Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Maternidade vai preparar mulheres para partos mais naturais

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) vai promover no sábado, 19 de agosto, a partir das 17h00, um curso para futuros pais focado no parto fisiológico. “Cuidar para nascer” é o nome deste programa de preparação para o nascimento e parentalidade, a ter lugar na biblioteca do Hospital de Abrantes. A sessão é gratuita mas limitada a 12 casais e carece de inscrição por email.

- Publicidade -

- Publicidade -

“Trata-se de um programa de assistência iniciado pela equipa de Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstetrícia do CHMT, que visa dotar as grávidas/casais de ferramentas que promovam um parto mais ativo e fisiológico”, adianta o CHMT em nota de imprensa.

Parto “ativo” e “fisiológico” são termos que designam abordagens na obstetrícia que procuram estimular uma maior participação da mulher no parto, maior consciência sobre o próprio corpo e o processo de gestação e, em consequência, uma menor necessidade de intervenção médica, em particular em gravidezes de baixo risco (outros termos utilizados são “parto consciente” e “parto humanizado”).

- Publicidade -

“A OMS recomenda, desde 1996, que a mulher deve ter a liberdade de escolher a posição e movimentação durante o trabalho de parto”, refere a mesma nota informativa. “Há evidência de que a mobilidade adequada da parturiente influência de forma positiva o trabalho de parto: aumenta a tolerância à dor, evitando o uso de fármacos, e melhora a evolução da dilatação, diminuindo a duração da fase ativa do trabalho de parto”, esclarece.

“Ter um papel ativo durante o trabalho de parto é fundamental para o parto se desenvolver suavemente, com um desfecho mais saudável para o bebé e a mamã.”

O programa “Cuidar para Nascer” vai realizar-se ao longo do ano, “com o objetivo de a ajudar a caminhar para um parto normal”. Com estas sessões pretende-se “dar a conhecer a capacidade assistencial da Maternidade do CHMT e dotar as grávidas/casais de ferramentas para uma experiência de parto gratificante”.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome