Abrantes | Petição contra demolição do edifício do mercado

No âmbito do PUA prevê-se a requalificação do chamado Nó do mercado, uma intervenção que consiste na demolição do antigo Mercado Municipal, para criar um espaço mais amplo na entrada do centro histórico. Foto: mediotejo.net

Dois cidadãos de Abrantes lançaram uma petição pública “contra a demolição do histórico Mercado diário”, instalado no centro da cidade, apelando a um voto no “não à destruição da alma abrantina” e à edilidade que mude o seu propósito e aposte na requalificação do edifício.

PUB

A requalificação do espaço, inserida no Plano de Urbanização de Abrantes (PUA), está na origem desta petição, tendo os autores da mesma lembrado que “há largo tempo que se discute a possibilidade da Câmara Municipal de Abrantes ordenar a demolição do antigo mercado diário, hipótese que tornou-se numa certeza”, desde que foi aprovado o PUA, em setembro, e que “autoriza a Câmara Municipal a proceder desse modo insensível e insensato, destruindo mais um pedaço largo da alma abrantina”.

Perto das 21:00, a petição que reivindica a “requalificação do edifício”, dirigida à Presidente da Câmara, Assembleia Municipal e União de Freguesias de Abrantes, São Vicente, São João e Alferrarede, e assinada por António Cartaxo e António Castelbranco, tinha alcançado 226 assinaturas.

PUB

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

2 COMENTÁRIOS

  1. De novo os candidatos do PSD a marcar a agenda política. Estou entusiasmado! No entanto esta petição, cheira-me, é obra de mais do que duas pessoas e é partidária. E qual o mal? he he he

  2. Meus amigos, informo que a CMAbrantes deve ter cuidado ao tratar este assunto porque se trata de
    um espaço antigo e portanto não pode ser demolido,mesmo que fosse para fazer outro naquele local,
    o que não parece que seja !
    Por outro lado, a população de Abrantes pode e deve pronunciar-se relativamente à utilidade daquele
    antigo Mercado e o Engº civil ou Arqt. que tiver essa responsabilidade na CMAbrantes deve pensar se
    pode alterar o projecto inicial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here