Terça-feira, Dezembro 7, 2021

Abrantes | Manuel Jorge Valamatos (PS) quer concelho a assumir “responsabilidade geográfica estratégica”

Proximidade e foco nos problemas reais das pessoas, numa governação “moderna, dedicada e mobilizadora, sem abdicar do legado que nos caracteriza enquanto abrantinos”. É este o desígnio expressado pelo empossado presidente da Câmara Municipal de Abrantes para os próximos quatro anos. No seu discurso, Manuel Jorge Valamatos (PS) disse ainda que este é o tempo de lutar contra os impactos negativos que a pandemia deixou – aproveitando os instrumentos de apoio como o Plano de Recuperação e Resiliência ou o Fundo de Transição Justa – e vincou a necessidade de uma nova reorganização do território.

- Publicidade -

“As nossas ideias são claras, todos sabem ao que vimos e não nos afastaremos desse caminho. Queremos Abrantes com oportunidades para todos – na educação, na cultura, na juventude, na saúde, na habitação, no desporto. Um concelho onde exista uma real igualdade de oportunidades, num território sustentado numa comunidade aberta, solidária, criativa e dinâmica”, afirmou de forma convicta o empossado presidente da Câmara Municipal de Abrantes na cerimónia de instalação dos órgãos autárquicos, que decorreu na sexta-feira, 15 de outubro, no auditório da Escola Secundária Solano de Abreu.

No momento, onde marcaram presença as diversas entidades da região, entre as quais a antiga presidente de Câmara e atual ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, o presidente eleito sublinhou a resposta dos abrantinos no ato eleitoral de 26 de setembro que “sem deixar margem para dúvidas quanto ao rumo que pretendem para Abrantes”, deram ao projeto do PS “o segundo maior resultado eleitoral em 47 anos de democracia, legitimando de forma inequívoca o nosso mandato”.

- Publicidade -

“Não tenhamos dúvidas que o poder local e a proximidade aos problemas reais das pessoas é um pilar fundamental da nossa ação e é com grande orgulho e sentido de responsabilidade que hoje assumimos o desafio de honrar a confiança e o mandato concedido pelos abrantinos. (…) Saberei ouvir, e a minha porta estará sempre aberta”, acrescentou Manuel Jorge Valamatos, que parte para o seu primeiro mandato assegurando ir governar “com todos e para todos, sem olhar a cores políticas”.

A LUTA CONTRA OS IMPACTOS DA PANDEMIA, A NECESSIDADE DE REORGANIZAR O TERRITÓRIO E OS FUNDOS COMUNITÁRIOS

“Ao mesmo tempo que o mundo tenta deixar para trás uma pandemia sem precedentes, avançámos com a transferência de competências em diferentes áreas, iniciámos a análise do processo de reorganização do território ao nível das NUT e teremos ainda a implementação do Plano de Recuperação e Resiliência e o Fundo de Transição justa à nossa frente como uma grande oportunidade”, elencou Manuel Jorge Valamatos, referindo-se aos “grandes desafios” que a autarquia tem pela frente nos próximos quatro anos.

Admitindo que os impactos negativos que a pandemia provocou estão “longe de ser vencidos”, o edil mostrou-se esperançoso com os instrumentos nacionais e internacionais, vendo neles “uma oportunidade para o fortalecimento da nossa sociedade” e deixou a garantia de que terá “a competência, a dedicação, o empenho necessários para conseguir trazer para o nosso concelho os devidos apoios à recuperação que se exige”.

Mas a necessidade de reorganização do território não ficou de fora no primeiro discurso do presidente eleito, que destacou a “indispensável criação de uma agenda supramunicipal que compreenda as singularidades da nossa região”.

“As CCDR são importantíssimas e é por isso fundamental para o nosso futuro coletivo que tenhamos uma ação dedicada e que permita definir uma estratégia de desenvolvimento ao nível regional, onde claramente Abrantes se quer posicionar. Abrantes não se fechará em si mesma, tem a legítima aspiração de ser um concelho aberto ao mundo, pronto a assumir a sua responsabilidade geográfica estratégica”, expôs.

ÁUDIO | Discurso do Presidente da CM Abrantes, Manuel Jorge Valamatos:

Exaltando as condições e mais-valias do concelho, o autarca deixou ainda a lista de objetivos para cidade: um concelho “valorizado com um programa de relançamento da economia e do emprego, focado na inovação, no turismo e na criação de condições para investimento”; com “uma gestão inteligente e sustentável” e governação eficaz e de proximidade; com contas públicas “rigorosas e transparentes”; e um concelho com “voz, posicionamento próprio, autenticidade, verdade, determinação e garra” que conjugue tradição e modernidade e “sem medo de se transformar”.

ANTÓNIO MOR REELEITO PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Na sessão de instalação dos órgãos autárquicos os eleitos para a Assembleia Municipal votaram e deram novamente a confiança a António Mor (PS) para liderar a mesa deste órgão deliberativo, com 24 votos favoráveis, 1 contra e 8 brancos.

Numa breve reação, o empossado presidente da Assembleia Municipal de Abrantes dirigiu-se à plateia para afirmar que neste espaço todos terão assento, incluindo os cidadãos.

“Fica a promessa de que, independentemente das manifestações ou dos votos que cada um recebeu para representar quem está como direito, todos terão o direito à intervenção, o direito a serem respeitados e a obrigação de respeitar e dignificar a Assembleia Municipal”, garantiu António Mar.

ELEITOS PARA OS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS DE ABRANTES

Câmara Municipal:

Manuel Jorge Valamatos (PS), João Gomes (PS), Celeste Simão (PS), Vítor Moura (PSD), Luís Dias (PS), Raquel Olhicas (PS), Vasco Damas (ALTERNATIVAcom)

Assembleia Municipal:

António Lucas Mor (PS), Manuel Duarte dos Santos (PS), Isilda Alves Jana (PS), José Moreno Vaz (PSD), Paulo Marques Lourenço (PS), Piedade Pinto (PS), José Rafael Nascimento (ALTERNATIVAcom), António Veiga (PS), João Paulo Rosado (PSD), Pedro Grave (BE), Tiago André Chambel (PS), Alexandra Simão (PS), Luís Miguel Lourenço (CDU), Luís Miguel Carloto (Chega), Sérgio Paulo Lopes (PS), Cristina Andrade (PSD), Sónia Pedro (ALTERNATIVAcom), Ana Margarida Carvalho (PS), Tiago Gaudêncio Ricardo (PS), João Salvador Fernandes (PSD), Paulo Teixeira Santos (PS)

Juntas de Freguesia:

Bemposta – Manuel João Alves (PS); Carvalhal – Luís Serras Vermelho (PS); Fontes – Sónia Alagoa (PS); Martinchel – Maria Teresinha Barreiro (PS); Mouriscas – Pedro Matos (PS); Pego – Maria Florinda Salgueiro (PS); Rio de Moinhos – Rui André (MIFRM); Tramagal – António Carvalho (MIFT); UF Abrantes e Alferrarede – Bruno Tomás (PS); UF Aldeia do Mato e Souto – Álvaro Paulino (PSD); UF Alvega e Concavada – José Manuel Felício (PS); UF São Facundo e Vale das Mós – Amílcar Alves; UF São Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo – Luís Valamatos dos Reis (PS).

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome