Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes/Futebol | Porto e Sporting disputam final do Torneio Internacional de Iniciados (c/fotogaleria)

Porto e Sporting venceram nas meias-finais e disputam hoje (11:15) a final do Torneio Internacional de Iniciados de Abrantes. Resumo do jogos das meias-finais entre Porto e Celta de Vigo, e entre Sporting e Braga.

- Publicidade -

Futebol Clube do Porto supera tarefa internacional

FUTEBOL CLUBE DO PORTO 3 – CELTA DE VIGO 1
Estádio Municipal de Abrantes
18 de agosto de 2018 (18H00)

- Publicidade -

Foto: mediotejo.net

Numa boa primeira parte em que conseguiu encostar às cordas e seu adversário espanhol, o Futebol Clube do Porto mostrou o porquê de ser sempre uma das equipas favoritas a vencer o Torneio Internacional de Iniciados de Abrantes. Com as suas linhas defensiva e média a jogar alto e a bom ritmo, obrigando a formação de Vigo a preocupar-se mais com a defesa do que propriamente em atacar. E foi com naturalidade que os vencedores da competição em 2017 chegaram ao golo inaugural logo ao minuto 13, por intermédio de Hélder Silva.

Foto: mediotejo.net

A pressão dos nortenhos não se ficou por aqui e, mantendo as suas linhas subidas, espartilhavam os espanhóis, reduzindo o seu espaço de manobra unicamente à defesa. O segundo golo chegou aos 26 minutos, assindado por Umaro Candé, em mais um tento vistoso para a galeria deste XII Torneio Internacional de Iniciados de Abrantes.

O segundo golo portista teve o condão de “acordar” os atletas do Celta que, alargando o seu jogo, foram-se apropriando do, até então, espaço dos azuis e brancos, conseguindo por dois momentos, assustar a defensiva contrária. Não chegou para reduzir no primeiro tempo, mas fizeram-no logo no reatamento através de uma jogada rápida pelo flanco direito, primorosamente concluída por Stefan Bascetit. Decorriam apenas 3 minutos da segunda parte e o Celta de Vigo relançava a partida que parecia perdida até então.

Foto: mediotejo.net

Tocada a campainha de alerta, os azuis do norte voltaram ao seu ritmo, remetendo novamente o seu adversário ao esquema defensivo dos primeiros minutos o que acabou por dar frutos à passagem do quarto de hora da etapa complementar, com Francisco Guedes a elevar a contagem para 3 a 1, dando nova vantagem confortável à equipa nortenha fixando o resultado final não sem que os galegos procurassem outro resultado que até justificariam pois se não se contesta a vitória portista já a margem mínima parece que seria o mais ajustado àquilo que se assistiu dentro das quatro linhas. O Futebol Clube do Porto era a primeira equipa apurada para a final.

FOTOGALERIA:

Braga não resistiu à maior frescura leonina

SPORTING CLUBE DE BRAGA 0 – SPORTING CLUBE DE PORTUGAL 3
Estádio Municipal de Abrantes
18 de agosto de 2018 (19H45)

Foto: mediotejo.net

O que não faltava era motivos para se assitir à partida que opunha o Sporting Clube de Braga e o seu homónimo de Lisboa, campeão nacional em título, pois daqui iria sair o outro finalista do Torneio sendo que para a equipa do Minho, um empate bastava para atingir tal objectivo. Os leões da capital tinham forçosamente que vencer o jogo.

Toada morna, cautelosa e equilibrada como se previa, com os arsenalistas a aproveitarem toda a largura do terreno, não dando aos lisboetas qualquer liberdade para explorarem o seu jogo. Um ou outro lance de perigo numa e noutra área com ambos os conjuntos a tentarem aproveitar ao máximo, situações de bola parada, mas sem qualquer sucesso. O nulo ao intervalo justificava-se uma vez que nenhuma das formações criou oportunidades claras para merecer vantagem.

Foto: mediotejo.net

E o segundo tempo não começou de forma diferente. Bastante táctico e típico de jogo de acesso a uma final para uma das equipas, no caso do Sporting de Braga, bastava o empate, a bola rondava ambas as balizas, mas sem criar grandes sustos nos últimos redutos. A necessitar de vencer para se apurar para a final, o Sporting Clube de Portugal ia tentando de todas as formas, mexendo tácticamente na equipa à passagem do décimo minuto da etapa complementar sendo que o técnico bracarense também efectuou algumas alterações no seu xadrez tendo a partida ficado mais solta a partir desse momento.

As mexidas leoninas acabaram por ser a “chave do jogo” com Isnaba Mané, acabado de entrar, a desfazer o nó da contenda a favor dos leões, numa jogada de insistência quando decorria o minuto 15 da segunda parte. O Braga acusou o golo, abriu espaço e foi dando mais oportunidades ao adversário para ampliar a vantagem o que veio a acontecer cinco minutos depois por intermédio do mesmo Isnaba Mané, que acabou por ser figura de destaque na partida. O Sporting de Lisboa fazia o segundo e estava mais perto de conseguir repetir a final do ano passado.

E o melhor estava para vir com o golaço de Diogo Travassos que acabou por “matar” qualquer esperança à formação que viajou do norte que por esta ocasião já começava a apresentar sinais de cansaço, pois jogara de manhã, no Pego. Com apenas dez minutos para jogar, já poucas forças restavam aos bracarenses para dar a volta ao resultado que lhes era desfavorável.

Foto: mediotejo.net

O desfecho ficou assim marcado pela vitória leonina por três bolas a zero, num resultado justo por aquilo que os lisboetas fizeram na segunda parte após as alterações que aproveitaram também o facto do Sporting Clube de Braga ter efectuado um jogo de manhã com pouco tempo de recuperação o que se mostrou decisivo na segunda parte da partida.

Repete-se assim, a final de 2017 com Sporting Clube de Portugal e Futebol Clube do Porto a decidirem quem leva para casa a taça do XII Torneio Internacional de Iniciados de Abrantes.

FOTOGALERIA:

Com José Belém (texto) e David Belém Pereira (fotos).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome