Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

Abrantes: Festival de Teatro do CRIA quer combater a exclusão social

Sensibilizar o público para as capacidades dos jovens com deficiência é um dos grandes objetivos do Festival Nacional de Teatro Especial – FNATES, promovido pelo CRIA – Centro de Recuperação e Integração de Abrantes, cuja nona edição vai subir ao palco do Cineteatro S. Pedro, em Abrantes, de 21 a 23 de março. O mediotejo.net foi espreitar os ensaios.

- Publicidade -

São 14h30 quando entramos no ginásio do CRIA, onde os atores do CRIARTE (grupo de teatro do CRIA) estão a iniciar mais um ensaio com o apoio das encenadoras Marisa Sobral e Daniela Rebeca. Todos ocupam religiosamente os seus lugares, à espera que o som da música indique o início do ensaio.

1, 2, 3… Começa. São 11 os elementos que fazem parte do grupo de atores do CRIARTE e que estão a ensaiar diariamente para a peça “A diferença está naquilo que somos”, da autoria de Marisa Sobral, que vai subir ao palco do Cineteatro São Pedro, em Abrantes, no dia 23 de março, quarta-feira, para o encerramento da IX edição do FNATES.

- Publicidade -

Marisa Sobral, autora e encenadora da peça de teatro que o grupo do CRIA vai apresentar ao público, desvendou ao mediotejo.net que se trata de uma peça que “retrata uma aldeia do Ribatejo onde vamos transmitir a mensagem de que ainda existe muito o preconceito e a vergonha”.

“Fala de um menino, o Leonardo (interpretado por Nuno Dias) que é escondido pela mãe porque tem vergonha do filho que tem. Entretanto, vai chegar à aldeia uma mãe com uma filha que é a Rosita, que está nas mesmas condições do Leonardo, são os dois totalmente dependentes. Mas a mãe da Rosita é uma mãe diferente porque aceita a filha que tem, vive para a filha e faz tudo para que a filha se sinta feliz. Entretanto, a mãe do Leonardo vai perceber que a casa da Rosita e da D. Maria é uma casa cheia de alegria e felicidade, onde muita gente ajuda e vai realmente aí perceber que o filho dela é tão importante como outro. O fim da peça retrata que ele tem sorrisos para oferecer, que tem braços para abraçar e amizade para dar, conforme todos nós temos”, conclui Marisa Sobral, deixando aguçada a vontade de assistirmos à peça em palco.

Com a representação a subir a cena na próxima quarta-feira, dia 23, “os ensaios estão a correr bem, embora tenhamos tido um percalço, um dos nossos atores, um figurante, vai ser operado na terça-feira e tivemos de o substituir por outro menino mas vai correr tudo bem porque eles são grandes atores”, salienta Marisa Sobral.

ABRANTES_FNATES_CRIARTE_ENSAIO
Durante os ensaios, os atores ocupam os seus lugares e desempenham com concentração o seu papel (Foto: mediotejo.net)

A concentração dos atores durante o ensaio é máxima, culminando em gargalhadas de felicidade e satisfação quando terminam e ensaio e sentem que todos cumpriram o seu papel na perfeição.

“Esta atividade é muito, muito importante ao nível de auto-estima, para que se sintam integrados e valorizados, é algo que eles vivem intensamente”, reforça a autora e encenadora da peça de teatro do CRIA.

Marisa Sobral conclui dizendo que “gostava que a sociedade e o público dessem mais valor a estes atores e que todos possam integrá-los cada vez mais na nossa sociedade e que não haja descriminação e preconceito que se vê todos os dias e é isto que a nossa peça “A diferença está naquilo que somos” quer transmitir”.

FNATES iniciou em 2001 e deu prémio ao CRIA

O Festival Nacional de Teatro Especial iniciou em 2001, pelas mãos do CRIA – Centro de Recuperação e Integração de Abrantes, sendo uma iniciativa de âmbito nacional, que envolve grupos de teatro constituídos por atores com deficiência, oriundos dos mais diversos pontos do país. Em 2006, o FNATES contou com a participação de um grupo de teatro vindo da Madeira, a Oficina Versus, da Direção Regional de Ensino Especial da Madeira e, em 2007, a importância do FNATES é reconhecida como um exemplo de boas práticas de inclusão com a atribuição ao CRIA do prémio “Igualdade na Diversidade”, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos.

abrantes_FNATES_cartaz
Na edição deste ano, o FNATES traz até Abrantes quatro grupos de teatro e um grupo de percussão vindos de vários pontos do país

E em 2010, o FNATES ganha um carater internacional com a participação, nesse ano, de um grupo de teatro de Santos – São Paulo, Brasil. Curiosamente, foi o último ano da realização do FNATES que esteve interrompido durante cinco anos.

A atual direção do CRIA resolveu retomar a realização deste evento. Segundo afirmou Nelson de Carvalho, presidente da Direção do CRIA, ao mediotejo.net, “este evento era marcante na Instituição, era uma ocasião em que a Instituição saía fora de si própria e se mostrava à comunidade e a nível nacional. Já obteve um prémio e, sobretudo ao nível interno, em termos de atividade com os nossos utentes, é algo que eles gostam particularmente e ficam felizes”.

Nelson de Carvalho recorda que, em janeiro de 2015, quando assumiu a direção do CRIA, “alguns utentes que já tinham sido atores vieram logo ter comigo, todos entusiasmados a pedir para terem teatro outra vez e decidimos criar condições para relançar o teatro e houve logo uma equipa de técnicos que se constituiu para retomar os ensaios e vamos agora ter o festival de novo entre nós e é uma satisfação enorme para eles”.

“A equipa adora o trabalho que está a fazer e seguramente vamos também ter um grande acolhimento por parte da comunidade. É um primeiro ato de retoma de uma atividade que esteve interrompida cinco anos, mas registo com muita satisfação que é tudo produção interna e a equipa está muito motivada”, salienta Nelson de Carvalho.

“Os nossos utentes precisam e é bom terem atividades, isto é a expressão pela arte e são atividades que temos de ter e que a direção quer acarinhar. É uma terapia para todos aqueles que fazem teatro, têm uma ocasião para se exprimir, a sua interioridade, o que lhes vai na alma, o mundo que têm”, refere Nelson de Carvalho que deixa um apelo à comunidade: “Eu vi no FNATES, em edições passadas, coisas maravilhosas e seguramente vamos voltar a ver e convido toda a comunidade a ir ao Cineteatro São Pedro assistir ao Festival”.

ABRANTES_FNATES_CRIARTE_ENSAIO FINAL
O CRIARTE encerra a IX edição do FNATES com a apresentação da peça “A diferença está naquilo que somos”, no dia 23 de março (Foto: mediotejo.net)

Com um orçamento de cerca de 10 mil euros, a IX edição do FNATES começa já esta segunda-feira, dia 21, e prolonga-se até dia 23 de março, com a participação de cinco grupos de teatro. Esta segunda-feira, dia 21, o FNATES tem início com a atuação do Rancho Folclórico “Quinta das Pinheiras”, do CRIA, pelas 10h, na Praça Barão da Batalha, em Abrantes, seguindo-se a atuação do grupo de percussão “Tocándar”, da AAPACDM da Marinha Grande.

À tarde, pelas 14h30, há a primeira sessão de teatro com o grupo Fantasia da APPACDM de Santarém com a peça “A Porta”, da autoria de José Fanha e com encenação de Pedro Santos e Paulo Cotrim. E à noite, pelas 21h, é a vez de subir ao palco do Cineteatro São Pedro a peça “Oração”, pelo grupo de teatro CRINABEL de Lisboa.

No dia 22 de março, às 14h30, é apresentada a peça “O Feiticeiro de Oz”, uma adaptação da peça original pelo grupo da APPACDM de Castelo Branco, e às 21h, as “Estradas de Xadrez” entram em cena pelo grupo “Era uma vez”, da APPC do Porto.

A encerrar a IX edição do FNATES, no dia 23 de março, pelas 14h30, é a vez do atores do CRIA apresentarem ao público a peça “A diferença está naquilo que somos”.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).