Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Palha de Abrantes conquista prémio de melhor curta metragem nacional de animação

O concelho de Abrantes continua a afirmar-se ao nível da produção cinematográfica e a confirmá-lo está a eleição do filme “Harmos” [Harmonia] como a melhor curta de animação feita em escolas no Prémio nacional de animação deste ano na categoria oficinas. Com o feito, a Associação Palha de Abrantes e o Cineclube ‘Espalhafitas’ revalidam o reconhecimento nacional no trabalho desenvolvido em termos cinematográficos há mais de uma década consecutiva com os alunos das escolas do concelho.

- Publicidade -

‘Harmos’, uma curta metragem de animação com cerca de 10’, aborda a relação do Homem com a floresta, num filme muito a preto e branco, cinza também. Cores poucas. As suficientes para ‘pintar’ a floresta e a biodiversidade da região centrada em Abrantes, num filme que procurou fugir do tema dos incêndios, embora fosse uma questão “incontornável” para as crianças que o construíram.

“Foram mais de 100 alunos de cinco escolas que fizeram esta curta de animação, a par do apoio imprescindível dos professores e dos encarregados de educação, num processo em que o argumento foi completado pelos próprios alunos”, disse ao mediotejo.net a presidente da Associação Palha de Abrantes, Lurdes Martins, para quem a conquista deste prémio nacional é “um grande orgulho e uma alegria imensa”.

- Publicidade -

O concelho de Abrantes continua a afirmar-se ao nível da produção cinematográfica e a confirmá-lo está a eleição do filme “Harmos” [Harmonia] como a melhor curta de animação feita em escolas no Prémio nacional de animação deste ano na categoria oficinas.
“O tema e o filme é feito a preto e branco, de cinza, de fogo, de ambiente, floresta, enfim, a realidade social que envolve esta comunidade, e que espelha o modo como todos vemos a biodiversidade, a questão ambiental…é uma curta metragem onde o sentimento das crianças está muito presente porque foram elas quem deram as pistas, os contributos, o seu modo de sentir, e que completaram o argumento de ‘Harmos’, que significa Harmonia”, contou.

Os alunos participantes este ano, num projeto único a nível nacional e que envolve as crianças de escolas da região no processo de construção de películas cinematográficas, desde o argumento aos desenhos, estudam nas escolas Solano de Abreu (curso de Artes do 11º e 12º anos), escola D. Miguel de Almeida (alunos com 12 anos), Escola do Ócio/ATL Palha de Abrantes (entre os 7 e os 12 anos), e escolas primárias de Pego, Mouriscas e Rossio ao Sul do Tejo, envolvendo alunos do 3º e 4º anos.

A nomeação e a vitória do filme “Harmos” para a quinta edição do Prémio Nacional de Animação, na categoria “Filmes de Oficina”, renova o reconhecimento da entidade organizadora, a Casa da Animação, do trabalho realizado pela Palha de Abrantes – Associação de Desenvolvimento Cultural, e fez parte da short list da décima sexta edição da Festa Mundial da Animação, evento que decorreu em Portalegre entre os dias 28 de outubro e 02 de novembro.

“O projeto de produção, orientação pedagógica e de educação é da Palha de Abrantes e do Cineclube Espalha Fitas”, sob orientação de Lurdes Martins, mas o projeto de enculturamento assenta num projeto que é feito nas escolas e que não faria sentido sem o trabalho feito pelos professores, pelas crianças, e pelos próprios pais dos alunos”, frisou a responsável.

No ano passado, a curta-metragem de animação “Da Janela da Minha Escola”, realizada pelos alunos do 3º ano da Escola EB1 de São Miguel do Rio Torto venceu na mesma categoria entre os 18 trabalhos que estavam a concurso, também nas categorias de “Filmes de Profissionais” e “Filmes de Escolas”. Este ano, foi a curta de animação ‘Harmos’, orientado por Tânia Duarte e Ícaro Pinto, que se destacou entre os 50 trabalhos inscritos.

O troféu e o prémio no valor de €500,00, associados a esta categoria, foram disputado com os filmes “A Ilha dos Doces”, da Casa Museu de Vilar (Lousada), “Histórias Contadas” e “O Pão Que o Mar traz”, ambos da ANILUPA – Centro Lúdico de Imagem Animada (Porto), “Menos é Mais”, da Cinanima e Centro de Artes de Águeda, e “Rodar”, do Cineclube de Avanca.

“Fazer trabalhos pedagógicos destes mostram caminhos. As crianças aprendem muito e todos nos sentimos super contentes com esta vitória e este reconhecimento nacional”, disse Lurdes Martins, tendo feito notar que o “trabalho de continuidade”, há mais de uma década, “permite um saber acumulado que resulta nestes trabalhos de qualidade em termos do tema, de textos, e da técnica e de tudo. É um grande orgulho e este podia ser o maior projeto em termos de visibilidade nacional com marca Abrantes”, defendeu.

Lurdes Martins, presidente da Associação Palha de Abrantes. Foto: mediotejo.net

A apresentação e exibição pública da melhor curta nacional eleita na Festa Mundial da Animação, com a presença dos alunos/autores, professores e encarregados de educação, vai decorrer “muito em breve”, durante o mês de dezembro, em data e local a anunciar.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome