Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Piscinas de Vale das Mós convidam ao mergulho até setembro

O complexo de piscinas de ar livre de Vale das Mós, situada nesta aldeia da União de Freguesias de São Facundo e Vale das Mós, no concelho de Abrantes, reabre ao público este sábado, dia 26 de junho. A época balnear vai decorrer até 05 de setembro, tendo a União de Freguesias implementado as devidas medidas de controlo e proteção da covid-19.

- Publicidade -

O espaço de lazer, que contará com nadador salvador, serviço de bar de apoio e medidas de segurança e proteção devido ao novo coronavírus, vai funcionar entre as 10:00 e as 12:30 e entre as 15:00 e as 19:00, sendo um “espaço aprazível e muito frequentado na altura de verão, seja por jovens, seja por grupo de amigos e de famílias”, destacou o presidente da União de Freguesias, António Campos, que não escondeu a dificuldade em encontrar um nadador salvador para assegurar a abertura do equipamento já este sábado, às 10:00.

ÁUDIO | ANTÓNIO CAMPOS, PRESIDENTE UF SÃO FACUNDO E VALE DAS MÓS

- Publicidade -

Segundo o autarca, o espaço atrai pessoas da região dos concelhos de Abrantes e também de Ponte de Sor, pela sua proximidade territorial, e pelas condições que oferece a quem quer desfrutar de umas horas de mergulhos, convívio e lazer.

Piscina de Vale das Mós vai funcionar este ano 2021 entre os dias 26 de junho e 05 de setembro. Foto: DR

A piscina de Vale das Mós encerra habitualmente à segunda-feira e vai estar em funcionamento este ano de 26 de junho até ao dia 05 de setembro.

Piscina de Vale das Mós conta com bar de apoio e estará aberta ao público a partir de sábado, dia 26 de junho. Foto: DR

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome