Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Julho 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Morreu o advogado Eurico Heitor Consciência (ATUALIZADA)

Faleceu esta madrugada, em Abrantes, vítima de problemas cardíacos, o advogado Eurico Heitor Consciência, aos 79 anos de idade. Nascido a 28 de outubro de 1936 em Mêda, Guarda, onde chegou a ser presidente da autarquia antes do 25 de abril de 1974, Eurico Consciência estava estabelecido profissionalmente em Abrantes há cerca de 50 anos, tendo falecido em sua casa, durante a noite, de morte súbita, disse ao mediotejo.net fonte próxima do advogado.

- Publicidade -

O corpo vai estar em câmara ardente na Igreja da Ressurreição, em Alvide, Cascais, onde tinha residência oficial, até às 12:00 de quinta-feira, hora da missa, ao que se seguirá o processo de cremação, informou a mesma fonte.

Eurico Heitor Consciência foi um dos fundadores do Partido Socialista em Abrantes, professor na EICA e professor Universitário, diretor do Correio de Abrantes, colaborador da imprensa local e regional, inclusivé como cronista do Jornal O Ribatejo nos últimos 30 anos, magistrado do Ministério Público e Notário, organizador das Jornadas Culturais de Abrantes, ativista social e político, entre muitas outras atividades que exerceu e dinamizou ao longo da sua vida.

- Publicidade -

Pessoa muito “empenhada e envolvida cívica e politicamente”, a notícia da morte de Eurico Consciência foi um “choque” para Joaquim Duarte, diretor do jornal O Ribatejo.

“É um grande choque e uma grande perda em termos pessoais, para a região, para o jornal e para a advocacia”, disse Joaquim Duarte ao mediotejo.net

“Era um dos advogados mais prestigiados da região, com escritórios em Abrantes, Santarém e Lisboa, uma figura muito inteligente e um homem apaixonante e que fez do seu nome – Consciência – o seu sentido de vida”, destacou.

EURICO
Eurico Heitor Consciência (1936/2016) no seu escritório em Abrantes

Fotos: Fernando Baio/CM Abrantes

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

8 COMENTÁRIOS

  1. Perdeu-se um Grande Advogado e um Bom Homem. Recordo-o como um Colega sempre afável, sabedor, respeitador e, acima de tudo, consciencioso.
    A toda a família, sinceras e sentidas condolências.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here