Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Setembro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Está aí a Semana da Educação, Igualdade e Cidadania

Até à próxima sexta-feira, dia 11, está a decorrer em Abrantes a IV Semana da Educação, Igualdade e Cidadania com a realização de diversas atividades que abordam diferentes temáticas onde o objetivo é que os participantes saiam com mais conhecimentos e novas formas de agir na sociedade.

- Publicidade -

“Durante toda esta semana vamos trabalhar estas questões de forma transversal, tentando passar pela igualdade e pela educação, no fundo, tudo isto se resume como sendo a semana da cidadania porque as questões que são tratadas são transversais, desde o projeto educativo municipal, planos de igualdade de género, o desporto. Tentámos não inventar coisas novas mas no fundo aproveitar os planos e o trabalho que temos para fazer uma apresentação durante toda esta semana”, salientou Celeste Simão, vereadora responsável pelo pelouro da Educação na Câmara Municipal de Abrantes, ao mediotejo.net.

Uma parte das iniciativas da IV Semana da Educação, Igualdade e Cidadania está centrada no edifício Pirâmide onde, entre esta terça e quarta-feira, decorreram vários colóquios que analisaram temas como a igualdade entre homens e mulheres e o projeto educativo municipal. Mas os auditórios das escolas secundárias de Abrantes também vão ser palco de eventos realizados no âmbito desta Semana da Educação.

- Publicidade -

“No ano passado tínhamos um dia dedicado a cada área e este ano resolvemos que, uma vez que são áreas transversais, não fazia sentido estar a trabalhar os temas da Educação num dia e da Igualdade no outro e então resolvemos fazer de forma transversal. Só os Parlamentos é que faz sentido que sejam todos feitos no mesmo dia, até por uma questão logística e por deslocação das crianças”, referiu Celeste Simão.

Apelo à participação da comunidade

Em jeito de balanço do primeiro dia desta IV Semana da Educação, Igualdade e Cidadania, Celeste Simão refere que “estamos com um défice de participação por parte das entidades e das pessoas. Estamos aqui a tratar de questões transversais mas que ainda não tocam em toda a gente”, lamenta utilizando um provérbio chinês que diz que “para educar uma criança é preciso toda uma aldeia”. “Penso que caminhamos para lá, mas devagarinho e temos de caminhar mais depressa sob pena de perdermos alunos e a nossa oportunidade de participação”, refere a vereadora.

abrantes_semana educ_mesa
(da esq, para dir.) Carla Cerqueira, professora na Universidade Lusófona do Porto, Celeste Simão, vereadora da Educação da Câmara de Abrantes, Sara Moreira, representada da CIG, e José Tomé, diretor do Centro de Formação de Professores A23 (Foto: mediotejo.net)

“Todas as temáticas que estão neste programa são da competência de todos nós. Nós não queremos que toda a gente faça tudo, queremos respeitar a individualidade de cada instituição, de cada escola, de cada agrupamento, de cada professor, de cada cidadão, mas que, ao mesmo tempo, cada um trabalhe em prol do bem comum porque no fundo, o que se trata aqui, o objetivo principal é o bem dos nossos cidadãos e dos nossos alunos que são os futuros cidadãos”, reforça a vereadora da Educação.

E por isso, Celeste Simão deixa um apelo: “Leiam o programa, vejam o que é de interesse participar e estejam presentes porque organizar um programa destes envolve uma logística enorme, todos os colaboradores da Câmara e dos agrupamentos de escolas envolveram-se muito na sua preparação, foi um trabalho feito por muita gente e gostaríamos que nos desse alento para continuar”.

Na sessão de abertura do segundo dia da Semana da Educação, Igualdade e Cidadania, na tarde desta quarta-feira, dia 9, Celeste Simão recordou que “queremos que todos os participantes saiam daqui com novos conhecimento e novas formas de agir no dia-a-dia” e destacou a importância do trabalho em rede lembrando que “Abrantes tem há cerca de 18 anos a Rede Social que foi uma das redes sociais que fez parte de um projeto piloto no país”. “Devemos continuar a promover este trabalho em rede”, salientou a vereadora da Educação da Câmara de Abrantes perante um auditório quase repleto de alunos, professores, elementos das forças policiais, cidadãos comuns e alunos do ensino superior em Abrantes.

Nesta tarde de quarta-feira, dia 9, Sara Moreira, do Núcleo de Prevenção da Violência Doméstica e Violência de Género da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, fez uma intervenção onde abordou a violência no namoro e o papel das escolas onde, para além de ter apresentado a CIG e os planos nacionais de prevenção e combate contra a violência doméstica e violência de género, fez um enquadramento do que é a violência no namoro, que estratégias, que perfis, quais as estratégias utilizadas na área da prevenção.

abrantes_semana educ_2 dia_tarde
Na sessão desta quarta-feira à tarde, estiveram a assistir alunos, professores, elementos das forças policiais, cidadãos comuns e alunos do ensino superior de Abrantes (Foto: mediotejo.net)

Sara Moreira explicou que “no ano passado foi feito um estudo pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra que estudou adolescentes na casa dos 17 anos que diz que um em cada quatro jovens afirma já ter sido vítima de alguma forma de violência, não só falamos da violência física mas também, por exemplo, os ciúmes desmedidos. Um em cada quatro é bastante”, refere. O mesmo estudo, referiu Sara Moreira, indica que “há uma evolução da reação das raparigas perante uma situação porque os casos de violência do feminino para o masculino têm vindo a crescer”.

“Os professores têm um papel importante na prevenção e sensibilização destas temáticas, alertando para este fenómeno que deverá ser feito em conjunto com os outros intervenientes, como a família e toda a comunidade educativa”, referiu a representante da CIG.

Por sua vez, Carla Cerqueira, do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, fez uma apresentação sobre o trabalho que tem desenvolvido ao longo do seu doutoramento e de projetos de investigação no âmbito das questões da igualdade de género e a cobertura noticiosa. Carla Cerqueira analisou a cobertura noticiosa do Dia Internacional da Mulher em Portugal desde 1975 até 2007 e, no seu estudo, pretende “tentar criar alguma reflexão em torno daquilo que poderá ser um jornalismo mais inclusivo, seja ao nível das fotos utilizadas, seja ao nível da diversificação de fontes e da forma como nós citamos determinadas fontes”.

Segundo esta especialista, “o que se tem notado é que realmente as fontes oficiais, nomeadamente governamentais, são as mais citadas e verifica-se que muitas das organizações não-governamentais que têm um forte trabalho nestas áreas, elas não têm muita expressão, muita visibilidade, os temas não são tratados aprofundadamente, mesmo com a efeméride que poderia servir de âncora para um trabalho mais aprofundado, mais próximo de um jornalismo de investigação”.

No final deste segundo dia da Semana da Educação, tempo ainda para um apontamento musical com o Grupo de Cantares do Agrupamento de Escolas nº1 de Abrantes, composto por professores, auxiliares de ação educativa e alunos.

E às 18h, o professor José Morgado falou sobre a educação e qualidade, sob o tema “A prova dos nove”.

Esta quinta-feira, dia 10, será preenchida com as sessões do Parlamento Jovem e do Parlamento Criança + Sénior. “No ano passado, tivemos o Parlamento Jovem, o Sénior e o Criança em separado e este ano juntámos o Parlamento Criança e Sénior porque queremos fazer aqui um encontro de gerações, a temática eles têm trabalhado nas escolas e nas IPSS sobre a questão do “A brincar, a brincar, vamos lá conversar”, no fundo, trabalhar as brincadeiras de ontem e de hoje e vamos lá conversar e fazer um encontro intergeracional”, salientou Celeste Simão acrescentando que “o Parlamento Jovem vai seguir o modelo do ano passado em que os jovens fazem o trabalho no local, com várias dinâmicas de grupo, vão fazendo os seus trabalhos que vão sendo apresentados”.

Esta quinta-feira à noite, a deputada Elza Pais vai estar em Abrantes para apresentar o seu livro editado há pouco tempo “Uma década pela Igualdade e contra a violência de género”.

O último dia da IV Semana da Educação, Igualdade e Cidadania será dedicado às questões do desporto no feminino, “um programa extenso, é um dia inteiro de trabalhos sobre várias temáticas mas que no fundo visa a questão da igualdade e de oportunidades que é importante a prática desportiva tanto no feminino e no masculino e que seria muito mau se não fizéssemos nesta semana da educação, cidadania e igualdade algo virado para o desporto uma vez que temos aqui atletas raparigas que também têm dado cartas a nível nacional e internacional”, concluiu Celeste Simão.

 

Programa da IV Semana da Educação, Igualdade e Cidadania

10.03.2016 (quinta-feira)

Parlamentos Jovem e Sénior

O nosso mundo, a nossa dignidade, o nosso futuro

 

Local: Escola Dr. Manuel Fernandes

10h00 – 13h00

Parlamento Jovem – “Efeito borboleta… bate as tuas asas e muda o mundo”

Dinâmicas de grupo no sentido de discutir em parlamento/fórum participativo as questões do poder de cada um nas questões da cidadania e empreendedorismo social/sustentabilidade.

 

14h00 – 16h30

Parlamento Criança + Sénior “A brincar… a brincar… Vamos lá conversar!”

Local: Escola Secundária Dr. Solano de Abreu

Equipas mistas intergeracionais (escola +IPSS) no sentido de trabalhar as diferenças e semelhanças do brincar ontem e hoje e de promover a partilha de saberes.

 

21h00

Local: Biblioteca Municipal António Botto

Apresentação do livro: “Uma década pela Igualdade e contra a Violência de Género”, da deputada Elza Pais.

 

11.03.2016 (sexta-feira)

Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes

09h00 – 17h30

Seminário “Desporto no feminino”

O papel das mulheres no desporto foi ao longo dos anos assumindo um papel cada vez mais relevante na sociedade portuguesa. Atualmente, e dado que se torna necessário promover o acesso à prática desportiva de uma forma transversal, importa de forma objetiva sublinhar o papel desenvolvido pelas mulheres no desporto através da realização de ações que fomentem e evidenciem a participação da mulher no desporto.

Neste sentido a realização deste seminário enquadra-se nesta perspetiva, bem assim como na necessidade de promover a igualdade de género, e a valorização do desporto no feminino.

Organização: Direção Regional Lisboa e Vale do Tejo do Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P.;

PROGRAMA

09h30

Sessão de Abertura

Maria do Céu Albuquerque – Presidente da Câmara Municipal de Abrantes

João Wengorovius Meneses – Secretário Estado da Juventude e do Desporto (a confirmar)

Alcino Brás Hermínio – Diretor do Agrupamento de Escolas nº 2 de Abrantes

 

10h00

“Políticas e medidas – Avanços e Recuos”

Moderadora: Eduarda Marques | Diretora Regional de Lisboa e Vale do Tejo do Instituto Português do Desporto e Juventude

Isabel Cruz | Associação Portuguesa Mulheres e Desporto

Cristina Almeida | Investigadora

 

11h15 Café

 

11h30 “Os Media – Motor ou Travão?”

Moderador: Luís Dias – Vereador do desporto do Município de Abrantes

Cláudia Marques – Jornal Record

Mário Rui Fonseca – LUSA

 

14h30 “Treinar Homens e Mulheres: Apostar na diferença para Alcançar a Igualdade”

Moderador: José Couceiro

Ana Oliveira – Sport Lisboa e Benfica

Tomaz Morais – Federação Portuguesa de Rugby

 

16:00 Mesa Redonda: “Alta Competição. Vale a Pena?”

Moderador: Walter Madureira – Jornalista da TSF

Marta Pen – Atleta

José Couceiro – Treinador

Susana Feitor – Atleta Olímpica

Mariano António – Atleta

José Monteiro – Treinador

 

Conclusões e Encerramento

Luís Dias – Vereador do desporto do Município de Abrantes

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome