Abrantes: Plataforma Prodfarmer vai facilitar venda online de produtos regionais

Foto: mediotejo.net

Tem o nome de Prodfarmer, uma plataforma que pretende disponibilizar a venda de produtos regionais certificados do concelho de Abrantes, aproximando os produtores do consumidor em qualquer parte do país e do mundo. Caso para se dizer que os produtos regionais podem ser adquiridos à distância de um clique. Mais um passo para Abrantes, enquanto Cidade Inteligente.

PUB

O objetivo passa por registar os produtores na plataforma, criando um perfil que disponibilize os produtos para venda, identifique o produtor e permita proximidade na ligação com o consumidor, também registado na plataforma.

prodfarmer_
Aspeto da plataforma online, adaptada aos vários dispositivos móveis, que possibilita a venda e compra de produtos regionais certificados do concelho de Abrantes. Foto: TAGUS

O engenheiro Ricardo Aparício, coordenador da Unidade Orgânica de 3º Grau de Desenvolvimento Económico e Turístico da CM Abrantes, procedeu à apresentação das vantagens deste projeto, com recurso a uma apresentação projetada em tela. O responsável frisou alguns pontos a favor da Prodfarmer: “loja online gratuita para colocação dos produtos; plataforma de faturação e transações comerciais que inclui funcionalidades de pagamento eletrónico, serviço de certificação de produtos em parceria com a SGS; valorização local pelo município através de um selo de produto regional; serviço de recolha/entrega dos produtos vi Chronopost; serviço de entrega em “pontos de entrega” como mercados municipais, promovendo a economia local”.

PUB

Nesta apresentação salientou ainda o facto de existir um sistema seguro de compra e pagamento, grande número e diversidade de produtores e fornecedores, bem como “critérios de pesquisa que vão ao encontro do consumidor e dos valores, por exemplo, negócio justo, baixa pegada de carbono, sem testes em animais, isento de glúten), preço direto do produto e acesso ao perfil do produtor e da sua reputação – deduzida a partir da avaliação de outros compradores”.

Conceição Pereira, em representação da TAGUS nesta sessão de apresentação, referiu que a entidade vai ser responsável pela gestão e divulgação no que toca à Prodfarmer, sendo esta Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior um “interlocutor direto”, fazendo “acompanhamento da dinamização da plataforma”, dando apoio técnico e esclarecimento na utilização global da mesma. O plano de ação será regido por uma calendarização que entra em vigor já no próximo mês de agosto, iniciando reuniões personalizadas com os produtores.

Outra das intervenções passará por promover ações de formação e qualificação de gestão de encomendas, dirigidas aos produtores, com grupos de 8/10 participantes, no mínimo.

Pretende-se a criação de um processo de proximidade, contacto e diálogo presencial, por e-mail ou telefone, informou Conceição Pereira.

Este projeto-piloto, considerado pioneiro a nível nacional, pretende ser alargado, depois de Abrantes, a toda a região do Médio Tejo. Resultado de uma parceria entre o grupo Compta, especialista “em desenvolver, integrar e optimizar soluções na área das Tecnologias de Informação e Comunicação”,com o apoio da CM Abrantes, juntamente com outro grupo de parceiros institucionais: a Tagus – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior, a Associação dos Agricultores dos Concelhos de Abrantes, Constância, Sardoal e Mação e o INOV’LINEA – Centro de Transferência de Tecnologia Alimentar do Tagusvalley.

Projeto pioneiro na certificação de produtos regionais

A plataforma Prodfarmer tem entre as suas funcionalidades a possibilidade de certificação dos produtos. Existem duas categorias: Selo Produto Regional de Abrantes e Selo Produto Regional de Abrantes Premium.

No primeiro caso, os requisitos são básicos: o produto recebe a certificação automática desde que seja produzido ou transformado no concelho de Abrantes.

PUB

No último, mais complexo e, claro está, premium, os requisitos exigidos para a certificação automática passam por existir já uma certificação desse produto/produtor (DOP, IGP, Biológico, Artesanal ou DOP) ou ter sido premiado a nível nacional e/ou internacional nos últimos 5 anos.

Ainda assim, existe a possibilidade de efetuar uma candidatura, respondendo aos critérios de inovação, avaliação sensorial, implantação no mercado e preservação da identidade local. Esta proposta a certificação premium será avaliada pelo grupo de trabalho das entidades parceiras, com base num conjunto de critérios definido, como havia sido explicado por Ricardo Aparício, da CM Abrantes.

Com este projeto espera-se um “aumento da visibilidade dos produtos regionais de Abrantes, dinamização do canal de vendas gratuito para os produtores, angariação de novos clientes, facilitação da comunicação, valorização dos produtos através da reputação do produtor/fornecedor”.

Maria do Céu Albuquerque, presidente da CM Abrantes e presidente da direção do TAGUSVALLEY – Tecnopolo do Vale do Tejo, referiu que este é um “produto inovador”, notando que “a expectativa é que este não seja um projeto de Abrantes; começou em Abrantes como podia ter começado noutro local qualquer. Começou porque houve uma proposta e nós aceitámos e a desenvolvemos. Mas a nossa intenção é que rapidamente possamos alargar a toda a comunidade do Médio Tejo, e depois a toda a região Centro”, disse.

Já Ana Abrunhosa, presidente da CCDR Centro, acredita nesta plataforma e no conceito desenvolvido, por “ligar quem produz a quem consome, através de venda direta”. Para a responsável este conceito permite “diminuir intermediários, torna mais transparente a transacção, e portanto, torna, quer o trabalho do produtor, quer o produto que pagamos de forma mais justa e mais transparente”.

Ana Abrunhosa revelou que esta é uma das propostas da CCDR Centro, “um dos projetos a disseminar no país no âmbito da baixa densidade” combatendo “o maior problema dos pequenos produtores [que] é serem esmagados com condições absolutamente brutais na distribuição dos seus produtos” dada a dimensão do seu negócio.

A presidente da CCDR Centro deixou ainda um alerta para os produtores presentes na sessão, salientando que “há um mercado que anseia por este tipo de produtos” dirigido ao consumidor moderno e à cozinha gourmet.

“Hoje, quem não acompanha o mercado digital, quem não acompanha as tendências de mercado, morre e é ultrapassado pelos seus concorrentes”, concluiu.

Se quiser consultar esta plataforma, pode aceder através da ligação https://prodfarmer.com/.

Fique com algumas imagens desta sessão de lançamento, ocorrida na sexta-feira, 29, no Tecnopolo do Vale do Tejo, em Alferrarede.

PUB

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here