Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Numa atualidade “difícil” Finabrantes apoia clubes desportivos com 185 mil euros

A Câmara Municipal de Abrantes assinou na quinta-feira, dia 17 de dezembro, os Contratos-Programa com os representantes das associações que se candidataram ao Finabrantes – Programa de Apoio a Coletividades do Concelho de Abrantes 2020/2021, Medida 2 – Desporto num total de aproximadamente 185 mil euros, num ano atípico com quadros desportivos competitivos parados devido à pandemia.

- Publicidade -

A atribuição financeira municipal – Findesp – às coletividades desportivas do concelho de Abrantes foi apresentada na quinta-feira, 17 de dezembro, num valor de 185 mil euros, montante semelhante ao dos anos anteriores, para um ano atípico com uma redução significativa da atividade desportiva das coletividades, incluindo a anulação de diversos quadros competitivos devido à pandemia de covid-19.

Na cerimónia de assinatura dos Contratos-Programa com os representantes das associações que se candidataram ao apoio financeiro municipal o presidente da Câmara Municipal, Manuel Jorge Valamatos (PS), lembrou que “a dinâmica desportiva insere-se num projeto maior que é o Finabrantes”.

- Publicidade -

A este apoio candidataram-se 26 coletividades, em 28 modalidades desportivas diferentes, das quais só 22 assinaram, para já, os Contratos-Programa, uma vez que, neste momento, há quadros desportivos competitivos que estão parados.

Luís Bandarra na assinatura dos contratos-programa da Medida 2 do Desporto do Finabrantes. Créditos: CMA

A esse propósito, tendo em conta que devido à pandemia de covid-19 verifica-se uma redução significativa da atividade desportiva, essencialmente nos escalões de formação, Luís Bandarra dirigente do Centro Popular de Cultura e Desportos de Sentieiras esclarece ao nosso jornal que o seu clube “não tem formação desportiva” mas sim “uma equipa no INATEL e nesta fase estamos a ponderar se vamos ou não avançar com as inscrições no INATEL. O futuro não sabemos e achamos que não há condições para podermos praticar o futebol”.

Quanto à coletividade “a associação é que leva toda a aldeia a reunir e neste momento ninguém se reúne nem há convívio” entre as pessoas, diz Luís Bandarra, classificando a situação de “muito difícil”. O dirigente desportivo refere que as crianças participam “num programa realizado pela Câmara Municipal no final do ano. No ano passado já não houve e este ano muito dificilmente irá haver. Os miúdos não deixam de jogar à bola na aldeia, são cerca de 8 e brincam uns com os outros como é normal nas crianças, mas com outra segurança. A nível desportivo com outras regiões, com outras aldeias, é difícil”, nota.

Carlos Martins na assinatura dos contratos-programa da Medida 2 do Desporto do Finabrantes. Créditos: CMA

Pela Casa do Benfica em Abrantes, Carlos Martins diz que “vai de mal a pior. A atividade do atletismo está praticamente parada, condicionada. Na semana passada éramos para ir a Benfica do Ribatejo e à última da hora cancelaram” a prova de atletismo.

No que diz respeito ao restaurante daquela coletividade desportiva “então está mesmo muito mau”, afirma. Quanto à formação dos escalões mais jovens “estão em casa! Praticamente não se está a fazer nada. Treinavam [com regularidade] no campo… agora vão uma vez por semana. É uma grande perda para o desporto e não se vislumbra nenhuma alteração a curto prazo. Vamos ver a médio prazo…”.

Telma Lopes na assinatura dos contratos-programa da Medida 2 do Desporto do Finabrantes. Créditos: mediotejo.net

Telma Lopes, presidente da Associação de Patinagem do Pego, avançou ao mediotejo.net que atualmente o clube tem “alguns atletas a treinar mas com uma redução muito grande” no número de praticantes. “Isto porque os pais têm medo e os atletas têm desistido”.

Segundo a dirigente a Associação de Patinagem do Pego contava com cerca de “30 atletas e neste momento temos meia dúzia a fazer treinos porque os pais têm muito receio e não deixam os meninos irem aos treinos, porque caem, vão ao chão e há algum contacto – que não pode haver”.

As inscrições na Federação decorrem no mês de janeiro para esta coletividade do Pego, “estamos a tratar de toda a documentação que é necessária para em janeiro fazermos as inscrições mas temos muito poucos atletas. Vamos tentar fazer qualquer coisa, se na altura se puder fazer”, diz Telma, explicando que a curiosidade pela patinagem surge “quando os meninos vão a algum festival, algumas danças, alguns esquemas, o menino quer aprender a patinar, porque gosta e quer experimentar”.

Quanto a expetativas para o futuro: “não sei”, confessa a presidente. “Depende da evolução” da situação pandémica. “A nossa época começa sempre em janeiro, para já não há perspetivas muito boas”, afirma.

Manuel Jorge Valamatos na assinatura dos contratos-programa da Medida 2 do Desporto do Finabrantes. Créditos: CMA

Devido à pandemia, a cerimónia de assinatura dos Contratos-Programa decorreu em duas sessões, sendo que, na ocasião, Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, agradeceu “a todos os que estão no movimento associativo”, destacando a importância do voluntariado e do envolvimento dos jovens nestas atividades.

Manuel Jorge Valamatos realçou a importância que o tecido associativo representa na comunidade e para o Município, informando que, nos últimos seis anos, o investimento municipal no Finabrantes ascendeu a mais de 3 milhões de euros, no movimento associativo cultural, desportivo e social.

“Procuramos dar resposta às dinâmicas das nossas associações. Ninguém consegue perceber Abrantes, pela sua expressão e pela sua dimensão, sem as nossas associações e sem os nossos clubes”, disse o presidente, considerando “importante motivar e estimular o nosso tecido associativo para continuarem a persistir, para não desistirem”.

Questionado se estava prevista alguma exceção este ano, tendo em conta que as coletividades que não realizarem o plano de atividades proposto terão de devolver o apoio financeiro ao Município, o autarca disse não haver exceção sublinhando que “95% do montante que estamos hoje a assinar” apoia “a atividade desportiva competitiva federada. Os clubes que não vão ter esses quadros competitivos, não recebem o dinheiro ou vão devolver o dinheiro ao Município. Se não há quadro competitivo não faz sentido estarem a receber dinheiro público”, afirmou, fazendo notar que “vários clubes já desistiram das próprias candidaturas porque os quadros não se concretizaram nomeadamente o INATEL, do futebol sénior”.

Quanto ao futuro “vamos ver!”, disse Manuel Jorge Valamatos, frisando que “muitos clubes têm outras atividades e alguns quadros competitivos que estão a funcionar. E outros clubes continuam com as suas dinâmicas desportivas mesmo não havendo quadros competitivos. É isso que vamos analisar de forma muito particular”.

O presidente da Câmara Municipal de Abrantes revelou ainda que, no início do próximo ano, a autarquia vai disponibilizar uma verba de 300 mil euros, que estava destinada ao Orçamento Participativo, para apoiar as instituições desportivas, culturais e sociais na conservação/beneficiação e construção de infraestruturas e para a aquisição de equipamentos e de viaturas, essenciais ao desenvolvimento da atividade associativa, sendo “um acréscimo” na verba financeira destinada ao Finabrantes, disse ao mediotejo.net.

Assinatura dos contratos-programa da Medida 2 do Desporto do Finabrantes. Créditos: CMA

Recorde-se que em junho passado o Município já havia atribuído, no âmbito do mesmo programa, o montante de 323.909,08 euros, nas medidas de âmbitos cultural, social, juventude, sociais e eventos.

O Finabrantes é um programa municipal de incentivo a entidades concelhias que tem como objetivo manter e apoiar as atividades das diversas entidades nas áreas da cultura, do desporto, recreio, da juventude e da intervenção social, de forma regular e diversificada, visto serem pilares fundamentais de coesão social e do apoio aos interesses e necessidades de cada cidadão.

Coletividades/Associações que assinaram os Contratos-Programa 2020/2021:

– Água Travessa Futebol Clube
– Associação Cultural Desportiva e Recreativa “Os Lobos” de Carvalhal
– Associação de Cicloturismo e BTT do Fôjo
– Associação de Melhoramentos da Freguesia de Alvega
– Associação de Patinagem do Pego – APP
– Aventurirequinte Associação
– Casa do Benfica em Abrantes
– Casa do Povo do Pego
– Centro Cívico, Cultural e Desportivo de Alferrarede Velha
– Centro Popular de Cultura e Desportos Sentieiras
– Centro Recreativo e Cultural Barreiras do Tejo
– Centro Cultural e Recreativo de Vale das Mós
– Clube de Amadores de Pesca e Caça do Pego
– Clube de Orientação e Aventura
– Clube de Ténis de Abrantes
– Clube Desportivo “Os Patos”
– Clube Desportivo e Recreativo de Alferrarede “Os Dragões”
– Clube Náutico de Abrantes
– Núcleo Sportinguista de Alferrarede
– Sport Abrantes e Benfica
– Sporting Clube de Abrantes
– Tramagal Sport União

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome