Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Médico José Falcão Tavares apresenta as suas histórias em conferência online

O Rotary Club de Abrantes realiza uma conferência com o médico José Falcão Tavares intitulada ‘Histórias do Bule: Uma Viagem pela Medicina Narrativa’. A sessão é online e decorre esta terça-feira, 24 de agosto, às 21:30.

- Publicidade -

José Falcão Tavares é bem conhecido dos abrantinos graças sobretudo à sua carreira dedicada à Medicina Familiar. Nasceu em Abrantes e nesta cidade exerceu a sua profissão durante quase quatro décadas. Reformou-se há dois anos, mas continua também a ser conhecido pela sua faceta de escritor, guardando num bule histórias dos seus pacientes.

É precisamente esta sua atividade criativa que dará o mote à conferência online em que vai participar, no próximo dia 24 de agosto, pelas 21h30, a convite do Rotary Club de Abrantes.

- Publicidade -

José Tavares, enquanto médico, viu chegar a era digital, por isso lembrou-se de levar um bule de chá para o seu consultório, para recolher histórias, apontamentos, e “pedacinhos de Humanidade”. Diz ser esta “a única possibilidade para não nos convertermos em ciborgues, em máquinas. O pote, na caixa de pandora, é o sermos humanos, é termos compaixão uns pelos outros”.

E passou a explicar, em ENTREVISTA concedida ao mediotejo.net no dia 9 de julho de 2019, dia em que despiu a bata e se despediu da atividade profissional : A ideia do bule nasceu do livro “Medicina Narrativa”, de sua autoria, inspirado na alegoria do chá maluco do livro infantil “Alice no País das Maravilhas”. O bule chegou assim ao consultório “para recolher os pedaços em que ia escrevendo alguns apontamentos sobre a consulta, nomeadamente episódios, canções, orações, provérbios, que no livro tinham um carácter importante”, expressando saberes. “Utilizava-os para entender formas de pensar, e isso ajudava-me a ver não um doente mas uma pessoa”. Tudo foi depois guardado e transcrito.

“Histórias do Bule: Uma Viagem pela Medicina Narrativa” é então o tema da conferência desta terça-feira, na qual José Falcão Tavares vai falar sobre o seu interesse pelo outro lado da Medicina, aquele em que as pessoas verdadeiramente contam.

O médico agora reformado escreve com base na sua experiência profissional. Inspirado no livro de ‘Alice no País das Maravilhas’ levou um bule para o consultório onde depositava apontamentos sobre o que as pessoas lhe contavam, desde episódios de vida até provérbios ou canções. O objetivo era compreender as pessoas que estavam à sua frente.

O resultado deu origem ao livro ‘Alice no País dos Provérbios’, que se juntou a uma obra mais vasta, que inclui livros sobre a prática da Medicina Familiar e também dois livros de poemas.

O médico José Falcão Tavares durante o seu último dia de trabalho antes da reforma, em Abrantes, a 9 de julho de 2019. Créditos: mediotejo.net

José Falcão Tavares licenciou-se em 1976, na Faculdade de Medicina do Hospital de Sta. Maria, em Lisboa. Em 1983 foi um dos fundadores da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, uma carreira que era recente e que importava consolidar. Cinco anos depois esteve na fundação do jornal ‘Médico de Família’, um veículo fundamental sobretudo para os jovens médicos, que José Falcão Tavares sempre gostou de acompanhar.

Depois de uma curta experiência em clínica privada, dedicou a maior parte da sua vida profissional à Medicina Familiar.

Os interessados em assistir à palestra devem enviar um email solicitando o link de acesso para o seguinte endereço: geral@rotaryclubdeabrantes.pt.

Para além de um momento expositivo, será possível colocar perguntas e dialogar com o orador.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome