Abrantes: Isa Lisboa revela “Invernos, Sonhos e Andorinhas”

Isa Lisboa regressou à terra natal esta quinta-feira, dia 21, para falar sobre o seu primeiro livro “Invernos, Sonhos e Andorinhas” na Biblioteca Municipal António Botto, em Abrantes. Falámos com a autora antes da apresentação e descobrimos que o emprego na área da matemática não lhe subtrai o jeito para as palavras e que esta obra sobre sonhos é, ela própria, um sonho realizado.

PUB

PUB

Isa Lisboa nasceu em Abrantes e os primeiros anos de escola trouxeram-lhe o gosto pela escrita. Saiu do Médio Tejo rumo à capital para se formar na área da matemática, onde encontrou o “equilíbrio” entre os números e as palavras. Concorda tratar-se de uma mistura improvável e que as pessoas “acham isto um pouco estranho”, mas salienta que “a parte racional também me ajuda na escrita”.

Hoje, com 36 anos, mora em Sintra e trabalha como actuária numa seguradora. As palavras que lhe “surgem como um flash” na mente, passaram do íntimo para o mundo em 2011 através do blog “Instantâneos a preto e branco” e foi na blogosfera que os poemas, contos, reflexões, pensamentos e devaneios ganharam as primeiras cores. Apesar do blog ter sido o seu “primeiro cantinho”, como leitora prefere o papel e como escritora revela que usa a caneta primeiro.

O sonho antigo de escrever um livro começou a ganhar forma com a “A menina de plasticina”, o primeiro dos 16 contos que Isa Lisboa partilha em “Invernos, Sonhos e Andorinhas”, editado pela Chiado Editora em agosto do ano passado. O tema central são os sonhos e em cada conto é abordada a sua procura ou a sua perda e. Segundo a autora, “todos têm um bocadinho de mim, das minhas vivências e das pessoas que tenho conhecido”.

Para esta abrantina, regressar à terra natal “é sempre bom”, sobretudo para apresentar “um projeto pessoal (…) um sonho realizado que demorou a concretizar”.

Desta vez não veio apenas para visitar a família. Veio para partilhar a mensagem de um livro sobre sonhos que retrata as “oportunidades desperdiçadas” como Invernos e “a viagem e a aventura” como Andorinhas. Muitas histórias para “suscitar perguntas e fazer com que as pessoas reflitam”, 16 contos que podem inspirar novos sonhos ou ajudar a encontrar aqueles que se julgavam perdidos.

PUB
APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser), através do IBAN PT50001800034049703402024 (conta da Médio Tejo Edições) ou usar o MB Way, com o telefone 962 393 324.

PUB
PUB

3 COMENTÁRIOS

  1. Obrigada ao mediotejo.net e à Sónia Leitão pela oportunidade concedida nesta entrevista!
    Foi sem dúvida muito bom apresentar o meu projecto na cidade de Abrantes, cidade que me viu nascer e onde fiz uma parte dos meus estudos, enquanto vivia na aldeia de Bioucas, a norte do concelho!

Responder a Dulce Morais Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here