Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Polo de Saúde de Alferrarede com dificuldades em assegurar consultas

A falta de médicos voltou a ser assunto na reunião de executivo de Abrantes. Esta terça-feira o vereador eleito pelo Bloco de Esquerda deu conta da falta de médicos de família no centro de saúde de Alferrarede e dos problemas dos utentes em assegurar consultas médicas.

- Publicidade -

- Publicidade -

“O polo de saúde de Alferrarede está com problemas para assegurar todas as consultas de cuidados primários, uma situação que se arrasta há já algum tempo”, disse Armindo Silveira. Na sequência dessa afirmação, o eleito questionou o presidente da Câmara se o executivo “tem conhecimento” do problema e que diligências foram, entretanto, tomadas.

Armindo Silveira reconheceu a falta de médicos como um problema que não é exclusivo de Abrantes mas generalizado, nomeadamente na região do Médio Tejo.

- Publicidade -

ÁUDIO | ARMINDO SILVEIRA, VEREADOR DO BLOCO DE ESQUERDA:

Em resposta, o presidente da Câmara justificou com a vacinação contra a covid-19 que, segundo disse, “tem roubado alguns médicos da sua própria ação, não tem sido fácil. Sabemos de alguns médicos que se reformaram” mas que juntamente com a diretora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, Diana Leiria, têm “procurado encontrar soluções”.

Manuel Jorge Valamatos (PS) adiantou que do recente concurso público para a contratação de clínicos “temos alguns médicos novos com vontade de vir para Abrantes. Um trabalho que estamos a fazer de forma continuada”.

O presidente espera ver “num futuro próximo” o centro de saúde de Alferrarede “reorganizado de outra forma” e “sobretudo fazer investimento nessa nova Unidade de Saúde [Familiar] que queremos para o norte do concelho”.

ÁUDIO | MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES:

No ACES do Médio Tejo, no recente concurso de ingresso à carreira médica, foram colocados 7 médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar, disse fonte oficial do ACES ao mediotejo.net, tendo dado conta de terem sido preenchidas vagas em Tomar, Torres Novas, Abrantes e Entroncamento.

Segundo o ACES Médio Tejo, os novos especialistas colocados no recente concurso iniciam funções entre o dia 16 de agosto e 1 de setembro, mantendo-se em alguns municípios com défice agudo de utentes sem médicos atribuídos, caso de Ourém ou Constância, por exemplo.

O ACES Médio Tejo tem 225.000 utentes inscritos e frequentadores, sendo que no início de junho deste ano 28.855 utentes aguardavam a atribuição de médico de família, correspondendo a 13% do total de inscritos.

A situação mais complicada centrava-se na altura em Torres Novas, segundo o ACES, mas a falta de médicos de família é transversal a toda a região, sendo Ourém um dos concelhos com situação mais preocupante, com cerca de 10 mil utentes sem médico, ou seja, mais de 20% da população.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome