Abrantes | Música do Nosso Tempo fecha ciclo de concertos com sala cheia (C/VIDEO)

O projeto “Música do Nosso Tempo” apresentou o último de um ciclo concertos programados no âmbito das comemorações do centenário de elevação de Abrantes a cidade no sábado à noite, no Cineteatro São Pedro.

PUB

Com coordenação do maestro José Miguel Rodrigues enquanto diretor artístico e do comissário e mentor Humberto Felício, ambos naturais da cidade, este é um projeto que revisita as referências musicais e a cultura de Abrantes ao longo de cem anos, convergindo na Academia de Músicos de Abrantes (AMA), uma orquestra informal composta por músicos das 4 bandas filarmónicas existentes no concelho.

Tudo acontece pela magia da orquestra de sopros e de percussão, com a inclusão da secção de cordas, pelas vozes de Salomé Silveira, Humberto Felício e Nelson Bonito. Deste modo, a AMA faz acontecer, dando corpo e alma ao legado musical da cidade.

PUB

Inclui estilos musicais diversificados a partir de temas de compositores/arranjadores e autores consagrados, nomeadamente Carlos do Carmo, Paulo de Carvalho e António Variações, recordando ainda memórias musicais de outros tempos, caso do Festival da Canção Jovem de Abrantes, organizado pelo Clube Náutico de Abrantes na década de 80 ou o tema “Abrantes” de Jorginho Portugal, datado de 1985.

Numa noite e num concerto considerado “especial”, o maestro José Miguel Rodrigues conduziu a orquestra, partilhou aplausos e buscou animação e coesão entre o concerto e quem o assistia. As palmas foram marcando o ritmo, do início ao fim, e momentos houve em que o público deu voz aos refrões.

PUB

A findar o evento, Maria do Céu Albuquerque, presidente da CM Abrantes, subiu ao palco e dirigiu-se aos músicos que compõem a orquestra, agradecendo a sua entrega e lançando o desafio para que não se esgote neste último concerto, em ano de centenário, a Academia de Músicos de Abrantes e o projeto Música do Nosso Tempo, propondo a sua atividade num futuro próximo.

O maestro José Rodrigues questionado sobre o futuro da AMA e deste projeto pelo mediotejo.net, referiu que “O entusiasmo está no ar”, mas é importante “ponderar para que um próximo projeto ou o seguimento deste seja bem sustentado e não vá defraudar as expetativas que foram criadas com o Música do Nosso Tempo”.

O diretor artístico espera que, ao haver condições para dar seguimento ao projeto, “vá dar continuidade e elevar ainda mais o patamar artístico”, ao passo que estará a “contribuir para os nossos jovens músicos, para também saberem que têm um projeto onde podem fazer música, sem pensar que estão a ser avaliados ou que estão a ser considerados profissionais (…) Um projeto em que eles possam crescer mais musicalmente, e possam sentir-se integrados, como foi o caso dos jovens que ouvimos no concerto de hoje”, tornando-os além de “excelentes músicos, excelentes pessoas no amanhã”.

Algo que José Rodrigues acabou por destacar em palco, o “trabalhar com boas pessoas, e só depois com bons profissionais e bons músicos”.

Também Humberto Felício considerou que “não foi pêra doce”, acrescentando ter sido “um trabalho que deu um prazer enorme. Já havia alguma ambição por muitos músicos que já tiveram esta experiência, por que afinal de contas estivemos a fazer uma masterclass sobre a história da música nos últimos cem anos”.

O mentor referiu ter trabalhado em conjunto com o maestro José Rodrigues para “construir um repertório que fosse de facto relevante para merecer ser o alinhamento dos concertos de comemoração do Centenário da cidade”. O objetivo foi meritóriamente conseguido e amplamente aplaudido no sábado à noite, no cineteatro de Abrantes.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here