Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Outubro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Município vai criar um Observatório Turístico

Vai ser criado em Abrantes um Conselho Municipal de Turismo, ou um Observatório Turístico. A novidade foi avançada pelo vereador socialista, Luís Dias, com este pelouro na última reunião de Executivo, esta terça-feira 19 de março.

- Publicidade -

O Conselho Municipal de Turismo (CMT) funcionará como um órgão com funções de natureza consultiva, de articulação e de cooperação em matérias relacionadas com o turismo, visando a qualificação do concelho de Abrantes enquanto destino turístico.

A ideia passa por formar uma plataforma de debate em que os diferentes intervenientes, entidades públicas e privadas, possam contribuir para a qualificação da oferta turística municipal e, desta forma, para a qualificação dos destinos turísticos do território abrantino.

- Publicidade -

Em outros concelhos do País, o CMT tem por missão promover, acompanhar, analisar, estudar, debater e sustentar um processo de reflexão estratégica sobre o turismo no concelho, mobilizando os agentes locais do setor, tendo em vista a concretização de medidas e projetos estruturados e compatibilizados com o plano de atividades da Câmara Municipal e dos agentes turísticos.

Já o Observatório Turístico pode ser um projeto promovido pelo Município, com o objetivo de desenvolver o turismo local de forma sustentável, bem como, facilitar o planeamento e a gestão pública e privada da atividade.

Nos concelhos portugueses que optaram por um Observatório Turístico, este propõe-se encontrar as linhas orientadoras para o desenvolvimento do turismo, numa base de sustentabilidade, qualidade e diferenciação, perspetivando simultaneamente o desenvolvimento socioeconómico e cultural da comunidade.

O Observatório Turístico tenderá a procurar uma articulação entre os diversos “atores” do território que, de forma direta ou indireta, se encontram envolvidos nas temáticas do lazer e turismo.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome