Abrantes | Município estabelece protocolo com CRIA para manutenção de espaços públicos (c/áudio)

CRIA. Foto: mediotejo.net

O executivo municipal de Abrantes aprovou a despesa de 60.000,00€ no âmbito da celebração de um protocolo de colaboração com o Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA). Um intercâmbio em que se promove a formação de alunos ao mesmo tempo que é feita a manutenção e embelezamento dos espaços verdes da cidade. O ponto, na ordem de trabalhos da reunião de Câmara de 1 de setembro, foi aprovado com a abstenção do vereador do BE.

PUB

Por um lado, o Município presta apoio financeiro ao CRIA, por outro, os alunos fazem a manutenção de espaços verdes da cidade, em contexto de formação profissional. É esta a parceria que tem sido desenvolvida “já há alguns anos” e que este ano vai ter continuidade.

Na sessão do executivo municipal de 1 de setembro, o presidente do Município de Abrantes elucidou que aquilo que se pretende é “apoiar a formação profissional daqueles utentes e, simultaneamente, eles, nas suas práticas, acabam por embelezar e manter um conjunto vasto de espaços verdes”. “Há aqui um intercâmbio muito positivo”, admite o autarca.

PUB

Este protocolo, celebrado no âmbito da formação, implica um apoio financeiro por parte do Município de 60.000,00€, destinado às despesas que o CRIA, a entidade formadora, vai ter em termos de materiais como o gasóleo, máquinas e adubos, conforme explicou o presidente do Município de Abrantes ao mediotejo.net.

O montante envolvido no protocolo despertou a atenção do vereador Armindo Silveira (BE), que questionou a autarquia sobre quais os fundamentos para uma despesa de 60 mil euros, tendo em conta que no documento vem descrito que “o CRIA, como entidade formadora, responsabiliza-se, segundo aquilo que aqui está, pelo pagamento dos formandos, dos formadores, da maquinaria e outros materiais”.

PUB

Armindo Silveira refere que o apoio a ser concedido pelo Município é uma “verba considerável”, dando conta de que esta parceria tem a duração de um ano, pelo que se traduz num valor de cinco mil euros por mês. O vereador admite que no protocolo não vem justificada “a necessidade dos 60 mil euros”, tendo apresentado uma declaração de voto.

A despesa para celebração do protocolo de colaboração entre o Município de Abrantes e o CRIA acabou por ser aprovada por maioria do executivo municipal, com abstenção do vereador do Bloco de Esquerda.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

1 COMENTÁRIO

  1. Boa noite,
    Quer acrescentar que o Sr. Presidente da CMA quando foi questionado pelo vereador do BE não conseguiu justificar um único euro deste protocolo de formação e não de prestação de serviços. O CRIA como entidade formadora irá pagar todas as despesas inerentes a esta formação sendo financiada por fundos comunitários. Se estes 60.000€ entrarem como apoio à formação serão menos 60.000€ que virão dos fundos comunitários pois não pagarão duas vezes o mesmo material ou outro bem que seja empregue na formação. O Vereador do BE fez uma proposta de criação de um Regulamento Municipal de Apoio às Instituições Sociais de forma a haver controlo dos dinheiros públicos, transparência e equidade pois existem mais IPSS’s no Concelho de Abrantes com dificuldades. Para terminar, enviei a declaração voto para o Mediitejo.net onde vai mais alguma informação e estou disponível para outros esclarecimentos. Armindo Silveira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here