Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Setembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | MODO Arquitetos desenha ‘ponte de Tramagal’ sobre o Tejo, com ligação a Montalvo (Constância)

“Uma nova travessia sobre o rio Tejo, no prolongamento do IC9, entre Abrantes e Constância, seria determinante para a coesão territorial da região do Médio Tejo e uma via facilitadora do seu desenvolvimento económico e social”, defende o arquiteto Rui Serrano, do Gabinete de Arquitectura MODO, com sede em Sardoal. Reclamada há décadas pela população, autarquias e empresários, a famigerada ‘ponte de Tramagal’, com uma extensão de cerca de 3 quilómetros, apresenta aqui um orçamento de 20 milhões de euros.

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, Rui Serrano disse que o objetivo da MODO é “pensar a região em termos de projetos estruturantes” e “desafiar as pessoas a pensar, refletir e discutir. Se temos essa possibilidade de pensar quais as infraestruturas cruciais para o desenvolvimento da região, porque não desenhá-lhas e projetá-las enquanto imagem e enquanto ideia, de modo a suscitar debate e crítica?”, defendeu o arquiteto. “Encaramos esta postura mesmo como uma missão”, vincou.

Este projeto pensado para o nó de Montalvo (A23) considera o contexto atual, caracterizado pelos evidentes constrangimentos de circulação nas infraestruturas existentes

- Publicidade -

O MODO Arquitectos, que recentemente lançou um blogue com a intenção de pensar e propor ideias de valorização do território onde está sedeado, apresenta agora, depois do aeroporto de Tancos, uma ideia de projeto para uma nova ponte que venha a ligar Montalvo ao Tramagal, exatamente no limite dos concelhos de Abrantes e Constância.

No momento em que os autarcas do Médio Tejo defenderam a reabertura da Base Militar Aérea de Tancos, os arquitetos do Atelier Modo, com sede no Sardoal, imaginaram o alargamento dessa infraestrutura à utilização civil e comercial e conceberam um primeiro esboço do que seria o “Aeroporto do Tejo”. O investimento estimado seria de 18 milhões de euros

A ideia da nova travessia sobre o rio Tejo que este gabinete de arquitetos reintroduz na discussão pública, acrescentando-lhe os traços de um possível projeto, dando forma e imagem à ambição de agentes políticos, económicos, sociais e da própria população, surge num momento em que está em curso a linha de financiamento Portugal 2020. Este quadro comunitário constitui para o MODO, “uma oportunidade derradeira de viabilização deste projeto”.

Uma alternativa às centenárias e sobrecarregadas pontes atuais

Este projeto pensado para o nó de Montalvo (A23) considera o contexto atual, caracterizado pelos evidentes constrangimentos de circulação nas infraestruturas existentes, para além do “cansaço” próprio de mais de um século de existência destas estruturas. “Fatores que conduzem à urgência da implantação da nova ponte e aos quais se deve juntar o também urgente desenvolvimento desta região.”

Vejam-se os casos das pontes de Constância e Chamusca, que apresentam “grandes limitações”, e que se situam junto de importantes empresas de relativa dimensão, como a Caima, ou a Mitsubishi no Tramagal ou ainda o Eco-Parque do Relvão, na Chamusca. A ponte de Constância mantém, aliás, a limitação de circulação de viaturas pesadas. No caso de Abrantes, o recente investimento na reabilitação da ponte continua a não resolver o trafego intenso de ligeiros e pesados. Muitos dos que se deslocam para o sul do país, passaram a optar por este acesso depois da introdução das portagens na A23. Um quadro que inevitavelmente nos leva à difícil fluidez do tráfego,à degradação das vias e à diminuição da segurança.

MODO Arquitetos desenha ‘ponte de Tramagal’ sobre o Tejo, com ligação a Montalvo (Constância)

O arquiteto Rui Serrano recorda que “uma nova ponte rodoviária sobre o rio Tejo está prevista no traçado do IC9, há mais de 10 anos. Ainda assim, e apesar disso, continua a ser adiada pelos sucessivos governos e afastada das intenções e prioridades de investimento da EP – Estradas de Portugal.”

O arquiteto defende que “a sociedade civil, empresas, instituições e população em geral não devem abdicar do seu papel interventivo, um papel que pode ser decisivo na concretização de projetos como este.”

Considerando a urgência e a necessidade desta obra, o MODO Arquitectos propõe uma implantação faseada da ponte: numa primeira fase, seria construída a ponte rodoviária sobre o rio Tejo, podendo não ter perfil de autoestrada, prevendo-se, numa fase posterior, a respetiva adaptação com a construção do IC9 prevendo-se localizá-la no nó de Montalvo (A23), o que irá permitir o estabelecimento das ligações rodoviárias entre a margem direita e esquerda do rio Tejo e entre a A23 (a Norte) e a EN2 (a Sul).”

O projeto

A ponte que o MODO propõe para Montalvo procura alinhar com as estruturas metálicas que encontramos nas pontas da Chamusca e de Constância, mantendo a identidade construtiva, reconhecendo que estes dois elementos são património e marca da memória visual que temos da região do Médio Tejo.

A ponte de Montalvo é aqui composta por uma estrutura metálica em perfis diagonais  de cantoneiras, fazendo um “T”, e elementos verticais com peças que formam um “H”. Nas extremidades há peças de maior dimensão para lhe conferir rigidez.

A ideia para esta ponte assenta na conceção de um elemento que se repete, contínuo mas alternado, introduzindo um efeito de perspetiva dinâmica ao longo do percurso: 2,9 quilómetros com 12 metros de largura, permitindo uma faixa em cada sentido e associando uma ciclovia.

O MODO Arquitectos pinta de amarelo ocre este “túnel” sobre o rio, trazendo para esta nova travessia, uma das tradicionais cores portuguesas, que encontramos muito presente no nosso território.

Os arquitetos estimam que o investimento na reabilitação e criação da infraestrutura do aeroporto de Tancos seria de 18 milhões de euros. Foto: DR

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

  1. Também está prevista, há muitos anos, outra ponte sobre o Tejo para ligar a A13 quando ela avançar de Almeirim visto que ela está pronta do Entroncamento até Coimbra. Essa ponte seria na zona de Chamusca/Golegã, mas isso é Leziria do Tejo mas é o mesmo país e até o mesmo Distrito.

  2. Obrigado a este Gabinete de Arquitectura do Sardoal. Eu já tinha lançado a discussão sobre a ponte há cerca dum ano e tendo inclusive criado este grupo no facebook,com esse objectivo. Acontece que vários membros do Governo vieram a terreiro e dizer que nesta Legislatura e actual Quadro da CE Portugal 2020 tal já não seria possível. De todo o modo é necessário que a opinião pública discuta este assunto.https://www.facebook.com/groups/181085125618861/. Claro também obrigado ao Médio Tejo e ao Mário Rui por voltarem a pegar neste assunto.

Responder a carlos pinheiro Cancelar resposta

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome