Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Marionetas e ópera no Quartel dos Bombeiros em ‘Guerras do Alecrim e Mangerona’

O festival Manobras, uma organização da Artemrede com o apoio do Programa Operacional Centro 2020, já está em marcha em 11 dos 15 municípios que integram o projeto de cooperação cultural. No Médio Tejo três concelhos: Abrantes, Alcanena e Tomar oferecem 11 espetáculos, duas oficinas e uma vídeoinstalação. Em Abrantes, o Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas conta com 8 espetáculos e foi apresentado, esta terça-feira 18 de setembro, ao Executivo em reunião de Câmara Municipal. O mediotejo.net falou com o vereador com o pelouro da Cultura, Luís Dias, para perceber o evento.

- Publicidade -

O Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas regressa para a 2ª edição até 31 de outubro em 11 municípios associados da Artemrede: Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Pombal, Santarém, Sobral de Monte Agraço e Tomar. A maior parte das propostas é de entrada livre, destinada a públicos juvenis e adultos.

Depois de oito edições da Festa da Marioneta, a Artemrede decidiu meter mãos à obra e converter a festa num festival. Para isso, deu-lhe um novo nome e saiu, no primeiro ano, para 13 dos 15 municípios manobrando marionetas e objetos, desenhando percursos pelo património, revisitando lugares e descobrindo histórias. O Manobras integrou-se num projeto mais amplo, Outros Centros, que conta com o apoio do Programa Operacional Centro 2020.

- Publicidade -

“Houve uma candidatura ao Programa Operacional Centro 2020 com este projeto que no segundo Manobras envolve 11 municípios dos 15 da Artemrede e que envolve todos os municípios que fazem parte da CCDR Centro, onde se incluem alguns da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo”, explicou ao mediotejo.net Luís Dias.

Abrantes acolhe “alguns espetáculos com alguma dimensão técnica, em diferentes locais, escolas, quando direcionados para os serviços educativos, há projetos de intervenção comunitária”, refere. Os espetáculos do Manobras, no concelho, decorrem no auditório da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, na Sociedade Artística Tramagalense, no Parque Tejo, no Jardim da República em Abrantes e na Biblioteca Municipal António Botto.

Contudo há uma novidade: “Estamos a fechar um local diferente, a avaliar da melhor forma técnica onde decorrerá o espetáculo” de ópera barroca de marionetas ‘Guerras do Alecrim e Mangerona’, dia 21 de outubro. Luís Dias refere-se ao Quartel dos Bombeiros de Abrantes, local sugerido e decorrente de “uma negociação com a organização. Entenderam, como se trata de um projeto de intervenção comunitária, cuja temática também envolve questões de apoio e de auxílio aos demais que seria o cenário indicado para levar a palco o espetáculo de S.A. Marionetas e de Os Músicos do Tejo”, avança.

Luís Dias defende que o Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas “valoriza muito os territórios porque as marionetas são associadas ao nosso imaginário desde sempre e têm vindo a evoluir um pouco, em todos os teatros do mundo. As formas animadas, a própria figura humana poder ser transformada num boneco animado, fazem com que seja mais fácil chegar a todos os públicos com relativa facilidade”.

A segunda edição do Manobras foi apresentada dia 4 de setembro no Moinho da Ordem do Complexo Cultural da Levada, em Tomar, por Marta Martins, diretora executiva da Artemrede, e Filipa Fernandes, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Tomar, concelho no qual o Manobras arrancou.

O programa engloba 13 espetáculos em salas de espetáculos, ao ar livre e monumentos, quatro oficinas, uma instalação de luz e música e duas vídeoinstalações criadas exclusivamente para o festival. O Médio Tejo recebe a visita de 14 dos 20 projetos do evento.

Em Abrantes, o Manobras apresenta oito espetáculos: ‘Passo a Passo no Bosque’; ‘Entremundos’; ‘Muita Tralha Pouca Tralha’; ‘Lobo Mau – oficina’; ‘Pangeia’; ‘Pangeia Lab’; ‘Lobo Mau’ e ‘Guerras do Alecrim e Mangerona’.

O Artemrede é um projeto de cooperação cultural com 13 anos de atividade, atualmente constituído por 15 municípios, agregando e fazendo interagir cidades com diferentes escalas. Trabalha a especificidade dos territórios através do apoio à criação artística, à programação cultural em rede, à qualificação e formação e às estratégias de mediação cultural.

A Câmara Municipal de Abrantes integra a direção do projeto inicialmente pensado para os teatro municipais. Visava a identificação dos meios adequados para dinamizar e qualificar os cineteatros e outros equipamentos culturais da região que haviam sido reabilitados no início do século XXI.

Os espetáculos seguem no próximo fim de semana. Em Abrantes, dia 22 de setembro, às 11h00 e às 15h00, a peça ‘Passo a Passo no Bosque’ (Toutito Teatro – França) na Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes. No mesmo dia, às 17h00,  ‘Lobo Mau’ (Red Cloud Teatro de Marionetas), em Tomar, no Cine-Teatro Paraíso. E ‘Muita Tralha Pouca Tralha’ (Catarina Requijo, Formiga Atómica) no dia 23 de setembro, às 11h00, em Alcanena, no Largo da Igreja de Malhou.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome