Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Proposta do PSD para diminuir fatura da água chumbada em reunião de Câmara

Inspirada no projeto de Lousada, a vereadora social democrata, Paula Moura Ramos, apresentou uma proposta que através da reciclagem de resíduos, especificamente na criação de um projeto em que a entrega separada de papel/cartão, plástico, metal e vidro pelos munícipes do concelho de Abrantes na Valnor pudesse diminuir a fatura da água. A proposta foi chumbada com os votos contra do Partido Socialista, justificando a presidente não ser permitido “subsidiação entre os vários sistemas” sendo o tarifário calculado “com base em regras nacionais”. A recomendação do PSD contou ainda com a abstenção do Bloco de Esquerda.

- Publicidade -

O que o PSD “propõe vem na sequência de uma informação veiculada através da comunicação social do que está a ser feito em Lousada. Não são realidades comparáveis porque em Lousada é o município que faz a gestão total dos resíduos incluindo os reciclados” disse Maria do Céu Albuquerque, esta terça-feira 21 de agosto, em reunião de executivo camarário.

Explicou que, contrariamente, em Abrantes, “os resíduos sólidos urbanos, nomeadamente aquilo que é reciclado, é gerido pela Valnor e não podemos diminuir o valor da fatura da água com os resíduos sólidos urbanos, nem a ERSAR iria permitir”. Em causa a impossibilidade de “subsidiação entre os vários sistemas” ou seja “o sistema da água serve para gestão e investimento na água, o do saneamento no saneamento e dos resíduos no dos resíduos sólidos”, refere a presidente.

- Publicidade -

Tal qual “não é possível”, segundo Maria do Céu Albuquerque, o município de Abrantes propor à Valnor “que faça essa diminuição do tarifário” porque “guiam a tarifa com base numa regulamentação nacional e que não depende de nós”.

O que faz o Município de Abrantes e a Valnor são ações de sensibilização, considerando ser importante colocar a tónica na redução. “Estimular os munícipes a reciclarem, a reutilizarem e a reduzirem cada vez mais. Importa também diminuir o que vai para aterro seja de matéria orgânica seja não orgânica, não reciclada”, portanto “é uma proposta que não podemos aceitar, pese embora percebamos a sua bondade”, sublinhou a autarca, alertando para a importância da reciclagem após a impossibilidade de reduzir ou reutilizar “um trabalho que tem de continuar”.

Reunião de CM de Abrantes

“É de facto complexo!” admite, por seu lado, o vereador Manuel Valamatos, presidente do conselho de administração dos Serviços Municipalizados de Abrantes. “Estamos num sistema em que o reciclado/diferenciado é gerido pela Valnor, não podemos a todo o tempo substituir-nos à Valnor”, no entanto, assume a “preocupação” de colocar em aterro “a menor quantidade possível” de lixo.

Dando conta que falou com o vereador responsável pelo projeto na Lousada, garante não ser como foi contado através da reportagem televisiva.

“Não é a diminuição do valor da fatura da água que acontece. Existe diminuição naquilo que diz respeito aos resíduos sólidos urbanos e o trabalho é feito de três em três meses e parece que é a fatura da água que diminui, mas o que diminui é o somatório de três meses na fatura dos resíduos sólidos urbanos”, explicou, tendo assegurado que no concelho de Abrantes “existe um trabalho enorme a esse nível” e o executivo “está a acompanhar” a Valnor.

O Bloco de Esquerda optou pela abstenção. “A curto ou médio prazo tem de existir uma forma diferente de lidar com a fatura do ambiente”, disse Armindo Silveira, considerando “errado” a proposta referir “fatura da água” uma vez que no seu entender deveria constar “fatura do ambiente”.

A proposta do PSD definia a seguinte recomendação: “A reciclagem dos resíduos é uma missão que deve envolver toda a comunidade, pretende-se alertar o cidadão para a importância dos pequenos gestos do dia a dia que podem proteger o ambiente e os recursos naturais. Pretende-se sensibilizar e envolver a comunidade na adoção de boas práticas”. Assim propunham “aumentar a separação de resíduos e o aumento dos quantitativos de papel/cartão, embalagens de plástico, metal e vidro entregues na Valnor. Nesse sentido recomendamos a criação de um projeto em que a entrega separada de papel/cartão, plástico e vidro pelos munícipes possa diminuir o valor da fatura da água, devendo para o efeito ser criado um regulamento que defina o valor a ser atribuído por Kg de resíduos entregues devidamente separados”.

A vereadora Paula Moura Ramos foi a única a votar favoravelmente a proposta.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome