Abrantes | MIAA, MAC e Cineteatro São Pedro entre as prioridades do Município para este ano (c/audio)

Está em curso a empreitada de restauro, reabilitação, remodelação e ampliação do Edifício Carneiro, em Abrantes, onde será instalado o Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida (MAC). Foto: mediotejo.net

O Cineteatro São Pedro, o MIAA, o MAC, o novo Centro Escolar e a requalificação da Avenida D. João I, em Abrantes, são prioridades do executivo socialista que gere a Câmara de Abrantes. Em reunião de executivo, realizada na terça-feira, 7 de julho, o presidente deu conta do contrato de compra e venda que será realizado brevemente com a sociedade Iniciativas de Abrantes para aquisição do Cineteatro São Pedro. Contrariamente ao inicialmente anunciado – a realização de um contrato de promessa de compra e venda – a compra imediata permite ao Município ser proprietário do Cineteatro já no próximo mês de agosto, e não apenas daqui a seis anos, explicou Manuel Jorge Valamatos ao mediotejo.net.

PUB

A Câmara de Abrantes chegou a acordo com os proprietários do Cineteatro São Pedro para a sua aquisição quase dois anos depois daquele espaço cultural ter sido encerrado, ou seja em dezembro de 2019. Mas o edifício, inaugurado há mais de 70 anos, só passará para propriedade do Município no próximo mês, confirmou o presidente da Câmara ao nosso jornal, esta terça-feira.

Após terem sido encontradas as condições necessárias para a compra do Cineteatro São Pedro, por parte da Câmara Municipal de Abrantes, pelo valor de 470 mil euros, a primeira tranche do pagamento – no valor de 71 mil euros – foi agendada para 2020, aquando da assinatura do contrato promessa compra e venda e as outras tranches no valor de 66.500,00 euros, a pagar até 31 de janeiro dos seis anos seguintes, até 2026. Mas afinal o contrato, que será assinado “seguramente” em agosto, tornará o Município de Abrantes proprietário do imóvel.

PUB

Já com o visto do Tribunal de Contas, a sociedade Iniciativas de Abrantes e o Município entenderam que a melhor solução passava pela venda definitiva. “Com o contrato de promessa de compra e venda, as Iniciativas de Abrantes ficariam até ao fim dos seis anos de pagamento com algumas responsabilidades”, explicou o presidente. E para Manuel Jorge Valamatos “não faz sentido a sociedade Iniciativas de Abrantes desvincular-se do edifício apenas quando fosse paga a última prestação”, em 2026.

Decidiu-se, portanto, celebrar um contrato de compra e venda “pelos mesmos valores, com as mesmas condições de pagamento, os mesmos pressupostos”, notou o autarca, dando conta que a proposta de contrato de compra e venda será apreciada na próxima reunião de executivo, no dia 21 de julho, e nesse dia enviada novamente para o Tribunal de Contas.

O Tribunal de Contas tem então 30 dias para se pronunciar o que leva o presidente a acreditar que, “se tudo correr bem, até ao final de agosto” o Município será proprietário do Cineteatro São Pedro.

O cineteatro São Pedro foi inaugurado em 19 de fevereiro de 1949 e é da autoria do arquiteto Ruy Jervis de Athouguia. Foto: mediotejo.net

Recorde-se que a requalificação daquele espaço cultural ronda os 2 milhões de euros e portanto, durante a reunião de executivo, o presidente incluiu a requalificação entre as obras a concluir prioritariamente, sendo que, entretanto, a Câmara Municipal adjudicou à empresa Modo – Arquitectos Associados, Lda. a elaboração do Projeto de Restauro, Reabilitação, Remodelação do São Pedro.

2020 – Ano previsto para a conclusão de grandes projetos

Entre as obras prioritárias para concluir, enumerou ainda o MIAA, o MAC, o Centro Escolar no antigo colégio Nossa Senhora de Fátima e a requalificação da Avenida D. João I, esta última a iniciar “ainda este ano”. Uma intervenção que o presidente considera “relevante, estruturante” para a cidade e para o concelho, disse ao mediotejo.net.

Quanto às obras do MIAA, do MAC e do Centro Escolar “queremos fechá-las para partir para outros projetos, para outras ações quer na cidade quer em todo o concelho. Temos a visão de um conjunto de ações em diferentes freguesias, importantes, relevantes para o concelho e é isso que queremos continuar a fazer de forma equilibrada do ponto de vista financeiro e de acordo com as expectativas da nossa comunidade”, referiu Manuel Jorge Valamatos.

OIÇA AQUI O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ABRANTES

Em reunião de executivo, o presidente colocou o antigo Mercado Diário fora da equação das prioridades, em resposta ao vereador eleito pelo Bloco de Esquerda. Armindo Silveira pediu um ponto de situação dizendo: “As propostas para ‘lavar a cara’ do edifício do antigo Mercado Diário de Abrantes como forma de minimizar o impacto visual negativo e evitar a constante degradação do referido edifício não foram acolhidas pelo executivo e um dos argumentos foi que rapidamente se iria avançar para a requalificação do mesmo”. E solicitou “que o executivo esclareça os pormenores do projeto que irá propor para aquele imóvel e espaço envolvente e qual a data prevista para o inicio da intervenção?”.

O presidente garantiu que o executivo tem “um plano” para o edifício mas ainda sem definição ou conclusão, embora Manuel Valamatos tenha num passado recente sugerido por diversas vezes que o antigo mercado poderá ser transformado num pavilhão multiusos.

PUB

O Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (MIAA) tinha data prevista de inauguração no “início de 2020” mas assim não aconteceu. Recorde-se que a primeira fase de recuperação, remodelação e ampliação do Convento de S. Domingos deveria ficar concluída em 910 dias, cerca de dois anos e meio, ou seja, no mês de maio de 2019, se não existissem interrupções de trabalhos. Mas alguns achados arqueológicos, históricos, obrigaram a “alguma contenção” nas obras no futuro Museu Ibérico, explicou o presidente da Câmara Municipal de Abrantes.

Obras de requalificação do Convento de São Domingos para instalação do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (MIAA) de Abrantes. Foto: CM ABT

A requalificação do Convento de S. Domingos para instalação do MIAA arrancou no mês de janeiro de 2017. O contrato de empreitada da primeira fase da obra cifrou-se nos 3,1 milhões de euros e foi assinado no dia 25 de agosto de 2016 com a empresa Teixeira, Pinto & Soares, SA.

O contrato tem por objeto a recuperação, remodelação e ampliação do Convento de S. Domingos para a instalação do MIAA, um equipamento que vai ocupar todos os espaços disponíveis atuais do antigo convento para áreas de exposições, permanentes e temporárias, onde ficará parte da coleção de arqueologia e arte municipal, o espólio de pintura contemporânea da pintora Maria Lucília Moita e a coleção arqueológica Estrada, propriedade da Fundação Ernesto Lourenço Estrada, Filhos.

São cerca de cinco mil as peças que integram as coleções da Fundação Estrada de ourivesaria ibérica, armaria e arte sacra dos séculos XVI a XVIII, além de coleções de numismática, arquitetura romana, medieval e moderna, relógios de várias épocas e uma exposição de arqueologia e história local.

A obra em curso desenvolver-se-á em 2 pisos, sendo intervencionada uma área bruta de construção correspondente a 3.280 m2. No edifício que prolonga a ala norte do convento, e que se desenvolve num piso, será intervencionada uma área bruta de construção correspondente a 256 m2, e que servirá também para instalar os serviços indispensáveis ao funcionamento do Museu e Centro de investigação associado, da receção ao serviço educativo, uma área de armazém e diversas áreas técnicas.

O novo Museu Ibérico de Arqueologia e Arte, tem o projeto de arquitetura das instalações pelo Arquiteto Carrilho da Graça e o projeto museográfico pelo Professor Fernando António Batista Pereira.

A obra é apoiada em 85% com verbas dos fundos comunitários do Portugal 2020, no âmbito do PEDUA – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Abrantes para a Regeneração Urbana.

Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida vai nascer da requalificação do Edifício Carneiro. Foto: mediotejo.net

Já a empreitada de restauro, reabilitação, remodelação e ampliação do Edifício Carneiro, em Abrantes, onde será instalado o Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida (MAC), foi adjudicada por 2 milhões de euros em maio de 2018.

As obras representativas das várias fases do percurso de mais de meio século da atividade artística do escultor Charters de Almeida ficarão expostas no interior e no exterior do edifício. Além dos espaços expositivos interiores, para acolhimento de exposições de caráter permanente e temporário, será instalado um auditório polivalente, refere a autarquia, em nota de imprensa.

A obra está integrada nas intervenções de regeneração urbana – recuperação de património municipal – mas também integra a “estratégia de oferta de produtos turísticos que atraiam mais pessoas para o território do concelho” de Abrantes, no distrito de Santarém, “diferenciando-se pela aposta na vertente cultural, lúdica e educativa”, pode ler-se na mesma nota.

No que toca à intervenção no edifício do antigo Colégio Nossa Senhora de Fátima pretende adaptar aquele espaço às exigências definidas para albergar um centro escolar, sendo que serão criadas salas de jardim-de-infância, para um máximo de 75 alunos, e 8 salas de aulas para o 1º ciclo, albergando um máximo de 180 alunos. O Centro Escolar de Abrantes terá ainda um refeitório para um máximo de 286 utentes, uma sala polivalente e um centro de recursos.

A empreitada de requalificação e ampliação do Colégio de Nossa Senhora de Fátima para a instalação do Centro Escolar de Abrantes foi adjudicada por cerca de 2 milhões e 800 mil euros.

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here