Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | GNR detém cinco pessoas por assalto ao lar da ACATIM em Mouriscas

A Unidade de Intervenção, através da Secção de Investigação Criminal do Grupo de Intervenção de Operações Especiais (GIOE), no dia 08 de novembro, realizou uma operação policial no âmbito de um inquérito criminal, que culminou na detenção de quatro homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 25 e os 54 anos, nos concelhos de Pombal e Amadora.

- Publicidade -

Fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR) confirmou ao nosso jornal haver indícios de ser este o grupo que em junho deste ano assaltou o lar de idosos da Associação Comunitária de Apoio à Terceira Idade de Mouriscas (ACATIM), no concelho de Abrantes.

No decorrer da monitorização e análise da atividade criminal, a GNR detetou vários furtos em lares de terceira idade, centros de apoio social e edifícios similares, cujo objetivo do crime seria a extração dos cofres ali existentes, que em regra continham avultadas quantias em dinheiro e vários bens.

- Publicidade -

ACATIM, em Mouriscas. Créditos: mediotejo.net

Pela dispersão territorial do fenómeno, com maior incidência nas regiões Centro e Norte do país, foi o inquérito e a investigação centralizada na Unidade de Intervenção, em coordenação com todo o dispositivo policial, explica em nota de imprensa.

A notícia do assalto à ACATIM surgiu a 9 de junho de 2021, tendo a GNR confirmado naquele dia à rádio Antena Livre que os assaltantes haviam levado o cofre da instituição e furtado cerca de 20 mil euros em dinheiro vivo e alguns objetos em ouro.

A GNR  anuncia agora que através das diversas diligências de investigação, foi possível apurar a estrutura hierárquica do grupo e o respetivo modus operandi, que consistia em realizar reconhecimentos para explorarem as vulnerabilidades de vários lares e instituições e posteriormente, em regra durante a noite, fazerem a intrusão nas instalações através de arrombamento ou escalamento, para se apoderarem dos cofres e dos valores de alguns utentes.

Os suspeitos encontravam-se organizados, com tarefas bem definidas na sua atuação, desde a pesquisa dos alvos, à condução dos veículos usados e ao manuseamento de ferramentas para o arrombamento.

Três dos detidos já tinham antecedentes criminais, sendo que um deles já tinha cumprido pena de prisão por homicídio e outros dois por furtos, burlas e detenção de arma proibida.

VER VÍDEO:

Após as diligências policiais, foi dado cumprimento a 12 mandados de busca, sete domiciliárias e cinco não domiciliárias, em viaturas, nos concelhos de Pombal, Coimbra, Famalicão e Póvoa de Varzim, das quais resultaram, entre outras, as seguintes apreensões:

· 4 veículos automóveis e 1 reboque;

· Cerca de 13.800 euros em numerário;

· 1 arma de fogo 6.35mm e 6 munições;

· 188 doses de folhas de canábis;

· 994 doses de haxixe;

· Diversos objetos em ouro e joalharia;

· 3 computadores portáteis;

· 16 Telemóveis

· 2 aparelhos GPS;

· 3 cofres;

· 2 carros de transporte de objetos;

· 3 Walkie-Talkies;

· 1 câmara endoscópica;

· 1 máquina fotográfica;

· Diverso material de corte e arrombamento;

· 1 escada telescópica;

· Várias cordas;

· Vestuário, várias luvas e gorros passa-montanhas;

· 3 lanternas.

As detenções ocorreram no decorrer da operação policial, que contou com a colaboração de várias Unidades da GNR, nomeadamente com o reforço das equipas dos Núcleos de Investigação Criminal dos Destacamentos Territoriais de Pombal, Leiria, Barcelos, Santo Tirso e Anadia bem como o apoio da Polícia de Segurança Pública.

Os detidos foram presentes no Departamento de Investigação e de Ação Penal (DIAP) de Lisboa no dia 09 de novembro, tendo sido aplicadas as seguintes medidas de coação: quatro detidos em prisão preventiva e um dos detidos com termo de identidade e residência.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome