Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes | Festival Internacional de Marionetas traz ‘Ninho’ ao Edifício Pirâmide

No âmbito do Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, realiza-se este sábado, dia 29 de maio, às 11:00, no Edifício Pirâmide, em Abrantes, o espetáculo “Ninho”. A inspiração surge de um poema do escritor Miguel Torga que, em poucas linhas, revela que um segredo bem guardado pode fortalecer uma amizade verdadeira.

- Publicidade -

No “Ninho”, a companhia  de teatro de marionetas propõe-se a contar a história sem uma única palavra. Poesia visual pura, o “Ninho” revela-se nos detalhes. Com um enredo minimalista, a narrativa faz-se de um acaso; a curiosidade de um menino, despertada por uma mera coincidência, desencadeia o início de uma teia de afetos.

Em palco, Carlos Silva, autor e único intérprete da obra, surge numa encenação comedida, que ganha força com o trabalho plástico expressivo de Leonor Bandeira. Com um cenário com poucos artifícios, uma única personagem principal, três elementos secundários e uma banda sonora que complementa toda a peça.

- Publicidade -

O “Ninho” é um convite à valorização das coisas simples da vida, as que são fáceis de entender e as que devemos guardar como as mais importantes.

Este espetáculo, apresentado pela companhia Partículas Elementares, tem como público alvo os mais jovens a partir dos 6 anos.

Os bilhetes poderão ser adquiridos no Welcome Center – Posto de Turismo, em Abrantes e têm um custo de 3 euros (lotação máxima de 15 lugares).

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome