Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Nova Escola Superior de Tecnologia (ESTA) vai nascer dentro do Parque de Ciência em Alferrarede (C/ÁUDIO)

A Câmara de Abrantes apresentou esta quarta-feira o projeto da construção da nova Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA) no complexo do Tagusvalley – Parque de Ciência e Tecnologia, em Alferrarede, um investimento de quatro milhões de euros que o presidente da autarquia assumiu como “prioritário”.

- Publicidade -

O presidente do município de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos (PS), lembrou os “mais de 10 anos de expectativas” e anúncios de construção e de mudança da ESTA, polo do Instituto Politécnico de Tomar (IPT), do centro da cidade para o Tagusvalley – Parque de Ciência e Tecnologia, em Alferrarede, para assegurar que, “independentemente do apoio de fundos comunitários ou não, esta escola vai avançar o quanto antes”.

Nova Escola Superior de Tecnologia (ESTA) vai nascer dentro do Parque de Ciência em Alferrarede. Imagem: CMA

- Publicidade -

O concurso da empreitada, referiu, será lançado “ainda durante este ano”. “Não vamos esperar nem adiar mais tempo, […] nasce hoje a nova ESTA”, afirmou na sessão pública, que contou com a presença do secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira.

ÁUDIO: MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES:

O equipamento, disse o autarca, é “da maior importância” para Abrantes e para a região envolvente, e prevê a reconversão de parte de um edifício industrial em Alferrarede, na periferia urbana da cidade, para ali reinstalar a escola, retirando o equipamento educativo de um antigo espaço situado no centro histórico.

VIDEO: DISCURSO MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES:

Manuel Jorge Valamatos notou que, “ao longo destes 22 anos de existência, a ESTA tem-se posicionado […] como um dos mais importantes ativos do desenvolvimento económico” e da “coesão territorial de Abrantes”, dinamizando a região.

A escola “tem distribuído a sua atividade por várias infraestruturas espalhadas pela cidade, com as dificuldades inerentes a essa deslocalização”, pelo que “há mais de uma década” estava “identificada a necessidade de centralização de toda a atividade e serviços da ESTA num só edifício”.

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes. Foto: CMA

A obra, com um prazo de execução previsto de 720 dias, insere-se na reconversão de parte do edifício E9 integrado no conjunto edificado do Parque de Ciência de Tecnologia de Abrantes, numa área de implantação de cerca de 4.409 metros quadrados.

A ESTA terá uma área de 2.909 metros quadrados e o restante espaço destinar-se-á ao acolhimento de empresas de base tecnológica. Neste caso, o concurso público para a empreitada está a decorrer sob responsabilidade da associação Tagusvalley.

Nova ESTA vai nascer dentro do Parque de Ciência e Tecnologia – Tagusvalley. Imagem: CMA

O presidente do IPT, João Coroado, lembrou que a ESTA “está há 22 anos em instalações provisórias”, referindo que o projeto agora apresentado “vai resultar num edifício moderno e vai corresponder às exigências do que é o ensino superior no futuro”.

O representante destacou também a importância de aproximar o tecido empresarial à ciência e à investigação: “Este projeto vem complementar a oferta educativa tendo em conta os laboratórios que já temos a trabalhar no Parque de Ciência e Tecnologia e a dinâmica que se vai criar com as empresas aqui instaladas”, afirmou.

ÁUDIO: JOÃO COROADO, PRESIDENTE IPT:

João Coroado referiu ainda que “é com otimismo que vemos o projeto do complexo pedagógico da ESTA-IPT avançar porque foram 22 anos de instalações provisórias e creio que estamos num ponto de viragem em que precisamos de nos afirmar no nosso Território, potenciando a coesão e desenvolvimento territorial”, destacando ainda como importante a cooperação e o investimento “que nos pode alavancar e trazer maior qualidade de vida e desenvolvimento à nossa região”.

Apresentação do projeto decorreu no local que vai ser transformado na nova ESTA. Foto: mediotejo.net

O presidente do Conselho Geral do IPT, Augusto Mateus, por sua vez, disse que os desafios atuais das instituições de ensino superior passam por serem “cada vez mais centros de saber, de produção de ciência e de conhecimento” interligados com as empresas da região, alertando para a necessidade do “renovar do ponto de vista pedagógico, quer no modelo de aula, quer na forma de aprendizagem, apostando na criação e desenvolvimento de competências, conhecimento, valor e competitividade”.

ÁUDIO: AUGUSTO MATEUS, PRESIDENTE CONSELHO GERAL IPT:

Augusto Mateus disse ainda que “não há parques de ciência e tecnologia sem as instituições de ensino superior”.

Augusto Mateus, presidente do Conselho Geral do IPT. Foto: mediotejo.net

Em declarações aos jornalistas, o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior não se comprometeu com apoio do Governo ao investimento anunciado, apontando, contudo, para linhas de financiamento de fundos comunitários que vão “abrir em breve” no âmbito da “qualificação das populações jovem e adulta, em envolvência com as empresas”.

Na foto, da esq para a dirtª: Augusto Mateus, Manuel Jorge Valamatos, João Coroado e o secretário de Estado João Teixeira. Foto: CMA

“Eu raramente conheço um projeto bom que não tenha financiamento”, afirmou João Sobrinho Teixeira, questionado sobre a viabilidade da candidatura que vai ser apresentada pelo município de Abrantes e pelo IPT.

Na sua intervenção, o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior destacou a aposta do Governo no incentivo à frequência dos jovens no ensino superior como forma de se ter um país com maiores qualificações e salientou a importância da existência de instituições do ensino superior nas regiões do interior.

Ao nível do financiamento, o governante deu a conhecer que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) terá um apoio de mais de 270 milhões de euros para as instituições de ensino superior captarem jovens e adultos para os estudos superiores “que obrigará a reformular laboratórios e edifícios e este projeto encaixa-se nestes apoios”.

ÁUDIO: SECRETÁRIO DE ESTADO, JOÃO TEIXEIRA:

Por outro lado, “o PRR vai também ter disponíveis cerca de 375 milhões de euros para alojamento estudantil porque queremos criar mais 15 mil camas para os estudantes”, destacou João Sobrinho Teixeira, referindo ainda a importância dos Politécnicos como agentes da coesão territorial, para a criação de economia e fixação de população.

João Teixeira, secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Foto: CMA

Com esta deslocalização para Alferrarede, a autarquia compromete-se a criar residenciais para estudantes no centro histórico de Abrantes, a par dos respetivos acertos nos horários e na quantidade de transportes públicos urbanos, atendendo aos fluxos necessários.

Parte integrante do IPT, com instalações em Tomar e um total de 2.460 estudantes, a ESTA conta atualmente com 440 alunos matriculados nos quatro cursos de licenciatura, um curso de mestrado e seis pós-graduações.

Eugénio de Almeida, foi o primeiro Diretor da ESTA. Foto: mediotejo.net

Na cerimónia, foram ainda homenageados os colaboradores com 25 anos de serviço ao IPT, entre eles, Eugénio de Almeida, que foi o primeiro Diretor da ESTA.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome