Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Agosto 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes: Eduardo Salavisa partilha o seu “caderno de viagem” esta quinta-feira

A Biblioteca Municipal António Botto recebe o “Caderno de Abrantes” de Eduardo Salavisa esta quinta-feira, dia 21, numa noite em que o ilustrador partilhará a sua interpretação dos 11 dias de residência artística passados na cidade. A iniciativa integra a exposição “Cadernos de Viagem de Abrantes” inspirada pelo salão “Carnets de Voyage” e da qual Eduardo Salavisa é comissário.

- Publicidade -

O livro “Caderno de Abrantes” reúne os registos gráficos dos espaços, vivências, tradições e pessoas com que Eduardo Salavisa se cruzou em 2015 durante a residência artística na cidade, realizada em simultâneo com a exposição individual. Pouco tempo depois o ilustrador regressa a Abrantes para partilhar a obra no âmbito da exposição “Cadernos de Viagem de Abrantes”, organizada pelo município com a colaboração da Delegação do Centro da Ordem dos Arquitetos – Secção Regional do Sul.

Eduardo Salavisa é o comissário desta iniciativa inspirada pelo salão “Carnets de Voyage” que a associação “Il Faut Aller Voir” realiza em Clermont-Ferrand desde 2000. O desenho, a fotografia, o vídeo, a escrita e o multimédia têm destaque nas diversas atividades que, além da apresentação agendada para as 21h30 de quinta-feira, incluem uma mostra de 27 artistas portugueses, a exposição “Meus queridos cadernos” do espanhol Javier de Blas, uma feira de livros de viagens pelo mundo, workshops, uma conferência e a residência artística de Javier de Blas e Miguel Real em Abrantes entre 22 e 29 de abril.

- Publicidade -

O último dia da residência artística coincide com o final da exposição “Cadernos de Viagem de Abrantes” na Biblioteca Municipal António Botto, espaço que entretanto recebe três atividades por ocasião do Dia Mundial do Livro, sábado 23. Pela manhã, a partir das 10h30, o público em geral é desafiado a percorrer a cidade e, à semelhança de Eduardo Salavisa, a imortalizá-la através do desenho, escrita, foto ou vídeo.

Os cadernos de viagem daí resultantes serão partilhados às 16h30, meia-hora antes da aula aberta ao público de Javier de Blas, que também apresenta o seu livro “Viajero en Tindouf” com um retrato do quotidiano dos campos de refugiados em Tindouf (Argélia). Para as 18h00 está agendada a conferência “A viagem em Portugal”, com Miguel Real, na qual o romancista, ensaísta e especialista em Cultura Portuguesa carateriza este traço identitário nacional desde os seus primórdios.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome