Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Município alcança 8º lugar no ranking dos 100 melhores em eficiência financeira

O Executivo socialista deu conta esta terça-feira, 16 de outubro, em reunião de Câmara Municipal, que o Município de Abrantes alcançou o 8º lugar no ranking global dos 100 melhores municípios de média dimensão no que concerne à melhor eficiência financeira. Abrantes é ainda o único município do Médio Tejo a constar na lista dos 38 melhores classificados. No ranking global dos municípios do distrito de Santarém, Abrantes arrecada a 3ª posição dos melhores posicionados.

- Publicidade -

O ‘Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses’, referente ao exercício económico do ano 2017, posiciona o Município de Abrantes no 8º lugar, no ranking global dos 100 melhores municípios de média dimensão. De acordo com o documento editado pela Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas, de entre os municípios com melhor eficiência financeira, Abrantes subiu 12 lugares na tabela classificativa, relativamente ao ano de 2016. É o único município do Médio Tejo a constar na lista dos 38 melhores classificados. No ranking global dos municípios do distrito de Santarém, Abrantes arrecada a 3ª posição dos melhores posicionados.

O ranking que contabiliza a eficiência financeira dos municípios a partir da análise de vários parâmetros, apresenta a Câmara de Abrantes como referências positiva, nomeadamente, quanto à correspondência entre o grau de execução da receita liquidada e o grau de execução da despesa comprometida, bem como, quanto à preocupação com a diferença entre o orçamento inicial e o orçamento revisto, em função da evolução da arrecadação da receita.

- Publicidade -

Quanto ao desempenho dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA), os indicadores são menos favoráveis, nomeadamente: Resultado Económico Negativo – menos 575,8% (-157.837,00 euros), cuja origem, segundo justificação da autarquia, ficou-se a dever ao “enorme aumento da tarifa de tratamento dos resíduos sólidos urbanos (44,2%) e da taxa de gestão de resíduos (TGR), por via da privatização da EGF (Empresa Geral do Fomento), detentora da maioria do capital da Valnor, ocorrida em 2014” e à qual as autarquias se opuseram por causa do aumento do custo deste serviço. Este resultado é conjuntural e não coloca em causa a situação financeira dos SMA que se mantém estável.

Em reunião de Executivo, esta terça-feira, 16 de outubro, o vice-presidente João Caseiro Gomes afirmou que “as classificações obtidas refletem a gestão criteriosa do Município de Abrantes e confirmam a estratégia de gestão consolidada no rigor e na transparência das contas da autarquia, desenvolvida pelo Executivo mas também por todos os colaboradores do Município, em proveito da execução de políticas com vista à melhoria da qualidade de vida dos munícipes e das instituições concelhias”.

O ‘Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses’ é, atualmente, uma referência na monitorização da eficiência do uso dos recursos públicos na administração local.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome