Abrantes | Na receção aos professores, Município anuncia investimento de 5 ME na educação no ano letivo 2020/2021

A receção aos professores que vão leccionar no concelho de Abrantes decorreu no Parque Urbano de São Lourenço. Foto: CMA

O Município de Abrantes assinalou esta quinta-feira, 10 de setembro, a receção aos professores que vão lecionar no concelho durante este ano letivo. Numa cerimónia de boas-vindas que aconteceu no Parque Urbano de São Lourenço, em Abrantes, o presidente da Câmara Municipal deixou votos de bom trabalho aos docentes, dando conta de um investimento na educação de cerca de cinco milhões de euros para o ano letivo 2020/2021.

PUB

Na cerimónia, onde marcaram presença os diretores dos dois agrupamentos de escolas do concelho, bem como da EPDRA e da ESTA, além de diversas entidades, era esperada a presença do secretário de Estado da Educação, João Costa, que por compromissos de última hora na Assembleia da República não pôde marcar presença.

Cumprindo as normas das autoridades de saúde, nomeadamente o distanciamento social e o uso de máscara, os convidados sentaram-se para ouvir o discurso de boas-vindas, a cargo do presidente do Município de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos.

PUB

Desta vez, a mensagem já conhecida do autarca de que “A União faz Abrantes” foi substituída pela“A Educação faz Abrantes”.

Manuel Jorge Valamatos, presidente do Município de Abrantes, na receção aos professores. Foto: CMA

Numa primeira palavra endereçada aos professores, o autarca começou por lembrar a importância dos docentes na formação dos jovens e por referir a disponibilidade da Câmara Municipal para com aqueles que pela primeira vez lecionam no concelho.

PUB

“Aqui, vão encontrar Escolas de excelência, crianças e jovens bons, e gente da terra com garra e paixão. Procurarei sempre ajudar-vos, oferecendo as melhores condições possíveis, para que se possam focar na vossa profissão: capacitar da melhor forma os jovens para o nosso futuro”, disse Valamatos.

O presidente declarou também que “nenhum membro da comunidade educativa, nenhum aluno e nenhuma família” vai ficar para trás.

Não esquecendo também aqueles que “ao longo dos últimos meses e em condições particularmente complicadas, mantiveram um sentido de compromisso e responsabilidade para com os nossos alunos”, o presidente da autarquia sublinhou o papel da educação como “um dos pilares fundamentais do município de Abrantes”.

“É um pilar de tal forma importante que, nos últimos 10 anos, investimos cerca de 30 milhões de euros na Educação das nossas crianças, entre renovação de infraestruturas e o apoio à comunidade escolar”, disse o autarca, acrescentando outros investimentos como os apoios às famílias, as atividades extracurriculares e o transporte escolar.

Abrantes l sessão de arranque do ano letivo

Publicado por mediotejo.net em Quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Município investe cerca de cinco milhões de euros no ano letivo 2020-2021

PUB

Apoio às famílias, Comunidade Educativa e Escolas. São estas as três grandes áreas em que o Município vai apostar este ano letivo, com um investimento de “quase cinco milhões”.

A este respeito, o presidente da autarquia abrantina relembrou o compromisso assumido pelo Município ao aceitar este ano a transferência de competências na área da Educação.

“Vemos esta transferência de competências como uma forma de estreitar ainda mais os laços com a nossa comunidade educativa e procuraremos criar as melhores condições possíveis para todos vós”, disse, dando conta de que as escolas vão contar com um investimento derivado da descentralização de competências de “perto de três milhões de euros” – investimento esse que vai ser canalizado para manutenção, gestão e funcionamento do parque escolar.

Manuel Jorge Valamatos elencou algumas das apostas do Município para este ano escolar, entre os quais a continuidade dos Prémios de Mérito, as Bolsas de Estudo para o Ensino Superior, o enriquecimento de competências com o projeto “T-Code/Competências Digitais”, a continuidade do projeto “Amigos do Ziki” e o trabalho constante no âmbito do Projeto Educativo Municipal.

A mudança de instalações da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA) é um dos investimentos previstos para este ano letivo.

“Temos que criar condições para que os jovens de Abrantes estejam entre os melhores do país e do mundo, para que regressem e potenciem tudo aquilo que Abrantes ainda tem para dar”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Abrantes.

PUB
A receção aos professores que vão leccionar no concelho de Abrantes decorreu no Parque Urbano de São Lourenço. Foto: mediotejo.net

O Município vai também continuar a apostar nas infraestruturas educativas, dando como exemplos a Escola Básica e Secundária Octávio Duarte Ferreira no Tramagal, que vai ser alvo de uma intervenção de reabilitação na ordem dos 700 mil euros, e a Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, que se prevê instalar no TAGUSVALLEY – Parque Tecnológico do Vale do Tejo.

No total, só estas duas intervenções perfazem um investimento de 4,5 milhões de euros.

A Escola Octávio Duarte Ferreira, em Tramagal, representa uma das intervenções de peso que o Município pretende levar a cabo neste ano letivo.

1,6 milhões para fazer face à pandemia de Covid-19 nas escolas

À parte dos cinco milhões de euros de investimento neste ano letivo, acresce ainda um valor de cerca de 1,6 milhões de euros relativos à adaptação do ensino de Abrantes à pandemia de Covid-19.

“Procurámos e vamos continuar a procurar, criar as melhores condições de segurança, num diálogo estreito com os nossos agrupamentos escolares e toda a comunidade educativa, juntas de freguesia, DGS e de mais entidades envolvidas (…) estamos a dar o nosso melhor para que se sintam o mais protegidos possível”, disse o presidente do Município.

PUB

Precisamente no âmbito da preparação do ano letivo face à Covid-19, o Município e respetivos parceiros (agrupamentos, juntas de freguesia, associações de pais) estão a realizar um conjunto diverso de ações.

A título de exemplo das ações tomadas, os agrupamentos definiram planos de contingência para cada escola, sendo os responsáveis pela gestão feita dentro de cada estabelecimento.
Prova disso deu-nos o diretor do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes, Jorge Costa, que falou aos jornalistas:

 

Jorge Costa, diretor do Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes. Foto: mediotejo.net

Outras das ações prende-se com o fornecimento por parte do Município às escolas de equipamentos de proteção individual e materiais para higienização dos espaços. Materiais esses que vão sendo repostos ao longo do ano conforme as necessidades de cada escola.

Ainda, o pessoal não docente recebeu uma ação de formação por parte dos profissionais do Centro Hospitalar do Médio Tejo sobre cuidados e procedimentos a ter perante casos suspeitos de Covid-19.

“Novos Desafios na Educação em Abrantes”

PUB

Foi este o tema da receção aos professores no concelho de Abrantes: “Novos Desafios na Educação em Abrantes”. E foi neste âmbito que marcou também presença nesta ocasião José Matias Alves, docente e diretor-adjunto na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica do Porto que é um dos membros que colabora no Projeto Educativo Municipal (PEM) de Abrantes, o documento relativo à regulação e avaliação da ação educativa e formativa que existe no concelho.

José Matias Alves, docente da Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica do Porto. Foto: CMA

José Alves deixou uma palavra de confiança a uma comunidade na qual sempre viu “uma grande vontade de serviço, de construir oportunidades, aprendizagens, cenários de vida mais gratificantes para os professores, para os alunos, para as famílias”.

Quanto aos desafios que se colocam na educação em Abrantes, o docente refere que há novos, “em larga medida gerados por esta pandemia”, mas também velhos, que “continuam a interpelar os professores, as comunidades”.

Referindo-se à importância da união e da interligação entre as comunidades para enfrentar esses mesmos desafios, José Alves deixou uma mensagem onde reforça a importância dos professores como “uma alavanca fundamental da vida presente e da vida futura”.

“Sem professores não há futuro digno, não há futuro que seja humanamente viável”, acrescentou o responsável.

PUB
Receção aos professores, em Abrantes. Foto: mediotejo.net

Na sua intervenção, José Matias Alves referiu por diversas vezes a palavra “esperança”, lembrando as consequências que a pandemia de Covid-19 trouxe às escolas e ao ensino.

O docente referenciou ainda três campos que considera essenciais para a ação educativa, seja presencial, online ou mista, no sentido de ativar o potencial educativo. O primeiro foi a inscrição territorial dos projetos educativos das escolas.

“A escola é importante mas sozinha pode pouco, está limitada na sua ação. E para potenciar essa ação precisa de se inscrever no território, de construir laços mais alargados para que as respostas tenham uma base territorial e assente na própria ideia de comunidade comunicativa”, disse.

Outra base prende-se com o modo de ação profissional dos educadores e professores. Diz que o modo de ação tem sido “tendencialmente individual” devido a questões institucionais e organizacionais. “Precisamos de uma ação profissional mais interativa”, defende.

O terceiro campo que o responsável considera essencial para a ação educativa tem que ver com a própria ação pedagógica. Não negando o valor da “pedagogia da explicação”, o responsável admite necessidade de prosseguir um caminho da “pedagogia da participação, da construção de respostas”, implicando os alunos na busca pelas respostas.

PUB

Por fim, o docente e diretor-adjunto na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica do Porto deixou a mensagem de que “não podemos tudo, mas organizados, unidos em tornos de um projeto comum, estaremos certamente mais à altura de responder aos problemas, aos desafios”.

Na receção aos professores, Município anuncia investimento de 5 ME na educação no ano letivo 2020/2021. Foto: CMA

“Quero crer que a comunidade abrantina estará à altura do desafio de um ano tão complexo, tão exigente como aquele que agora vivenciamos”, concluiu.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub