no contexto nacional e internacional, tornando público o acesso a uma coleção de valor inestimável e de foro privada, além da criação de um grande centro cultural que complementará as várias funções do centro histórico, como as residenciais, administrativas e comerciais”.

Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida vai nascer da requalificação do Edifício Carneiro. Foto: mediotejo.net

Ao longo dia foram dados a conhecer outros projetos em curso na cidade e em algumas freguesias, sendo de destacar, no plano educativo, a construção de um novo centro escolar no antigo Colégio de Fátima, (três milhões) e da escola de Mouriscas (83 mil euros), a instalação da Loja do Cidadão (600 mil euros), a requalificação do Vale da Fontinha em zona de mercado e feiras com criação de bolsa de estacionamento para 312 viaturas (944 mil euros), instalação de conduta para abastecimento de águas ao sul do concelho (709 mil euros), requalificação do Largo 1 de maio (370 mil euros), uma nova Unidade de Saúde Familiar em Rossio ao Sul do Tejo (307 mil euros), e a requalificação do açude insuflável no Tejo (400 mil euros), entre outros projetos que estão em curso.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

  1. Um plano algo ambicioso e exequível, contudo pouco abrangente. No meu entender esqueceram o jardim do castelo um dos potenciais ex-líbris da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome