- Publicidade -

Sexta-feira, Janeiro 21, 2022
- Publicidade -

Abrantes | Quercus alerta para corte de sobreiros na Herdade de Cadouços

A Associação ambientalista Quercus foi alertada para o corte de cerca de 80 sobreiros verdes, sem autorização, na Herdade de Cadouços, em Bemposta, Abrantes, avança em comunicado a Associação Nacional de Conservação da Natureza.

- Publicidade -

Segundo o que apurou a Quercus, existirá autorização do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) para abate de 34 sobreiros decrépitos, mas por indicações de um responsável da empresa foram cortados cerca de 80 sobreiros verdes sem que o abate tenha sido autorizado pela Autoridade competente.

A Associação classifica a situação de “alguma gravidade” dado o corte ter sido efetuado num povoamento de sobreiros protegido e também “por existir pretensão de novas plantações de eucaliptos em áreas de vinha e pinhal na mesma propriedade”.

- Publicidade -

Entretanto, a Quercus alertou o Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR) e os serviços do ICNF para que sejam apuradas responsabilidades sobre o corte ilegal dos sobreiros e também no sentido de evitar novas situações que contribuam para a degradação do montado.

A Herdade de Cadouços é uma propriedade com cerca de 489 hectares, e localiza-se junto de Água Travessa, na freguesia da Bemposta, concelho de Abrantes, e atualmente encontra-se à venda, pertencendo ao fundo FUNGERE – Grupo Novo Banco – Gestão de Ativos.

- Publicidade -

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome