Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Agosto 4, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Inauguração dos Laboratórios de Serviços Partilhados no Tecnopolo do Vale do Tejo

Os Laboratórios de Serviços Partilhados (LINE) vão ser inaugurados hoje à tarde, pelas 14:30, no Tecnopolo do Vale do Tejo – Parque Tecnológico, sendo que, na ocasião, será ainda assinado entre a TAGUSVALLEY e o Instituto Politécnico de Tomar um protocolo que estabelece a forma de gestão e exploração do LINE.

- Publicidade -

Será igualmente assinado um contrato de prestação de serviços entre a TAGUSVALLEY e a COMPTA, Equipamentos e Serviços de Informática para instalação no INOV.POINT – Centro de Incubação e Inovação Empresarial, valência do Tecnopolo.

A obra dos Laboratórios de Serviços Partilhados incidiu na remodelação dos blocos já existentes no edifício INOV.POINT, dedicados à ocupação oficinal. A intervenção vai permitir agora o alojamento de laboratórios das áreas de engenharias e comunicação social da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA) e a expansão do LINE.IPT, Laboratórios de Inovação Industrial e Empresarial, que passará a ser um centro de investigação inteiramente direcionado para as empresas e que terá como principal objetivo fomentar a incorporação de tecnologia e inovação, promovendo competências nas áreas da engenharia e do desenvolvimento.

- Publicidade -

A intervenção desenrolou-se em dois pisos, passando a dispor de laboratórios de soldadura, de compósitos, de materiais, de desenvolvimento de produtos, de química e de fluidos e laboratórios de imagem, audiovisual e interativo, estúdios de fotografia e montagem e estúdios de rádio e televisão.

O investimento foi de 2.609.000€, financiado em 85%, no âmbito do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional através de uma candidatura ao Sistema de Apoio às Infraestruturas Científicas e Tecnológicas, Programa “Mais Centro”.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome

- Publicidade -