Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Abrantes e Alcanena | Marionetas e formas animadas continuam em “manobras”

O Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas continua esta semana e faz paragem na região com diversos espetáculos. O concelho de Alcanena já recebeu “Nunca”, do Teatro de Marionetas do Porto esta segunda-feira e prepara-se para “Modos de Ver” no dia 27. A segunda edição do festival chega a Abrantes nos dias 28 e 29, com os espetáculos “Entremundos” e “Muita Tralha Pouca Tralha”, respetivamente, e regressa ao primeiro concelho no dia 30 com “No Ateliê”.

- Publicidade -

Até ao final da semana, são quatro propostas em que as marionetas e as formas animadas se cruzam com o público em diferentes locais. No concelho de Alcanena, o Cine-Teatro São Pedro é o ponto de partida para o audiowalk através do qual a companhia “teatromosca” propõe diferentes “Modos de Ver”, às 14h00 e 18h30 de quinta-feira. No domingo, o Tof Théâtre (Bélgica) apresenta a performance “No Ateliê” nas sessões que têm lugar no Centro Cultural de Monsanto, às 15h00, 16h00 e 17h00.

Entre estes espetáculos, as “manobras” organizadas pelo projeto de cooperação cultural Artemrede fazem-se no concelho de Abrantes na sexta-feira e no sábado. Na primeira data, o Parque Tejo recebe “Entremundos” da companhia PIA – Projetos de Intervenção Artística pelas 21h30 e, na segunda, Catarina Requijo e Formiga Atómica apresentam “Muita Tralha Pouca Tralha” na Praça Barão da Batalha a partir das 11h00, cujo momento inclui uma visita ao centro histórico.

- Publicidade -

Quer conhecer os espetáculos e por onde vai andar o festival na região até ao próximo dia 31 de outubro? É simples, basta um clique aqui.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome