- Publicidade -
Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Abrantes | Feira Nacional de Doçaria Tradicional de 22 a 24 no Largo 1º de Maio (C/ÁUDIO)

Entre os dias 22 e 24 de outubro Abrantes volta a ser a grande montra da doçaria tradicional portuguesa. A 19ª Feira Nacional de Doçaria Tradicional está de regresso à Esplanada 1º de Maio, no centro histórico da cidade, este ano com a novidade da iniciativa “Doçaria a Pedido” para entrega ao domicílio.

- Publicidade -

“Vamos desenvolver a Feira com a mesma estrutura de há dois anos. Vamos utilizar uma tenda grande, ao exemplo de há dois anos, no Largo 1º de Maio”, avançou ao mediotejo.net o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, dando conta de “alguns constrangimentos de trânsito” devido ao espaço “indoor” e nessa sequência salientou a importância de Abrantes ter um espaço fechado para eventos.

O atual Mercado Diário também será utilizado “para alguns eventos indoor” e na Praça Barão da Batalha haverá um palco para a transmissão televisiva da Feira. “Vai ser televisionado este evento. Vamos ter uma das televisões connosco para projeção deste grande certame”, indicou o autarca. 

- Publicidade -

Um dos eventos que mais faz crescer água na boca está, então, de volta no próximo dia 22 de outubro e traz consigo uma agradável novidade. A “Doçaria a Pedido”, uma forma de dar a oportunidade de degustar este sublime certame, e se por algum motivo não consegue deslocar-se até à Feira da Doçaria, a feira vai até as pessoas, da forma mais doce possível. Apenas tem de ligar para um número que será disponibilizado atempadamente, escolher os doces que mais anseia saborear, realizar a sua encomenda e levantá-la num dos horários e locais estipulados para o efeito, ou até mesmo recebê-la na sua casa, a escolha é sua.

Para Manuel Jorge Valamatos a Feira de Doçaria Tradicional em Abrantes “começa a pontuar muito a nível regional e nacional. Começa a ter, quer do ponto de vista dos promotores, das pessoas que trazem aqui os seus produtos, quer na divulgação dos nossos produtos, da palha de Abrantes, das tigeladas, dos folares, das broas, daquilo que temos e é muito bom. Apostamos cada vez mais na sua valorização e vamos contar com os nossos produtos locais para termos um grande evento”.

Palha de Abrantes é um dos ex-libris do evento. Foto: DR

Além da doçaria, o evento assume também outras características com diversas atividades associadas. O presidente considera ser mais um evento importante no caminho de regresso à normalidade e lembrou o recente campeonato do mundo de orientação BTT que se realizou no concelho, com mais de 300 atletas de 26 países do mundo.

Os doces conventuais e tradicionais são presenças que não faltam, bem como diversas atividades, animação infantil, exposições, oficinas de doçaria e atividades desportivas. Um cardápio recheado e pensado na envolvência da comunidade e na oportunidade de ser uma porta aberta para visitantes de outras regiões, permitindo assim que os doces tradicionais de Abrantes fiquem na boca do mundo.

Feira Nacional de Doçaria Tradicional regressa a Abrantes de 22 a 24 de outubro. Foto arquivo: mediotejo.net

“São sinais de retoma”, diz o presidente, embora manifeste preocupação “com algumas situações de casos positivos” de covid-19 inclusivamente nas escolas “mas a vida tem de voltar ao seu ritmo normal. A presença de eventos desportivos e culturais são exemplos da retoma e a Feira Nacional da Doçaria preponderante para mostrar isso mesmo […] um evento muito importante para Abrantes e para a região”. 

ÁUDIO | MANUEL JORGE VALAMTOS, PRESIDENTE CM ABRANTES:

Devido à pandemia de covid-19, este delicioso itinerário de 3 dias, alberga consigo algumas medidas de segurança a serem aplicadas dentro do recinto da feira, nomeadamente a obrigatoriedade do uso de máscara, a existência de circuitos de circulação específicos, a proibição de consumo de doçaria e o aconselhamento à desinfeção das mãos continuamente.

A Feira Nacional de Doçaria Tradicional, organizada pelo Município de Abrantes, em parceira com a TAGUS- Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo interior, realiza-se há 19 anos, com o objetivo primordial de promover e valorizar a doçaria tradicional e conventual e os seus produtos endógenos.

Num evento, reconhecido a nível nacional, pretende-se enaltecer o que de melhor se faz no concelho de Abrantes, pelas mãos dos próprios doceiros, evidenciando assim o rico património gastronómico existente na região, sendo que diversos doces representativos do território português vão marcar presença neste certame.

 

 

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

3 COMENTÁRIOS

Responder a Mário Rui Fonseca Cancelar resposta

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome