Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

Abrantes | Junta de Freguesia assume manutenção do Jardim do Castelo e do Aquapolis Norte

A União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede vai assumir, a partir do dia 1 de maio, a conservação, manutenção e limpeza do Jardim do Castelo de Abrantes e do Aquapolis Norte. O contrato interadministrativo, com duração de 8 meses e delegação de competências da Câmara Municipal de Abrantes, leva acoplado um apoio financeiro de 20 mil euros. “Uma experiência” que, se correr bem, “é para continuar”, segundo o presidente da Câmara Municipal.

- Publicidade -

A União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede será responsável pela conservação, manutenção e limpeza do Jardim do Castelo de Abrantes e do Aquapolis Norte a partir do dia 1 de maio. A decisão foi tomada pela Câmara Municipal de Abrantes que aprovou por maioria, com a abstenção do vereador do Bloco de Esquerda, a minuta de contrato interadministrativo que delega na Junta de Freguesia essas competências durante 8 meses, com uma comparticipação financeira de 20 mil euros.

O contrato surgiu “por uma questão de proximidade”, explicou ao mediotejo.net o presidente da Câmara Municipal de Abrantes. “As Juntas de Freguesia desempenham um papel muito importante na nossa comunidade porque estão mais próximas do que os serviços do Município. E assim, importa estabelecer estes contratos por forma a dar repostas cirúrgicas a determinadas situações”, referiu Manuel Jorge Valamatos, dando conta que contratos semelhantes serão estabelecidos com outras Freguesias.

- Publicidade -

Reunião de Câmara Municipal de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

No acordo, que delega novos trabalhos na União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede, encontra-se a limpeza das infraestruturas existentes nos espaços, nomeadamente, do lago do Jardim do Castelo, dos sanitários e caminhos pedonais dos dois espaços; execução de trabalhos de reparação e conservação de portões, bancos, papeleiras e outro mobiliário urbano instalado no espaço, e execução de trabalhos de reposição de muros e escadas de acesso aos diferentes talhões do Jardim.

“O cidadão quer os bancos arranjados, as flores bonitas, a calçada corrigida, os muros não partidos, não importa se é [da competência] da Câmara Municipal ou da Junta de Freguesia. E é isso que estamos a fazer estabelecendo um protocolo com a União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede para que a Junta nos possa ajudar a cuidar e manter determinados espaços específicos”, afirmou o presidente, desvalorizando a questão levantada pelo vereador Armindo Silveira (BE) que quis saber os motivos “do Jardim do Castelo ter atingido o estado de degradação que é visível, especialmente os muros? Por escassez de recursos humanos no Município de Abrantes?”, interrogou.

Manuel Jorge Valamatos admitiu falta de recursos humanos para dar conta dos trabalhos e justificou com o crescimento de espaços públicos na cidade de Abrantes. “Não temos tido as pessoas necessárias a acompanhar esse crescimento”, disse, lembrando que há cerca de 20 anos “a Cidade Desportiva, o Parque Urbano de São Lourenço, nada existia, nem o Aquapolis, nem tantos outros recantos, sítios, becos ou urbanizações”.

Armindo Silveira quis, ainda, saber a razão das competências de conservação, manutenção e limpeza do Jardim do Castelo e do Aquapolis Norte ficarem “melhor acauteladas se delegadas na Junta de Freguesia, e justificou o seu voto por não ter tido acesso ao estudo que o demonstra. “Como o estudo não nos foi facultado e o mesmo é requerido por lei e sem colocar em causa a competência dos trabalhadores da União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede”, o vereador bloquista optou pela abstenção.

Relativamente aos 8 meses de duração da vigência do contrato, Manuel Valamatos explicou tratar-se de “uma questão de calendário” sendo este também um período de avaliação. “No final no ano vamos avaliar o protocolo e estaremos cá para o corrigir. É nossa esperança que seja para continuar, mas veremos qual será o resultado, da capacidade da Junta de realizar as suas ações, e cá estaremos para analisar se esta é uma boa estratégia. Estamos convictos que sim”.

Também o vereador do Partido Social Democrata, Rui Santos, comentou esta delegação de competências congratulando-se com a mesma. Lembrou que “ao fim de três anos e meio e depois de uma publicação de fotografias que o PSD fez, vamos ver pelo menos o Castelo melhorado”, considerando, no que toca à manutenção dos espaço públicos, existir “uma maneira diferente de se fazer política” na Câmara.

“Há uma perceção diferente daquilo que são os problemas, quer da freguesia quer do concelho”, considerou.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).