Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Setembro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes hasteou a Bandeira Azul nas praias fluviais de Aldeia do Mato e Fontes (C/VIDEO)

A Bandeira Azul já ondula ao vento nas praias fluviais de Aldeia do Mato e de Fontes, no concelho de Abrantes. A cerimónia do hastear da bandeira, galardão máximo representativo da qualidade das águas e envolvente ambiental, decorreu na manhã de sexta-feira e contou com a presença do presidente do município de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos. 

- Publicidade -

“Tem um significado muito importante para nós”, disse ao mediotejo.net o autarca abrantino que sublinhou a importância de a praia fluvial de Aldeia do Mato ser igualmente distinguida com a Bandeira Galardão Qualidade de Ouro 2021, atribuída pela Quercus, que distingue as praias que apresentem uma qualidade de água “excelente” nas últimas cinco épocas balneares.

A estas distinções junta-se ainda a de Praia Acessível – Praia para todos, representativa da realidade que “permite a todos os cidadãos frequentarem esta praia e de termos as condições para todos poderem usufruir do espaço e poderem desfrutar de um bom bocado no nosso concelho”.

- Publicidade -

Hastear da Bandeira Azul na Praia Fluvial de Aldeia do Mato. Foto: mediotejo.net

Mais a norte do concelho de Abrantes, a Praia Fluvial de Fontes, que içou a Bandeira Azul pela primeira vez em 2019, foi também contemplada com a cerimónia do içar da Bandeira Azul. Este município é o único detentor de duas bandeiras azuis na região do Médio Tejo, que ostenta um total de cinco, juntamente com Agroal (Ourém), Carvoeiro (Mação) e Bostelim (Vila de Rei)..

O presidente do município de Abrantes disse ao mediotejo.net “ter muito orgulho nas nossas duas praias fluviais e estamos sempre emprenhados e dedicados a fazer mais e melhor para que quem nos visita fique satisfeito com os nossos lugares e para que os abrantinos também fiquem orgulhosos dos espaços do seu território”.

Nesse âmbito, este ano foi colocada na praia da Aldeia do Mato uma faixa de areia para “reforçar a qualidade do espaço e também para fazer o teste, ver como a areia se comporta ao longo do ano. Pretendemos no próximo ano, também em função do comportamento da areia que colocámos, ampliar o seu raio de ação”, disse o autarca.

No mesmo local vai ser realizada nos próximos tempos uma intervenção nos passadiços e nas estruturas de madeira, as quais “precisam de ser renovadas e requalificadas”, e vai também ser feito um “reforço da estrutura das casas de banho” nas próximas semanas, através da criação de mais uma estrutura de WC (Water Closet).

A praia fluvial de Aldeia do Mato está equipada com várias estruturas de apoio à prática de atividades balneares e náuticas de recreio como a piscina flutuante para crianças e adultos, embarcações não motorizadas (canoas, vela e remo), bar/cafetaria, instalações sanitárias e bungalows para quem quiser pernoitar, estando também equipada com rampa de acesso a pessoas com mobilidade reduzida.

Hastear da Bandeira Azul na Praia Fluvial de Aldeia do Mato. Foto: mediotejo.net

Mais recentemente, foi instalado um cable park, para a prática de wakeboard, um investimento efetuado no âmbito da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e patrocinado por cada uma das cinco autarquias envolvidas à volta da albufeira de Castelo de Bode (Abrantes, Ferreira do Zêzere, Tomar, Sertã, e Vila de Rei).

A praia fluvial de Fontes encontra-se logo após descer o lugar de Cabeça Ruiva. Tem piscina flutuante na água, apenas para adultos, embora tenha cerca de 1 metro e meio de profundidade, e encontra-se equipada com um bar com 18,75 metros quadrados, sanitários, balneários, duches com uma área de 24 metros quadrados, um ponto de água potável, uma zona de lazer equipada com mesas, bancos e papeleiras, um parque para contentores de resíduos indiferenciados e ecoponto e iluminação pública.

Com a abertura da época balnear no dia 1 de julho, a questão pandémica vivenciada não foi ignorada. Manuel Jorge Valamatos admite que é necessário uma gestão, daí a presença dos nadadores salvadores e também de “um técnico da Câmara Municipal, presente permanentemente para, de acordo com as orientações da DGS, perseguir um conjunto de ações que têm de ser feitas, principalmente em relação aos aglomerados e a quantidade de pessoas que estão nestes espaços de praia e que têm de ser controlados”.

Praia Fluvial de Fontes. Foto: mediotejo.net

O autarca diz que existe a “preocupação de disponibilizar o espaço à comunidade e a quem nos visita” mas que, simultaneamente, existe a preocupação em “cumprir a todo o tempo as regras e orientações da DGS. E é isso que fazemos nestes espaços públicos, quer na concessão dos bares, onde obviamente existem regras que têm de ser levadas em conta a 100%, quer no espaço envolvente e nas praias, onde existe também um conjunto de regras que os nossos próprios serviços tentam assegurar. Obviamente que temos sempre o apoio das forças de segurança, neste caso a GNR, que nos acompanha nestas ações, de forma a que tudo corra bem e de acordo com as regras da DGS”.

O galardão da Bandeira Azul pretende educar para o desenvolvimento sustentável e distinguir as praias que cumpram um conjunto de critérios relacionados com Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água Balnear, Gestão Ambiental, Segurança e Serviços, Responsabilidade Social e Envolvimento Comunitário.

Praia Fluvial de Fontes. Foto: mediotejo.net

Para o presente ano de 2021, o Programa Bandeira Azul escolheu como tema “Recuperação de Ecossistemas”, o qual se revelou incontornável uma vez que de acordo com a Assembleia Geral das Nações Unidas a degradação dos ecossistemas tem um impacto direto no bem-estar de cerca 3,3 mil milhões de pessoas.

Na região do Médio Tejo, além das duas referidas praias fluviais do concelho de Abrantes, foram distinguidas com o galardão da Bandeira Azul a Praia Fluvial de Carvoeiro (Mação), a de Agroal (Ourém), e a de Bostelim (Vila de Rei).

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo. Ávido leitor, não dispensa no entanto um bom filme e um bom serão na companhia dos amigos.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome