Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Praia de Aldeia do Mato com Bandeira Azul pelo oitavo ano consecutivo

A Praia Fluvial está pronta a receber os banhistas. Conta com duas piscinas na zona de banhos, bar de apoio, alojamento local, parque de merendas, cable de wakeboard, dois nadadores salvadores e Bandeira Azul, tal como a Bandeira Acessível, a comprovar tratar-se aquela praia da União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto de acesso a todos. A época balnear iniciou no dia 1 de julho, mas foi no início da tarde desta quinta-feira, dia 5, que se hasteou a Bandeira Azul, certificando a qualidade daquele espaço de lazer do concelho de Abrantes.

- Publicidade -

A Praia Fluvial de Aldeia do Mato, no concelho de Abrantes, viu esta quinta-feira serem hasteadas duas bandeiras: a de Praia Acessível a todos e a Bandeira Azul, galardão que é sinónimo de qualidade e respeito pelo ambiente.

Na presença, do vereador da Cultura da Câmara Municipal de Abrantes, Luís Dias, do presidente da Junta de Freguesia Álvaro Paulino e outras entidades, nomeadamente do Ministério da Saúde e da Associação Portuguesa do Ambiente, as bandeiras hastearam-se pelas mãos dos autarcas com a ajuda de Ernesto Damásio do concessionário Segredos da Aldeia Nova Aventura.

- Publicidade -

Praia Fluvial de Aldeia do Mato já tem Bandeira Azul. Luís Dias, Álvaro Paulino e Ernesto Damásio

Este é o oitavo ano consecutivo que a Praia Fluvial de Aldeia do Mato merece Bandeira Azul, e tal distinção “assegura tranquilidade e renovação da confiança”, considerou Luís Dias. “É o reconhecimento da qualidade da água e da questões ligadas às acessibilidades tão importantes nos dias de hoje”, resultado de “um trabalho consecutivo” que não pode parar. “As análises são frequentes com o Município a acompanhar todo o processo” garante ao mediotejo.net o vereador Luís Dias.

Um galardão que “responsabiliza mas também envaidece”, acrescenta, para falar na “valorização em massa de um dos maiores tesouros do concelho de Abrantes”, referindo-se à iniciativa 180 Creative Camp, e ao concerto musical dos Fugly (integrado no programa), que ali decorreu esta tarde.

O galardão Bandeira Azul tem como objetivo educar para o desenvolvimento sustentável em praias costeiras, fluviais e lacustre, portes de recreio e marinas e embarcações de recreio e ecoturísticas que se candidatem e cumpram um conjunto de critérios relacionados com Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água Balnear, Gestão Ambiental, Segurança e Serviços, Responsabilidade Social e Envolvimento Comunitário.

Reconhece a existência de cada vez mais pessoas preocupadas com o ambiente e com a qualidade da água onde vão a banhos, recusando praias “que não oferecem garantias para a saúde e bem estar, sendo essencial a questão da segurança”.

Relativamente aos nadadores salvadores, “a legislação sofreu uma alteração significativa. Os concessionários são obrigados a terem em permanência nadadores salvadores ao contrário do que acontecia anteriormente, permitindo que os vigilantes garantam a segurança dos banhistas. É mais um investimento mas também outra garantia de bem estar”, considerou.

O verde já desponta nas encostas em redor da Praia Fluvial de Aldeia do Mato, depois dos incêndios do ano passado. Foto: mediotejo.net

Os critérios do Programa Bandeira Azul para praias estão divididos em quatro grupos: Informação e Educação Ambiental; Qualidade da Água; Gestão Ambiental e Equipamentos; Segurança e Serviços.

A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade que distingue o esforço de diversas entidades em tornar possível a coexistência do desenvolvimento local a par do respeito pelo ambiente, elevando o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente lacustre, bem como o costeiro e marinho.

Além dos banhos, há a prática de wakeboard, “que finalmente vai arrancar sem grandes sobressaltos” disse, referindo-se aos incêndios “devastadores” do verão passado que queimaram parte da vegetação da Albufeira de Castelo de Bode, nomeadamente em Aldeia do Mato. Um ano depois, repara, “é bom ver o verde renovado e as dinâmicas associadas”.

Luís Dias salientou também “o trabalho que está a ser feito no âmbito da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo para a valorização de todas as praias fluviais da Albufeira de Castelo de Bode”, que em 2018 apresenta “um plano de atividades bastante intenso. Vamos ter esse reflexo este fim-de-semana” observou.

Referiu ainda a “dinâmica” da Associação de Empresários de Castelo de Bode, que “vai ter na praia durante o verão algumas iniciativas que se pretendem regulares nos próximos anos”.

A Praia Fluvial de Aldeia do Mato tem vigilância assegurada, com dois nadadores salvadores até 31 de agosto. Dispõe de vários equipamentos, como casas de banho, bar, espreguiçadeiras, parque de merendas, pequena marina para barcos de recreio, rampas de acesso aos patamares superiores e à zona de banhos com duas piscinas, e parque de estacionamento.

Contudo, segundo o presidente da Junta, Álvaro Paulino, faltam as acessibilidades à Praia Fluvial. “A rede viária está muito deteriorada. Para um acesso facilitado à praia precisa de ser melhorada”, refere o autarca. Aponta um caminho à saída da Praia Fluvial de Aldeia do Mato “que dá para a zona de Martinchel e vai ter a Vale de Chões, mas precisa de uma requalificação”, reforça.

Álvaro Paulino não aponta a utilização de “alcatrão, mas que fique de forma a permitir a passagem dos carros e dos autocarros que não têm outro acesso. Por dentro de Aldeia do Mato é impossível. Os autocarros que chegam com crianças estacionam junto da Igreja e caminham a pé” até à Praia.

Apesar desses “condicionalismos” reconhece que a Praia tem um crescendo de visitantes ano após ano. “Já ocorreram alguns incidentes, atos isolados” admite, aos quais “não atribui relevância, uma vez que a praia é segura”.

Praia Fluvial de Aldeia do Mato já tem Bandeira Azul. Foto: mediotejo.net

O presidente da Junta de Freguesia sublinha que a Câmara Municipal, entidade responsável pela gestão da Praia Fluvial, deve perceber que a freguesia, devido à Albufeira, “é uma das mais importantes” do concelho em termos turísticos. Por isso espera que a Câmara “continue a apostar não só na praia mas em toda a freguesia”.

Além da Praia Fluvial de Aldeia do Mato, o concelho de Abrantes oferece a Praia Fluvial de Fontes, igualmente no rio Zêzere, mas que embora com equipamentos como balneários, casas de banho, estacionamento e piscina flutuante, encontra-se sem vigilância por falta de concessionário.

O concurso público ficou vazio, colocando um problema à autarquia: a segurança da praia fluvial. O vice-presidente da Câmara Municipal de Abrantes, João Gomes, explicou ao mediotejo.net que a praia está sem bar de apoio e nadador-salvador, procurando-se agora “encontrar uma solução”, que poderá passar por uma adjudicação direta.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome