Quinta-feira, Fevereiro 25, 2021
- Publicidade -

Abrantes | Escola Primária de Mouriscas com obras urgentes devido a chuva (C/vídeos e fotos)

A Associação de Pais da Escola Primária de Mouriscas, em Abrantes, recebeu na quarta-feira, dia 28 de fevereiro, o vereador eleito pelo Partido Social Democrata (PSD), Rui Santos, para uma visita às instalações escolares, preocupados que estão pelas “más condições” do equipamento, propriedade da Câmara Municipal. O repto foi lançado na rede social Facebook pelo eleito do movimento AGIMOS à Assembleia de Freguesia de Mouriscas, António Louro, que aponta o dedo ao Executivo camarário dizendo “haver dinheiro para muitas coisas desnecessárias” mas “deixa-se chegar uma escola pública/jardim de infância a esta situação”. E a situação, como o mediotejo.net constatou no terreno, passa por uma cobertura em fibrocimento, fissuras na dita cobertura, alguidares pelo chão da escola a aparar a água da chuva, bolor nas paredes, cheiro a humidade, água pelo chão de uma casa-de-banho e tectos a verter água. A requalificação daquela escola está inscrita no plano plurianual de prioridades para 2018 da Câmara Municipal de Abrantes (CMA) mas a vereadora Celeste Simão, com o pelouro da Educação, disse ao mediotejo.net que as obras estão agendas para o verão. Até lá, ficou o compromisso de amanhã, sexta-feira, uma equipa da Câmara deslocar-se escola para apurar as necessidades mais urgentes e realizar um trabalho provisório.

- Publicidade -

Mais do que as redes sociais partilharem notícias, hoje as notícias podem começar nas redes sociais. Foi devido a uma partilha de fotografias dando conta do estado de degradação da Escola Primária de Mouriscas, na página pessoal da presidente da Assembleia Geral, Sofia Pina, publicação que alertou António Louro, eleito para a Assembleia de Freguesia pelo movimento AGIMOS, levando o eleito a convidar, via Facebook, o Executivo camarário a visitar o local.

“De imediato fui contactado pela Associação de Pais, e também pelo vereador Rui Santos (PSD) disponibilizando-se para uma visita”, disse ao mediotejo.net António Louro, embora Sofia Pina negue que, quer a presidente da Assembleia Geral quer o presidente da direção, Alexandre Pimenta, tenham contactado o eleito do AGIMOS.

- Publicidade -

Contudo, António Louro e Rui Santos dirigiram-se à escola e a visita ocorreu. Durante a mesma, “autorizada pela Associação de Pais”, insiste António Louro, o vereador do PSD pode comprovar as infiltrações, minutos depois da CMA ter deslocado ao local uma equipa de técnicos no sentido de apurar as necessidades prementes.

Escola Primária de Mouriscas. Cobertura em fibrocimento.

A Associação de Pais da Escola, com 44 alunos, queixa-se das “más condições” das instalações, “situação que se arrasta há anos” alertando por isso para a necessidade de realização de obras e reivindicando “espaço para as crianças brincarem” particularmente nos dias de chuva. Por isso, pediram “uma sala que se encontra fechada” explicou Sofia Pina, o que foi negado por estar “cedida ao Grupo Etnográfico de Mouriscas”.

Escola Primária de Mouriscas

Quem não gostou da visita foi a vereadora com o pelouro da Educação, Celeste Simão (PS), que encurtou caminho do compromisso agendado na EPDRA para ir à Escola pedir explicações ao vereador do PSD, acusando-o de “aproveitamento político”, criando-se ali um momento de crispação entre forças políticas opostas.

“Não podemos dizer que esta escola não tem condições porque funciona normalmente como todas as outras escolas. Vamos fazendo a manutenção da escola” explicou, referindo a recente intervenção do chão do pavilhão desportivo. No entanto, reconhece, os “problemas que não são de agora” e a necessidade de uma intervenção de fundo “está prevista para o próximo verão”. Em causa “a cobertura que tem de ser mudada, e a cozinha, apesar das refeições não se confecionarem ali, que tem de ser adaptada com novo mobiliário e novos equipamentos”.

A responsável explicou ainda que devido a “uma fissura na cobertura, com estas chuvadas, faz com que haja escorrimento de água pelas paredes em três espaços dentro da escola, não nas salas de aula”, disse, acrescentando que a equipa da CMA esteve no local “logo que foi sinalizada esta situação e, já sexta-feira, procederemos a uma intervenção de forma a resolver a questão da fissura”.

Escola Primária de Mouriscas

Celeste Simão vincou que no próximo verão “já está em orçamento a mudança de cobertura de toda a escola, tudo o que tem a ver com porta e janelas, e as questões relacionadas com a cozinha”, dando conta da Associação de Pais estar informada desta intenção.

A vereadora aproveitou a oportunidade do encontro com membros da Associação de Pais para tranquilizar os encarregados de educação relativamente à cobertura em fibrocimento (contendo amianto), garantindo não existir perigo nem para os alunos nem para os funcionários e professores.

O perigo estará presente “durante as obras de retirada da cobertura” sendo por isso necessária a atuação de uma empresa especializada nesta matéria, o que segundo Celeste Simão também “está previsto”.

A vereadora lembrou que a CMA apresentou “há algum tempo a necessidade de requalificação da Escola Primária de Mouriscas e da Escola Básica de Alvega e tem sido comunicado nos órgãos próprios, quer no Conselho Geral do Agrupamento quer no Conselho Municipal de Educação onde estão também representados os pais”.

Escola Primária de Mouriscas

Celeste Simão finalizou explicando que após a CMA ter “aproveitado os apoios [financiamento comunitário] para a construção dos centros escolares, esta é uma prioridade” de obra a executar “com bom tempo”.

Por seu lado, o vereador Rui Santos explicou que a razão da sua visita passa por ter sido confrontado na quarta-feira com fotografias no seu e-mail oficial e também através de publicações no Facebook, acrescentando ter sido acompanhado por dois elementos da Assembleia de Freguesia de Mouriscas, referindo-se a António Louro (AGIMOS) e José Rocha (PSD), no sentido de “falar com a Associação de Pais e verificar o que se passava”.

Lembrou que Celeste Simão, na sua presença, assumiu o compromisso de “na próxima sexta-feira os técnicos da CMA virem avaliar a situação para tentar minimizar ao máximo as infiltrações de chuva dentro da escola”.

Rui Santo não tem dúvidas que as “obras de fundo irão ser realizadas no verão” até porque estão inscritas no plano plurianual da CMA para 2018, mas deixa um aviso: “se isso não acontecer nessa altura também estaremos cá enquanto vereadores da oposição para questionar” o Executivo.

Escola primária de Mouriscas

Por último, garantiu não ser “intenção do PSD fazer aproveitamento político” de uma situação que considerou “melindrosa, envolvendo crianças” sublinhando que “em primeiro lugar estão os interesses do concelho e depois os do partido que represento”.

Também António Louro do AGIMOS defende que “as infiltrações têm de ser resolvidas” no imediato e que a CMA “tinha de ser alertada”, confirmando a presença na escola de uma equipa técnica da autarquia no sentido de “apreciar o problema e executar um trabalho provisório”.

Acrescentou que durante a última Assembleia de Freguesia de Mourisca, no final de 2017, o assunto foi abordado pelo presidente da Junta, Pedro Matos, informando os eleitos da intervenção na escola em 2018, existindo “uma verba de 250 mil euros para janelas e cobertura”.

Mouriscas | A Associação de Pais da Escola Primária de Mouriscas manifesta-se preocupada com as condições da Escola que tem cerca de 40 alunos e reclama obras no edifício, nomeadamente na cobertura, janelas e cozinha. A vereadora Celeste Simão esteve no local e explica que as primeiras intervenções vão ocorrer já na sexta-feira, estando agendadas obras de intervenção de fundo durante o verão.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2018

Mouriscas | O vereador eleito pelo PSD, Rui Santos, visitou a Escola Primária de Mouriscas, no concelho de Abrantes, para verificar e ouvir as queixas da Associação de Pais relativamente à necessidade de obras naquele equipamento.

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2018

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).