Abrantes | Jornalistas desportivos trocam bolas com alunos da ESTA

"Ponta pé de Saída na Comunicação" - Debate sobre desporto promovido pela Escola Superior de Tecnologia de Abrantes Foto: ESTA

No debate que os Alunos da ESTA (Escola Superior de tecnologia de Abrantes) promoveram na quarta-feira, dia 29 de março, no auditório da instituição, sobre jornalismo desportivos, estavam os narradores, comentaristas e apresentadores da área do desporto, Bruno Sousa Ribeiro da TSF, Bruno Martinho e Luís Catarino da SportTv, mas também presente a emoção e o sentimento.

PUB

“Um toque de emoção, acho que isso é importante porque, defendo eu, que quem está em casa a ver uma televisão não vai está ali a ver uma missa, portanto nesse sentido não excluo as emoções”, disse Luís Catarino.

Os temas abordados foram diversificados dentro de uma das áreas nobres do jornalismo em Portugal e no mundo, o desporto. O futebol foi chamado de rei. Os três maiores clubes, Sporting, Porto e Benfica estiveram presentes durante todo o tempo da sessão, principalmente quando se falou em conter as emoções na hora de um jogo.

PUB

O interesse era de saber como os profissionais, não só os presentes, mas os outros, deveriam-se posicionar perante uma competição que envolvesse a sua cor “clubística”. Os três foram unânimes na afirmação de imparcialidade diante do seu clube.

Bruno Sousa Ribeiro acrescentou que, se num fim de semana o jogo for “Benfica X Porto, e vão está a narrar adeptos do Benfica e adeptos do Porto, eles vão ter que fazer um esforço, como é óbvio, nesses 90 minutos. O Benfica e o Porto vão ter que estar totalmente fora desse jogo”, e vai ter que ser a visão do profissional independente do “clubismo”.

PUB

Segundo relataram, está cada vez mais difícil aceder as informações dos grandes clubes, pois os mesmos estão cada vez mais fechados e só deixam sair aquilo que lhes interessa e para quem querem que saia. Chegou-se a comentar que um jogador, de quem um dos jornalistas desportivos é amigo pessoal, disse que atenderia a um convite, mas que o clube, de certeza, não permitiria.

Os alunos interagiram com os jornalistas desportivos durante a iniciativa Foto: mediotejo.net

Com a crise e a mudança mundial no jornalismo, está cada vez mais difícil manter o financiamento dos meio de comunicação, de maneira que as redações estão cada vez mais vazias e os profissionais com muitos anos de carteira, estão sendo substituídos por cooperadores autónomos e mais baratos. Essa é a realidade, segundo os profissionais que já trabalham na área há algum tempo.

Com palavra de encorajamento e ânimo, conduziram o debate orientando aos alunos a não desistirem e avançarem no seu curso e especialização.

“O jornalismo desportivo não tem horários” e “o jogo é na Austrália, ninguém quer saber. Tu tens que transmitir o jogo às 6h da manhã”, lembrou, Bruno Martinho, que reconheceu também que há vantagens nesses horários.

Foi uma manhã onde os alunos de Comunicação, interessados ou não em desporto, puderam ouvir e aprender novas experiências com quem já está no mercado de trabalho. Num ambiente onde os estudantes esclareceram as suas dúvidas e viram, na prática, um pouco de como a profissão que escolheram funciona na realidade.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here