Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes [En]cena – Teatro pelos grupos cénicos da SAT, SUC e da Palha

No mês em que se assinala o Dia Mundial do Teatro, a 27 de março, a Câmara de Abrantes apresenta três peças de teatro protagonizadas por três grupos do concelho, a realizar nos dias 18, 19 e 20 de março, no Cineteatro S. Pedro.

- Publicidade -

No dia 18 (6ª feira), pelas 21h30, sobe ao palco o Grupo de Teatro Palha de Abrantes para apresentar a peça “Sangue Jovem”, num original de Peter Asmussen, com encenação de Helena Bandos e de Rita Nazaré. O enredo retrata o encontro anual de três velhas amigas com as conversas habituais sobre o passado e o presente. Mas surge, de repente, um jovem, e tudo se altera.

No sábado, 19 de março, também pelas 21h30, chegará a vez do Grupo de Teatro da Sociedade Artística Tramagalense (SAT) levar à cena a peça “Agarra que é Milionário” que conta a história de um casal que gosta da vida mundana, a viver de “esquemas”, até ao dia em que conhece outro casal “que tem tudo na vida”.

- Publicidade -

No dia 20 domingo, há uma matiné, pelas 17h00, com o Grupo de Teatro da Sociedade União Crucifixense (SUC) que apresentará “Revista à Portuguesa, à nossa maneira”. Trata-se de um espetáculo com duas partes, com adaptação para o palco de várias anedotas, intercaladas com música portuguesa e alguns temas originais.

Os bilhetes para cada uma das peças custam 3 euros e estão à venda no Welcome Center (loja de turismo), na esplanada 1º de maio ou no dia dos espetáculos na bilheteira do Cineteatro S. Pedro.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome